Fonte dos Leões

IPA.00003969
Portugal, Porto, Porto, União das freguesias de Cedofeita, Santo Ildefonso, Sé, Miragaia, São Nicolau e Vitória
 
Arquitectura civil pública, neoclássica. Fonte central neoclássica, de duas taças sobrepostas escalonadas, decoradas por quatro leões alados posto em cruz sobre o tanque. A Fonte dos Leões integrava-se no sistema de abastecimento de água à cidade, visto que do reservatório de Santo Isidro saía uma conduta até à câmara de manobras da Fonte dos Leões, localizada no subsolo junto a esta. A fonte além de constituir um elemento decorativo, constituía um elemento de passagem, para ventilação e oxigenação das águas e para aliviar a pressão das condutas.
Número IPA Antigo: PT011312150102
 
Registo visualizado 436 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Estrutura  Hidráulica de elevação, extração e distribuição  Chafariz / Fonte  Chafariz / Fonte  Tipo centralizado

Descrição

Fonte central de eixo em cruz com grupo escultórico na base apoiando-se quatro leões sentados com asas sentados em cada extremo. A intercalar cada leão, o eixo da fonte possui uma coluna com base, fuste e capitel. A encimar, duas taças centrais, circulares sobrepostas e escalonadas. O remate superior é tipo pinha. O tanque em granito de forma octogonal é de bordos arredondados. O perfil exterior das paredes do tanque é ondulado. O bordo da taça do plano inferior é contornada em alto relevo por um friso com elementos vegetais, interrompido apenas por quatro cornetas de onde jorra água.

Acessos

Vitória, Praça de Gomes Teixeira; Praça de Parada Leitão; Rua do Carmo; Praça Carlos Alberto; Rua de Sá Noronha; Praça de Guilherme Gomes Fernandes; Rua das Carmelitas

Protecção

Em estudo / Incluído na Zona Especial de Protecção da Igreja e Torre dos Clérigos (v. PT011312150003)

Enquadramento

Urbano, isolado, no centro da placa ajardinada da Praça de Gomes Teixeira.

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Hidráulica: chafariz

Utilização Actual

Cultural e recreativa: fonte ornamental

Propriedade

Pública: Municipal

Afectação

Sem afectação

Época Construção

Séc. 19

Arquitecto / Construtor / Autor

Compagnie Générale des Eaux pour l'Etranger (cons.), com sede na Rue Saint-Honoré, nº 52, Paris

Cronologia

1880 - É posto a concurso o Abastecimento de águas ao Porto, por António Pinto de Magalhães (presidente da C.M.P.) no D.G., nº 179; 1882 - É assinado o contrato com a única empresa concorrente Compagnie Générale des Eaux pour l'Etranger, 17 Jul. - Elaborado um decreto que aprova o anterior contrato provisório; 27 Jul. - O decreto real que promolgou a Carta de Lei; 1883 - Iniciam-se as obras gerais de abastecimento á cidade; apresentado o projecto do abastecimento das águas com o desenho da fonte dos Leões; 30 Ago. - O desenho da fonte é indeferido pela Comissão Municipal; 1885, 13 Ago. - É aprovado pela Vereação o projecto enviado por Carlos de Pezerat a 4 de Julho; 25 Set. - é começada a construção da fonte (atr.); 1886, 19 Dez. - Começa a jorrar água; 1887, 1 Jan. - Está concluído o serviço público de abastecimento de água à cidade do Porto; 1942, a partir de - a Fonte dos Leões deixou de ser passagem obrigatória das condutas para a cidade e passou ser alimentada pela Arca de Sá Noronha.

Dados Técnicos

Estrutura autoportante.

Materiais

Granito pintado (tanque); bronze pintado (fonte).

Bibliografia

O Comércio do Porto, 21 Dezembro 1886; MARÇAL, Horácio, O abastecimento de água à cidade do Porto e á vila de Matosinhos, in O Tripeiro, VI Série, ano VIII, nº 11, pág. 344;

Documentação Gráfica

Documentação Fotográfica

DGPC: DGEMN:DSID, SIPA

Documentação Administrativa

Intervenção Realizada

Observações

Na altura da construção da fonte, a praça chamava-se dos Voluntários da Rainha. Posteriormente, depois da construção da Escola Politécnica (actual Faculdade de Ciências), o local passou a chamar-se Pç. da Universidade. Actualmente e pela presença da Fonte esta praça é designada por Pç. dos Leões. No ponto 5 do contrato que atribuiu à firma francesa o abastecimento de àguas à cidade, esta era obrigada a construir uma fonte monumental na Pç. dos Voluntários da Rainha. Existem gravuras antigas onde é visível uma vedação em ferro junto ao tanque. A arca de abastecimento da fonte, a partir de 1942, construída em granito, localiza-se na mesma praça, a uns 40 metros de distância. Esta Carta de Lei dada no Paço da Ajuda é rubricada pelo António Maria de Fontes Pereira de Melo e Thomas António Ribeiro Ferreira.

Autor e Data

Isabel Sereno 1996

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login