Castelo do Curutelo / Paço do Curutelo

IPA.00004109
Portugal, Viana do Castelo, Ponte de Lima, Ardegão, Freixo e Mato
 
Casa nobre quinhentista, de feição acastelada, na tradição medieval de "casa-torre", em que esta surge ao centro da ala residencial, mais baixa. A regularidade planimétrica leva-nos a considerá-lo uma construção de cerca do séc. 16. A abertura de vãos é bastante regular, mas questionável visto saber-se que depois de 1867, durante as obras ali efectuadas, foram abertas algumas janelas e portas. Integra pequena capela particular.
Número IPA Antigo: PT011607230019
 
Registo visualizado 312 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Residencial senhorial  Casa nobre  Casa nobre  Tipo torre

Descrição

Paço de planta rectangular, composta, de 1 piso e integrando ao centro torre quadrada, mais elevada. Volumes escalonados, com coberturas de telha a 4 águas. Alçados coroados por merlões piramidais. Frontispício com porta de verga recta e janela de guilhotina, nos corpos laterais, e janela larga de jambas decoradas e encimada por uma outra mais estreita, na torre, ao nível do 1º piso. Regularmente dispõem-se gárgulas circulares. Fachadas laterais rasgadas por 3 janelas e a posterior por 2 enquadrando porta simples; na torre 1 janela. Encostada ao muro que cerca o solar, mas num plano mais baixo, ergue-se capela rectangular parcialmente coberta de hera e dedicada a Santo Amaro. Frontespício, rasgado por porta simples de verga recta, ladeada por 2 frestas e encimada por janela; termina em empena truncada por pequena sineira. No interior, coro-alto e retábulo de talha.

Acessos

Freixo, EN. 308, a meia encosta do monte de São Cristóvão. VWGS84 (graus decimais) lat.: 41,653241; long.: -8,605282

Protecção

Categoria: IIP - Imóvel de Interesse Público, Decreto nº 129/77, DR, 1.ª série, n.º 226 de 29 setembro 1977

Enquadramento

Rural, implantação harmónica. Implanta-se a meia encosta do monte de São Cristóvão dos Milagres ou do Curutelo, sobranceiro a um pequeno vale, sendo envolvido por árvores. É cercado por alto muro, coberto de hera com portão de acesso, de verga recta, junto à estrada.

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Residencial: casa nobre

Utilização Actual

Residencial: casa

Propriedade

Privada: pessoa singular

Afectação

Sem afectação

Época Construção

Séc. 16 (conjectural)

Arquitecto / Construtor / Autor

Desconhecido.

Cronologia

1395 - Segundo documento, Nuno Viegas do Rego e mulher, Inês Dias, instituiram vínculo nas suas Quintas de Coucieiro e Curutelo, a favor do filho Álvaro Viegas; não faz, no entanto, qualquer referência à torre; o morgadio foi confirmado por D. João I em Dezembro do mesmo ano; 1532 - o 5º Morgado de Coucieiro, ao ver-se a contas com a justiça, vendeu a quinta ao Duque D. Jaime; este, sendo senhor e possuidor da casa, torre, Castelo e Quinta do Curutelo, tudo emprazou ao fidalgo João Rodrigues de Lago, filho de Rui Gomes, como paga dos serviços prestados sobretudo na jornada e conquista de Azamar, permanecendo a quinta na posse dos seus descendentes no decurso dos séculos; 1867 - depois do casamento de D. Maria de Felgueiras Gajo com Dr. Rodrigo Augusto Cerqueira Velozo, advogado de Barcelos, procedeu-se a obras de modernização da torre, abrindo-se portas e janelas; não deixando descendência, D. Maria Felgueiras Gajo, antes de morrer nomeou o prazo em seu marido, o que levou a pleito nos tribunais que, por fim, julgou a favor do Dr. Rodrigo Velozo; 1902 - o capitalista esposende e antigo negociante do Porto, Valentim Ribeiro da Fonseca comprou a Quinta.

Dados Técnicos

Sistema estrutural de paredes portantes.

Materiais

Estrutura em cantaria de granito aparente.

Bibliografia

ARAÚJO, Laurinda Fernandes de Carvalho, Monografia de S. Julião do Freixo e Estudo Sucinto de Anais (Stª Marinha de), Braga, 1981; AZEVEDO, Carlos de, Solares Portugueses, Lisboa, 1969; GUERRA, Luís de Figueiredo, Torres Solarengas do Alto Minho, Sep. de O Instituto, vol. 72, nº 4, Coimbra, 1925; SILVA, António Lambert Pereira da, Nobres Casas de Portugal, vol. 2, Porto, s.d..

Documentação Gráfica

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Administrativa

Intervenção Realizada

Observações

Existem várias versões em relação à construção do Paço de Curutelo: Félix Machado, nas suas notas do Nobiliário do Conde D. Pedro, remota-o ao tempo de D. Fernando o Magno, que conquistou Coimbra aos mouros e dá como seu possuidor Nuno Nudiz; João Salgado de Araújo, Abade de Perre, diz que foi construído por um fidalgo asturiano, Alarico, poderoso senhor descendente dos Godos, por volta de 800, conservando-se em seus descendentes até D. Urraca Landufes, casada com Nuno Nudiz; Figueiredo Guerra dá-o edificado por cerca de 1532, por João Rodrigues do Lago, visto não haver existência de algum castelo quando Nuno Viegas e mulher, Inês Dias, instituiram um morgado, confirmado por D. João I em 14 Dezembro 1395, o que parece descabido.

Autor e Data

Paula Noé 1992

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login