Livraria Lello & Irmão

IPA.00003972
Portugal, Porto, Porto, União das freguesias de Cedofeita, Santo Ildefonso, Sé, Miragaia, São Nicolau e Vitória
 
Edifício construído no início do séc. 20, em estilo ecléctico, com planta rectangular e frontespício de dois pisos de linhas neogóticas. Após as obras de restauro, no piso da galeria anteriormente utilizado pelos serviços administrativos passou a ser ocupado por uma área de discos, uma outra de livros antigos pertencentes ao seu espólio, uma de exposições de artes plásticas, um sistema informatizado de acesso ao mercado internacional e ainda uma cafetaria.
Número IPA Antigo: PT011312150119
 
Registo visualizado 763 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Comunicações  Serviço editorial    

Descrição

Edifício de planta rectangular de dois pisos. Massa simples. Cobertura em telhado de quatro águas com platibanda. A fachada principal orientada a S. confronta com a R. das Carmelitas e relaciona-se com a Pç. de Lisboa. Apresenta-se composta, ao nível do primeiro piso, por um arco abatido dividido em três vãos, sendo o central a porta de entrada e os laterais vitrines, cada um deles encimado por bandeira adaptada ao recorte do arco. Sobre o arco abatido três janelas rectangulares alongadas. A ladear as janelas duas figuras pintadas representando a Arte e a Ciência. A rematar a fachada uma platibanda rendilhada, sobrepujada por três pináculos decorados. A ladear a fachada, duas pilastras terminadas superiormente por pináculos de igual desenho. Completa a decoração elementos decorativos vegetais sobre as janelas, frisos com formas geométricas, por vezes formando jogos alternados, e a designação da firma "LELLO & IRMÃO" sobre o arco abatido, tudo com uma cor viva que realça sobre a pintura branca da fachada. O amplo espaço interior é marcado ao centro por uma escadaria bifurcada de ligação a uma galeria no 1º piso. Sobre a escadaria um amplo vitral de 8 metros por 3.5m.. Ao centro do vitral a divisa "Decus in Labore" com o monograma dos proprietários. Destacam-se os tectos trabalhados e o tratamento exaustivo de todas as superfícies com madeira.

Acessos

Vitória, Rua das Carmelitas, n.º 144

Protecção

Categoria: MIP - Monumento de Interesse Público / ZEP, Portaria n.º 625/2013, DR, 2.ª série, n. º182, de 20 setembro 2013

Enquadramento

Urbano, flanqueado, inclui-se numa das frentes da Praça de Lisboa. Na sua proximidade situa-se a Faculdade de Ciências e a Igreja e Torre dos Clérigos. Destaca-se no contexto pela linguagem arquitectónica.

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Comunicações: serviço editorial

Utilização Actual

Comunicações: serviço editorial

Propriedade

Privada: pessoa coletiva

Afectação

Sem afectação

Época Construção

Séc. 20

Arquitecto / Construtor / Autor

ENGENHEIRO: Abel Botelho e Xavier Neves. PINTOR: José Bielman.

Cronologia

1869 - É fundada a Livraria Internacional, na R. dos Clérigos pelo francês Ernesto Chardron; 1881 - José Lello com o cunhado cria a firma David Pereira & Lello; 1882 - Após a morte de David Lourenço Pereira a firma passa a chamar-se José Pinto de Sousa Lello & Irmão; 1891 - A Livraria Chardron adquire os fundos da congénere A. R. da Cruz Coutinho e de outras duas livrarias da cidade; 1894 - Mathieux Lugan vende a Chardron aos irmãos José e António Pinto de Sousa Lello; 1898, 7 Abr. - É comprada a Livraria Lemos & Cª.; 1906 - Inauguração da actual Livraria Lello; 1919 - A livraria passa a designar-se de Lello & Irmão, Lda.; 1930 - Com a entrada de José Pereira da Costa passa a chamar-se Livraria Lello; 1930 - 1940 - Volta a designar-se Lello & Irmão; 1981, 14 dezembro - proposta de classificação pela Delegação Regional do Norte da Secretaria de Estado da Cultura; 1993, 28 setembro - Despacho de abertura do processo de classificação pelo presidente do IPPAR; 1994, 24 março parecer do Conselho Consultivo do IPPAR a favor da classificação como Imóvel de Interesse Público; 1995 - A Lello & Irmão cria uma nova sociedade: a Prólogo Livreiros S.A.; 1995, 15 março - reabertura da livraria após obras de restauro e remodelação; 2011, 14 março - o Gabinete do Secretário de Estado da Cultura solicita a apresentação de uma proposta de Zona Especial de Proteção; 12 abril - porposta de uma Zona Especial de Proteção pela DRCNorte; 31 maio - parecer favorável à proposta da Zona Especial de Porteção, pelo Conselho Nacional de Cultura; 2013, 28 de janeiro - Projeto de Decisão relativo à fixação da ZEP, publicado no anúncio n.º 35/2013, DR, 2.ª série, n.º 19; 2015, julho - passa-se a cobrar entradas para visitar a livraria; 2016, 21 abril - início da pintura de um mural artístico para ocultar os andaimes colocados na fachada do edifício, enquanto decorrer o seu restauro, pelo graffiti writer Dheo e o colega Pariz One; writer Dheo pintará a zona central do mural com uma pilha de livros antigos, uma vela acesa e uma garrafa de vinho do Porto, enquanto o restante será pintado por Pariz One com formas geométricas, remetendo aos vitrais do interior da livraria; prevê-se que as obras demorem dois meses; 31 julho - põe-se a descoberto a fachada principal do imóvel, após as obras de restauro da mesma, onde, na sequência de análises laboratoriais, se recuperou a primitiva cor cinzenta;

Dados Técnicos

Estrutura mista.

Materiais

Paredes exteriores de alvenaria de granito rebocado pelo lado exterior e interior; Pavimento em soalho de madeira; Cobertura em estrutura de madeira e revestida a telha de barro; Caixilharias de madeira; Tectos de madeira.

Bibliografia

CARDOSO, Margarida David - «Livraria Lello acordou de cara lavada, como era há 110 anos». Público. 21 julho 2016, p. 61; Jornal Público, Porto, 15 Março, 1995; http://arqpapel.fa.utl.pt/jumpbox/node/74?proj=Livraria+Chardron+-+Livraria+Lello+%26+Irm%C3%A3os, 12 Setembro 2011; «Mural de arte urbana vai "tapar" livraria Lello». In Público. Porto: 21 abril 2016, p. 14.

Documentação Gráfica

Documentação Fotográfica

DGPC: DGEMN:DSID, SIPA

Documentação Administrativa

Intervenção Realizada

1995 - Obras de restauro e remodelação; 2016 - obras de restauro da fachada e do interior da loja; remoção do vitral do interior e respetiva limpeza e restauro.

Observações

*1 - O espaço da Livraria no Bairro das Carmelitas, existe no lugar do antigo Convento de São José e Santa Teresa das Religiosas Carmelitas Descalças. *2 - A componente editorial desta livraria está ligada a grandes autores como: Padres António Vieira e Manuel Bernardes, Eça de Queirós, Camilo de Oliveira, Basílio Teles, Guerra Junqueiro, Sampaio Bruno, Amorim Viana, Cunha Seixas, Antero, Teófilo Braga, Fialho de Almeida, Tomás Ribeiro e Abel Botelho. *3 - Actualmente o responsável da editorial e livraria portuense José Manuel Lello, com 50% do Capital da sociedade Prólogo Livreiros, S.A., integra ainda Antero Braga e Eduardo Martins Soares, este último responsável da editora Difusão Cultural. José Manuel Lello herdou aos 13 anos de seu avô a Lello & Irmão Editores (cuja fundação remonta a 1881). *4 - Nas obras de restauro realizadas em 1995, foi executada uma réplica de um carrinho do tipo vagão de transporte dos livros que outrora chegavam de carros de bois até ao edifício e sobre carris deslizavam até ao armazém.

Autor e Data

Isabel Sereno 1995

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login