Igreja Paroquial de Azambuja / Igreja de Nossa Senhora da Assunção

IPA.00004008
Portugal, Lisboa, Azambuja, Azambuja
 
Arquitectura religiosa, maneirista e barroca. Igreja paroquial que, a nível arquitectónico, é do estilo maneirista, nomeadamente nos portais, de modelo Serliano, no arco triunfal e outros. A talha dourada é barroca. Modificada e enriquecida por revestimento azulejar maneirista, com azulejos de tapete mostrando dois padrões de escala e decoração diferentes, sobrepostos.
Número IPA Antigo: PT031103040006
 
Registo visualizado 453 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Religioso  Templo  Igreja paroquial  

Descrição

Planta longitudinal, composta de 3 naves, escalonadas, com 4 tramos separados por arcos de volta perfeita sobre colunas toscanas, capela-mor rectangular e torre sineira adossada ao frontispício no lado da Epístola. Volumes articulados e cobertura diferenciada a 2 águas. No frontispício, portal com frontão triangular sobre pilastras, 4 janelas de tamanho diferente e centradas por óculo; coroamento em frontão contracurvado, demarcando já o número de naves. Portal lateral com duplas colunas, sobre soco, suportando frontão triangular. Interior revestido a azulejos de padrão em 2 níveis, naves com 1 altar lateral e um colateral, de talha dourada, tendo o do lado da Epístola painel pintado com "Árvore de Jessé" *. Púlpito sobre balaústres e pia baptismal. Arco triunfal sobre pilastras toscanas, capela-mor com alto silhar de azulejos, retábulo de talha dourada, com colunas salomónicas ladeando trono; abóbada estrelada, de bocetes lisos, sobre mísulas nos cantos.

Acessos

Largo do Adro; Rua de Trás da Igreja. WGS84 (graus decimais) lat.: 39,069334; long.: -8,868560

Protecção

Categoria: IIP - Imóvel de Interesse Público, Decreto n.º 516/71, DG, 1.ª série, n.º 274 de 22 novembro 1971

Enquadramento

Urbano. Implanta-se no centro da vila com átrio envolvido por construções, tendo frente ao portal lateral um cruzeiro e, num plano mais abaixo o Pelourinho ( v. PT031103040001 ).

Descrição Complementar

AZULEJO: Nave totalmente revestida de azulejo policromo, de padrão, formando "tapete": P-401, C-72 e B-3, separando o P-604.

Utilização Inicial

Religiosa: igreja paroquial

Utilização Actual

Religiosa: igreja paroquial

Propriedade

Privada: Igreja Católica (Diocese de Lisboa)

Afectação

Sem afectação

Época Construção

Séc. 16 / 17

Arquitecto / Construtor / Autor

ENTALHADOR: Manuel João da Fonseca (séc. 17).

Cronologia

Séc. 16 - construção; séc. 17 - revestimento azulejar; 1678 - modificação da capela-mor; 1686, 21 novembro - o retábulo-mor foi feito pelo entalhador Manuel João da Fonseca, ficando o encomendador a dever 60$000 (FERREIRA, vol. II, p. 534, 542-543); 1709 - data das portas almofadadas.

Dados Técnicos

Estrutura de alvenaria rebocada e cantaria

Materiais

Calcário, azulejos, talha, pintura e mármores. Cobertura de telha.

Bibliografia

AZEVEDO, Carlos de, FERRÃO, Julieta, GUSMÃO, Adriano de, Monumentos e Edifícios Notáveis do Distrito de Lisboa, Lisboa, 1962; ALMEIDA, José António Ferreira de, Tesouros Artísticos de Portugal, Lisboa, 1976; CORREIA, José Eduardo Horta, A Arquitectura - Maneirismo e "estilo chão" in História da Arte em Portugal, vol. 7, Lisboa, 1986, p. 93 - 135; FERREIRA, Sílvia Maria Cabrita Nogueira Amaral da Silva, A Talha Barroca de Lisboa (1670-1720). Os Artistas e as Obras, Lisboa, Dissertação de Doutoramento em História da Arte apresentada à Faculdade de Letras de Lisboa, 2009, 3 vols.; MECO, José, Azulejaria Portuguesa, s.l., 1989; PEREIRA,José A. M., Santa Maria de Azambuja, Subsídios: Património - História e Arte, Azambuja, 2001; SERRÃO, Vítor, História da Arte em Portugal - o Barroco, Barcarena, Editorial Presença, 2003.

Documentação Gráfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Administrativa

IHRU: DGEMN/DSID

Intervenção Realizada

1970 - Necessitava substituição do telhado, reparação do pavimento e caiação das paredes; 1971 - Igreja faz obras na cobertura e caiação exterior; 1980 - remodelaçao da zona do altar-mor; 1981 - obras de reparação em tectos e caixilhos; conclusão do restauro no tecto das naves laterais; fixação da instalação eléctrica existente junto ao tecto; conservação e restauro de azulejos; 1985 - reparação e conservação de 3 altares laterais; 1998 - intervenção de salvaguarda no restauro da Talha Dourada; 2001 - obras de conservação da cobertura e do exterior; 2014 - tratamento de rebocos e pinturas exteriores; limpeza das cantarias da porta travessa.

Observações

Da oficina de Simão Rodrigues e do início do séc. 17.

Autor e Data

Paula Noé 1991

Actualização

Paula Correia 2002
 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login