Parque Alta Vila

IPA.00003911
Portugal, Aveiro, Águeda, União das freguesias de Águeda e Borralha
 
Espaço verde de recreio. Parque romântico, utilizando materiais locais como base de construção, inscreve-se no gosto "Fin de Siècle", bem representado pelos jardins e pela tentativa de edificar um ambiente romântico, de trajectos sinuosos e ruínas fingidas. A distribuição dos diversos componentes pelo parque patrocina o aspecto surpresa.
Número IPA Antigo: PT020101040007
 
Registo visualizado 169 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Espaço verde  Parque  Parque  Romântico    

Descrição

Planta irregular. Constituída por uma área de 31.400 metros quadrados, engloba variadíssimas construções, com manifesta unidade formal mas de planimetrias variadas. A entrada, excêntrica, ladeada por guaritas, saliente e de arcaria ogival é rematada, tal como a cerca, por ameias. O circuito interno do parque passa pela Casa Principal e o contíguo Pavilhão de Caça - zona habitacional dos antigos proprietários, construída em materiais diversos, com jogos volumétricos das coberturas que acentuam as irregularidade da planta, com uma zona alpendrada e uma outra, recuada, onde se rasga um arco abatido que se divide em portaria e janelão, com várias chaminés - a Capela - de planta rectangular, alpendrada e situada ao cimo de uma escadaria dupla situada num fosso com ruínas fingidas e ladeada por ponte - a Casa do Guarda - também de planta irregular, com telhado de duas águas e chaminé central, com um corpo avançado lateralmente, e vãos com cimalhas triangulares - a Estufa - pavilhão em ferro forjado em frente de uma zona ajardinada, tendo ao lado alpendre em madeira - o Campo de Ténis - com uma bancada em escadaria de pedra com remates laterais - um mini-zoológico, já abandonado, onde se ergue um pequeno torreão com vãos ogivais e escadaria em caracol e ainda a zona do jardim e do lago. O Jardim, situado defronte à antiga zona residencial e o Lago artificial com três pontes - uma delas dando acesso a um pequeno coreto - completam o lençol verde do bosquedo, fortemente arborizado com palmeiras e outras árvores exóticas.

Acessos

Rua Dr. Eduardo Caldeira; Rua da Alta Vila

Protecção

Categoria: IM - Interesse Municipal, Decreto nº2/96, DR, 1ª Série, nº 56, de 06 março 1996

Enquadramento

Urbano. É a zona verde, por excelência, da cidade, isolada por estrutura murada, com construções várias, zonas ajardinadas e arvoredo.

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Recreativa: parque

Utilização Actual

Recreativa: parque

Propriedade

Pública: municipal

Afectação

Sem afectação

Época Construção

Séc. 19

Arquitecto / Construtor / Autor

Desconhecido

Cronologia

1848 / 1902 - Edificado por Eduardo Caldeira, membro da Casa da Borralha (Condes Caldeira), filho do 1º Visconde da Borralha e irmão do poeta Fernando Caldeira (revestimento florestal e ajardinamento, lago artificial, "court de ténis", estufa de flores, residência, capela, abegoarias e torreões); 1910 - a família Melo Freitas (Artur de Melo Freitas e Maria de Melo Corga) compra a propriedade, fazendo alterações na parte habitacional e anexos; com a morte da última titular, a Câmara Municipal herda, por testamento, grande parte da Quinta da Alta Vila; 1985 - a Câmara Municipal adquire aos herdeiros a parte restante do parque.

Dados Técnicos

Estrutura mista

Materiais

Adobe (técnica local com a utilização de seixos e argamassas).

Bibliografia

ARAÚJO, Ílidio: Arte Paisagista e Arte dos Jardins em Portugal, Lisboa, 1962; Breve Historial, Câmara Municipal de Águeda; http://www.patrimoniocultural.pt/pt/patrimonio/patrimonio-imovel/pesquisa-do-patrimonio/classificado-ou-em-vias-de-classificacao/geral/view/71594 [consultado em 08 julho 2016].

Documentação Gráfica

CMA; IHRU: DGEMN / DSID

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN / DSID

Documentação Administrativa

CMA (Projecto de recuperação e beneficiação); IHRU: DGEMN / DSID / DREMC

Intervenção Realizada

CMA: 1996 - início da transformação e remodelação de todo o local. Os trabalhos serão realizados por fases, estando já a 1º fase de intervenção projectada pelo gabinete de arquitectura camarário.

Observações

Autor e Data

Carlos Ruão 1996

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login