Pátio da Bagatela / Pátio do Monteiro

IPA.00004032
Portugal, Lisboa, Lisboa, Santo António
 
Vila operária com pártio, ecléctica. A recente reconstrução do imóvel manteve a harmonia da espacialidade e volumetria originais, numa feliz e exemplar reinterpretação de um primitivo bairro operário erguido segundo os moldes da arquitectura tradicional de finais de oitocentos.
Número IPA Antigo: PT031106460286
 
Registo visualizado 439 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Residencial multifamiliar  Edifício    

Descrição

Composto por corpo de planta rectangular, disposto contiguamente e no seu sentido longitudinal ao pátio, o edifício apresenta volumetria paralelepipédica, sendo a cobertura efectuada por telhados a 4 águas. O edifício em reboco pintado com soco em cantaria compõe-se de 2 pisos a SE., pelo qual se distribuem 20 fogos, e 3 pisos na parte posterior a NO.. Apresenta alçado principal a SE., ritmado pela abertura de vãos com emolduramento simples em cantaria, intercalando regularmente portas e janelas de peito. O andar superior exibe varanda comum que se prolonga a todo o comprimento do edifício, apenas separada por guarda ventos que estabelecem o espaço correspondente a cada habitação; esta varanda é servida por escadas exteriores em cantaria, localizadas nos extremos do edifício. Nas traseiras a NO., orientadas para pátio amplo destinado a espaço de lazer, observa-se piso térreo vazado totalmente ocupado por áreas comerciais. Os andares superiores, correspondentes à zona habitacional, apresentam pano de muro ritmado por chaminés, que alternam com as varandas dos fogos, guarnecidas por guarda metálica. No alçado topo a SO., localiza-se o acesso a garagem subterrânea.

Acessos

Travessa da Légua da Póvoa, n.º 15; Rua Artilharia Um, n.º 51

Protecção

Inexistente

Enquadramento

Urbano, destacado, isolado.

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Residencial: vila operária

Utilização Actual

Residencial: edifício residencial e comercial

Propriedade

Privada: pessoa colectiva

Afectação

Sem afetação

Época Construção

Séc. 19 / 20

Arquitecto / Construtor / Autor

J. M. D. Ferreira e M. A. Souza (projecto de remodelação, 1994 - 1996)

Cronologia

1879 - concessão de licença camarária com vista à edificação de diversos imóveis na Travessa da Légua da Póvoa, em lote de que era proprietário Manuel José Monteiro; 1879 / 1890 - construção dos edifícios que constituem o pátio; 1939 - era proprietário João da Cunha Monteiro; 1948 - o conjunto encontrava-se na posse de Maria Luisa Andrade e Sousa; 1994 - 1996 - obras de recuperação, reconstrução e adaptação a condomínio privado, com projecto da autoria de J. M. D. Ferreira e M. A. Souza; 2007, 19 setembro - encerramento do processo de classificação; 12 novembro - a CMLisboa informa que não classifica o edifício, por não se enquadrar nos parâmetros necessários.

Dados Técnicos

Paredes autoportantes

Materiais

Alvenaria mista, reboco pintado, cantaria de calcário, estuque, ferro forjado, madeira

Bibliografia

FERREIRA, Fátima e OUTROS, Guia Urbanístico e Arquitectónico de Lisboa, Lisboa, 1987; FERNANDES, José Manuel, e OUTROS, A Arquitectura do Princípio do Século em Lisboa (1900 - 1925), Lisboa, 1991; SANTOS, Paulo, Lisbon - A guide to recent architecture, Londres, Konemann, 1998.

Documentação Gráfica

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Administrativa

CML: Arquivo de Obras, pº nº 27.918

Intervenção Realizada

Proprietário(s): 1938 - obras de beneficiação geral; 1939 - reparação de infraestruturas (água e esgotos), obras de beneficiação e pinturas; 1948 - obras de beneficiação geral; 1971 / 1972 - obras de beneficiação e reparação; 1972 - obras de conservação e pinturas exteriores.

Observações

Autor e Data

Teresa Vale e Maria Ferreira 1998

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login