Cromeleque dos Almendres / Cromeleque na Herdade dos Almendres

IPA.00003946
Portugal, Évora, Évora, União das freguesias de Nossa Senhora da Tourega e Nossa Senhora de Guadalupe
 
Cromeleque típico de um universo que caracteriza a arquitectura megalítica da região de Évora, que encontramos em alguns outros conhecidos cromeleques regionais (Portela de Mogos, em Montemor o Novo) e em outros recém descobertos (Vale de Maria do Meio, em Évora). A cronologia relativa dos monumentos deste universo, cromeleques e menires, é extremamente complexa, podendo cobrir uma extensa faixa, desde o Eneolítico à Idade do Ferro plena. Este monumento tem o privilégio de poder, na óptica dos trabalhos que Mário Varela Gomes tem levado a cabo na região, ser associado a um pequeno povoado calcolítico nas imediações. Os vestígios de implantação romana na Herdade dos Almendres, nomeadamente os restos de aras que rolam pelo pátio da área residencial, testemunham que a sacralidade ou venerabilidade do lugar teve grande resistência e âmbito cronológico. Estrutura complexa, sai fora dos cânones dos monumentos similares da Península, com paralelo apenas em um pequeno universo no termo de Évora. A par do Cromeleque de Vale de Maria do Meio (v. IPA.00034014) e do Cromeleque da Portela de Mogos (v. IPA.00004457), constitui um dos grandes recintos megalíticos do aro eborense.
Número IPA Antigo: PT040705040059
 
Registo visualizado 2552 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Conjunto arquitetónico  Estrutura  Religioso  Alinhamento    

Descrição

CROMELEQUE: Recinto de planta sensivelmente circular, definido por floresta de c. de 95 monólitos de granito, dispostos em pequenos aglomerados que aparentam definir pequenos micro-universos. As estacas têm uma forma almendrada; algumas são de grandes proporções, com c. de dois metros e meio de altura, predominando todavia os aglomerados de pequenos fitos baixos e largos. O conjunto dissemina-se por uma vasta área de c. 70X40 metros nas extensões máximas, com orientação axial NO. - SE. Os fitos apresentam sintomas de profunda erosão, sobretudo nas superfícies mais expostas aos elementos, mas vários ostentam vestígios de decoração ou ornamentação, com covinhas ou linhas sinuosas e radiais; dois, pelo menos, são no que a isso diz respeito inequívocos e assinaláveis: um com um universo de covinhas a definir claramente uma intenção esquemática e outro com uma banda de linhas sinuosas paralelas disposta verticalmente. Estes dois e c. de mais meia dezena, que não parecem ter pertencido a nenhum dos aglomerados, assumem posição de destaque na ordenação global do conjunto, assumindo-se como menires - estelas. MENIR: com c. de 3,5 metros de altura e 0,90 de diâmetro máximo; tem forma fálica e porte majestoso, com um pequeno e já muito difuso registo ornamental, em forma que pode interpretar-se como de báculo ou enxó.

Acessos

EN Évora - Montemor o Novo, desvio para Guadalupe, passar a povoação e continuar em direcção à Herdade dos Almendres. O cromeleque encontra-se dentro da herdade, a c. de 1,5 Km a SO, e o menir nos limites da área residencial e abegoarias da Herdade, na banda de E.. Parque de estacionamento com capacidade para c. de 20 viaturas ligeiras ou c. de 5 autocarros

Protecção

Categoria: MN - Monumento Nacional, Decreto n.º 4/2015, DR, 1.ª série, n.º 44 de 04 março 2015

Enquadramento

Rural, em meia encosta vertente a SE. de uma das cotas supremas da Serra de Montemuro, isolado, harmonizado com o meio envolvente. O menir ergue-se in situ nos limites da área residencial e abegoarias da Herdade dos Almendres, da banda E.. A c. de 300m parque de estacionamento.

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Religiosa: alinhamento

Utilização Actual

Cultural e recreativa: marco histórico-cultural

Propriedade

Privada: pessoa singular

Afectação

Sem afectação

Época Construção

Época megalítica

Arquitecto / Construtor / Autor

Não aplicável.

Cronologia

4000 a.C. - 3000 a.C. - edificação do imóvel segundo a época correntemente proposta para o megalitismo de Évora; 1987 - 1992 - encontrando-se até aí grande parte dos monólitos por terra, o complexo é reedificado por Mário Varela Gomes, tendo o cuidado de procurar o seu primitivo alvéolo de implantação; 1970, 21 agosto - Despacho de homologação de classificação como IIP - Imóvel de Interesse Público; 1974, 21 dezembro - classificação do Cromeleque e menir na Herdade dos Almendres como Imóvel de Interesse Público, pelo Decreto n.º 735/74, DG, 1.ª série, n.º 297; 2012, 31 de Janeiro - conclusão trabalhos implementação parque estacionamento, obra realizada pela CME, no valor de 6.700Eur; 2012, 15 março - Proposta da DRCAlentejo para a reclassificação do Cromeleque dos Almendres como MN - Monumento Nacional, mantendo-se o menir como IIP e de fixação de ZEP; 2012, 09 maio - Parecer favorável à classificação como MN do cromeleque e à ZEP pela SPAA do Conselho Nacional de Cultura; 2012, 21 setembro - Anúncio n.º 13447/2012, publicado no DR, 2.ª série, n.º 184, de projeto de decisão de classificação como MN e fixação de ZEP; 2019, 21 março - publicação da Resolução da Assembleia da República n.º 42/2019, DR, 2.ª série, n.º 57/2019, recomendando ao Governo que adote as medidas que possam dar resposta ao estado de abandono e de degradação do Cromeleque dos Almendres, do Menir dos Almendres, da Anta Grande do Zambujeiro e do Cromeleque Vale Maria do Meio; 2019, 15 junho - inauguração do centro interpretativo, construído junto ao monumento.

Dados Técnicos

Monólitos

Materiais

Granito de gão grosseiro

Bibliografia

CÂMARA MUNICIPAL DE ÉVORA, Roteiro do Megalitismo de Évora, edição coordenada por António Carlos Silva, Évora, 1992; GONÇALVES, José Pires, Roteiro de Alguns Megálitos da Região de Évora, Évora, 1975; GONÇALVES, José Pires, VARELA GOMES, Mário e SANTOS M. Farinha dos, Os Menires da Pedra Longa, in Arqueologia e História, Lisboa 1986; SANTOS, M. Farinha dos, Pré-História de Portugal, Lisboa, 1985; VARELA GOMES, Mário, Aspects of Megalithic Religion According to the Portuguese Menhirs, in Valcamonica Symposium, III, Capo di Monte, 1979.

Documentação Gráfica

IPPAR : plantas antes e após a reedificação por Mário Varela Gomes.

Documentação Fotográfica

IHRU: SIPA, DGEMN/DSID

Documentação Administrativa

IHRU: DGEMN/DSID

Intervenção Realizada

1987 - 1992 - Campanhas de limpeza, escavação e reedificação, por Mário Varela Gomes; CME: 1993, c. de - reparação da estrada de acesso ao imóvel; CME (em articulação com a DRCALEN e o proprietário da herdade): 2011 - 2012 - implementação de parque de estacionamento.

Observações

Autor e Data

Manuel Branco 1993

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login