Torre da Grade / Torre de Faro

IPA.00004098
Portugal, Viana do Castelo, Arcos de Valdevez, União das freguesias de Grade e Carralcova
 
Casa nobre quatrocentista, integrado na tipologia da chamada "casa-torre", de tradição medieval. De modestas porpoções e feição, conjuga torre e ala residêncial, para onde se abre a entrada principal, muito simples, ao nível do 2º piso, visto que o 1º, tal como o da torre, é utilizado para serviços.
Número IPA Antigo: PT011601160015
 
Registo visualizado 329 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Residencial senhorial  Casa nobre  Casa nobre  Tipo torre

Descrição

Casa de planta rectangular, composta por torre quadrada, de 3 pisos, e ala residencial rectangular adossada, de 2 pisos. Volumes articulados com coberturas diferenciadas em telhados de 2 e 4 águas. Frontespício com torre rasgada por porta de verga recta, janela de sacada e 1 outra sobreposta de guilhotina, tendo esta, inferiormente, pedra de armas; a ala residencial tem porta de verga recta no 1º e no 2º janela de guilhotina e porta também de verga recta, a que se tem acesso por escada de pedra, de 1 lanço, aberta inferiormente e com parapeito de ferro. Alçados laterais e posterior da torre são rasgados por janelas de sacada encimadas por uma de guilhotina; a ala residencial tem 3 janelas de guilhotina no 2º piso. Torre coroada por merlões chanfrados.

Acessos

Grade. WGS84 (graus decimais): lat.: 41,870854; long.: -8,373691

Protecção

Categoria: IIP - Imóvel de Interesse Público, Decreto nº 95/78, DR, 1.ª série, n.º 210 de 12 setembro 1978

Enquadramento

Rural, isolada, implantação destacada. Implanta-se dentro de Quinta, vedada, e no alinhamento do portão, de verga recta e coroado por 2 merlões chanfrados, com excelente panorama para os montes que se erguem ao redor como pano de fundo.

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Residencial: casa nobre

Utilização Actual

Residencial: casa

Propriedade

Privada: pessoa singular

Afectação

Sem afectação

Época Construção

Séc. 15 (conjectural)

Arquitecto / Construtor / Autor

Desconhecido.

Cronologia

Séc. 15 - Provável construção por Álvaro Pais de Grade, casado com D. Branca Lopes Pacheco, que fugiu para Castela; seu filho, Luís Álvares de Grade, desposou Inês Vaz Borges, filha de Pedro Borges, vedor de D. João II; 1680, 11 Set. - Beatriz Bezerra, por escritura lavrada em Ponte de Lima, cedeu a Luís Gomes de Abreu o direito da capela e morgadio da Torre de Grade, que logo deles se empossou; séc. 17, finais - D. Maria de Abreu Soares, casada com Afonso Pereira de Castro, era então a Senhora da Torre de Grade; seu filho, Francisco Pereira de Castro, foi o 1º Morgado da Andorinha, constituído em 1700, na posse do qual passou a Torre de Grade a estar integrada; séc. 20, início - o Prof. Eugénio de Castro Caldas herda a casa do seu avô, o 7º e último Morgado da Andorinha.

Dados Técnicos

Paredes autoportantes com aparelho "vittatum" e "mixtum vittatum".

Materiais

Granito. Cobertura de telha.

Bibliografia

GUERRA, Luís de Figueiredo da, Torres Solarengas do Alto Minho, Coimbra, 1925; AZEVEDO, Carlos de, Solares Portugueses, Lisboa, 1969.

Documentação Gráfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Administrativa

Arquivo da Casa da Andorinha

Intervenção Realizada

Observações

Autor e Data

Paula Noé 1992

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login