Palácio do Conde de Vimioso

IPA.00004024
Portugal, Lisboa, Lisboa, Lumiar
 
Arquitectura residencial, maneirista. Edifício caracterizando-se por linhas sóbrias, frontarias horizontais, fileiras de janelas rectangulares e cornija suportando beiral saliente.
Número IPA Antigo: PT031106090076
 
Registo visualizado 467 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Residencial senhorial  Casa nobre  Casa nobre  Tipo planta retangular

Descrição

Planta quadrada, massa simples de acentuada horizontalidade, composto por cave e 2 pisos, cobertura a várias águas em telha. Cunhais em cantaria. Fachada E., porta inscrita em arco abatido com aduela e na fachada O. outra porta, maior, coroada por entablamento. Fenestração regular percorre todas as fachadas, disposta simétricamente, na mesma prumada, e emoldurada em cantaria simples. Assim, ao nível da cave, pequenas janelas de avental; no 1º piso, janelas de vão rectangular com cimalha e guardas de ferro; no 2º piso, janelas de peito de vão quadrangular. Os vãos são preenchidos por quadrícula de madeira e vidro. O edifício é coroado por cornija e beiral saliente.

Acessos

Campo Grande, n.º 398; Alameda das Linhas de Torres, n.º 1. WGS84 (graus decimais) lat.: 38,759940, long.: -9,155611

Protecção

Categoria: IIP - Imóvel de Interesse Público, Decreto n.º 47 508, DG, 1.ª série, n.º 20 de 24 janeiro 1967

Enquadramento

Urbano. Edifício, situado no topo Norte do Campo Grande, tornejando para a Alameda das Linhas de Torres, isolado, ladeado por muro a E. e a N., neste abrem-se 2 grandes portões de ferro. Espaço lateral e posterior ajardinados. Implantação destoante de uma torre nas traseiras que lhe reduz a escala.

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Residencial: casa nobre

Utilização Actual

Residencial: edifício

Propriedade

Privada

Afectação

Época Construção

Séc. 17 (conjectural)

Arquitecto / Construtor / Autor

Cronologia

Séc. 17 - provável construção; 2007, 14 fevereiro - proposta de definição de Zona Especial de Proteção pela DRLisboa; 19 março - parecer favorável do Conselho Consultivo do IPPAR; 2008, 28 janeiro - Despacho de homologação da Zona Especial de Proteção pela Ministra da Cultura.

Dados Técnicos

Paredes autoportantes.

Materiais

Alvenaria, cantaria, madeira, ferro, vidro, telha.

Bibliografia

Guia de Portugal, Vol.I, Lisboa, 1983.

Documentação Gráfica

Documentação Fotográfica

IHRU: SIPA, DGEMN/DSID

Documentação Administrativa

Intervenção Realizada

Observações

As janelas que se rasgam ao nível da cave, embora se enquadre na tipologia maneirista, foram recentemente abertas, possívelmente na década de 60 / 70, como o podem confirmar fotografias da altura. Há notícia de que o palácio tinha uma ampla cerca, tendo sido esta, teatro das mais famosas touradas do seu tempo. Não foi permitida a entrada ao interior do edifício.

Autor e Data

João Silva 1992

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login