Convento dos Congregados / Câmara Municipal de Estremoz / Biblioteca Municipal de Estremoz / Museu de Arte Sacra de Estremoz

IPA.00003948
Portugal, Évora, Estremoz, União das freguesias de Estremoz (Santa Maria e Santo André)
 
Arquitectura religiosa e residencial, renascentista, barroca. Edifício de aparato obedecendo aos cânones do entrosamento do barroco no despontar do neoclassicismo joanino, edificado sobre palácio renascentista; a frontaria da Igreja pode considerar-se o protótipo fundador dos modelos de Mafra e da Basílica da Estrela. Igreja inacabada.
Número IPA Antigo: PT040704060023
 
Registo visualizado 984 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Conjunto arquitetónico  Edifício e estrutura  Residencial senhorial  Paço senhorial    

Descrição

Edifício de planta centralizada, sensivelmente quadrada, resultante da articulação entre 4 corpos perpendiculares de 2 pisos, térreo e nobre, envolvendo claustro; embebida na fachada SE, com a frontaria liberta no topo E. da fachada NE, a Igreja inacabada. Cobertura homogénea em telhado circundante de 2 águas, excepto para a Igreja que ficou descoberta. A fachada principal, virada a NE, resulta da articulação da frontaria do Convento, com a da Igreja inacabada; a fachada do Convento, com o pórtico de moldura em silharia esquadriada encostado ao vértice NO, é rasgada por 3 registos sobrepostos de 10 vãos, no 1º lunetas quadradas e nos restantes janelas de molduras em silharia esquadriada. A frontaria da Igreja, integralmente em silharia e cantaria de mármore, com 5 registos horizontais definidos por sólidos pilares apilastrados, dispõe-se em 3 registos sobrepostos, sendo o derradeiro constituído por duas torrres campanários, com 2 vãos em cada face e os cunhais apilastrados; no registo horizontal central, de fronte panorâmica, rasga-se o majestoso pórtico de arco de volta perfeita, sobrepujado, no 2º registo, por grande varanda de sacada, joanina. Na portaria silhar de azulejo historiado recortado superiormente.

Acessos

Rossio Marquês de Pombal

Protecção

Categoria: IIP - Imóvel de Interesse Público, Decreto n.º 516/71, DG, 1.ª série, n.º 274 de 22 novembro 1971 / ZEP, Portaria, DG, 2.ª série, n.º 52, de 2 março 1972

Enquadramento

Urbano, em cota estável de pequena planície do sopé da escarpa da Cidade, embebido entre casario, com a fachada liberta para o Rossio a NE., harmonizado com a envolvência.

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Residencial: paço senhorial

Utilização Actual

Política e administrativa: câmara municipal / Cultural e recreativa: museu

Propriedade

Pública: municipal

Afectação

Época Construção

Séc. 16 / 17

Arquitecto / Construtor / Autor

EMPREITEIRO: António Franco (1698); PINTOR DE AZULEJOS: Policarpo de Oliveira Bernardes (atr.); VEDOR: Pe José da Silveira (1698)

Cronologia

Séc. 16 - edificação do palácio de D. Constantino de Bragança, que mais tarde foi transformado para receber o Convento; 1697 - compra do Palácio da Casa de Bragança, entretanto confiscado pela Coroa em 1640, por D. Nuno Álvares Pereira de Melo, Duque de Cadaval, e doação para instalação do Convento; 1698 / 1700 - primeira campanha de obras, incluindo a Igreja inacabada; 1703 - segunda campanha de obras; Séc. 18, 1ª metade - azulejos historiados da Portaria atribuídos a Policarpo de Oliveira Bernardes.

Dados Técnicos

Estruturas mistas

Materiais

Alvenaria, cantaria e silharia de mármore

Bibliografia

Documentação Gráfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Administrativa

IHRU: DGEM/DSID

Intervenção Realizada

Observações

Autor e Data

Castro Nunes 1994

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login