Mosteiro de Gondar / Igreja de Santa Maria / Igreja Velha

IPA.00003874
Portugal, Porto, Amarante, Gondar
 
Arquitectura religiosa, românica e gótica. Igreja de estrutura românica profundamente alterada no século 18,visível na abertura de vãos, surgindo frestas e janela em capialço. De planta rectangular composta por nave única, capela-mor com sacristia adossada e pequeno campanário, cuja estrutura, sugere um certo paralelismo com outros existentes em território galego. Igreja de grande simplicidade, com três portais em arco quebrado, sem qualquer decoração. A pouca decoração concentra-se nos cachorros de decoração geométrica cujos símbolos estão relacionados com a actividade agrícola; três bolas em linha recta representa os grãos da haste de cereal pronto a ser colhido, três bolas em triângulo corresponde ao cacho de uvas, pequeno cilindro como símbolo do tonel de vinho. A capela-mor apresenta um acrescento de uma parede destinada a albergar o amplo nicho onde terá existido um retábulo, com acesso por vão de verga recta para o serviço do culto.
Número IPA Antigo: PT011301170017
 
Registo visualizado 932 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Religioso  Convento / Mosteiro  Mosteiro feminino  Ordem de São Bento - Beneditinas

Descrição

Planta longitudinal composta por nave única e capela-mor mais estreita, a que se adossa corpo rectangular mais baixo e estreito e lateralmente a S., sacristia de planta quadrangular. Volumes escalonados com coberturas diferenciadas em telhados de duas águas na nave e capela-mor, e de três na sacristia. Fachadas em aparelho isódomo de granito; remates em empena, sendo coroada na fachada principal por cruz, e em cornija, suportado por cachorrada, com alguns modilhões decorados Fachada principal orientada, com portal principal enquadrado por três arquivoltas, em arco ligeiramente quebrado, com a arquivolta exterior envolvida por friso enxaquetado e o tímpano liso. É encimado por óculo circular com cinco orifícios dispostos segundo os quatro braços de uma cruz, e moldura granítica. Fachadas laterais da nave rasgadas por porta com duas arquivoltas em arco quebrado, com tímpano liso assente em impostas salientes, enquadrado por duas frestas. Na fachada lateral S., sob a cobertura, ergue-se um campanário de dupla sineira de arco de volta perfeita, assente em impostas salientes, encimado por cornija, e coroado por dois pináculos piramidais. Na fachada virada a N. da capela-mor abre-se uma fresta e na fachada virada a S. uma janela rectangular gradeada em capialço, com moldura granítica; o corpo adossado possui uma pequena fresta também virada a S.; a fachada posterior é cega. O corpo da sacristia possui na duas frestas, uma virada a S. e outra a E. e a O. uma porta de verga recta. INTERIOR com paredes em granito aparente, pavimento em lajeado de granito e cobertura em madeira. Junto à parede fundeira, no lado do Evangelho, surge a pia baptismal de taça poligonal, em cantaria, assente em pé também poligonal, e do mesmo lado, numa posição elevada, a base de um púlpito já desaparecido, de forma rectangular em cantaria sobre mísula, gravada com um rectângulo, acedido por vários degraus de cantaria. Do lado da Epístola, surge nicho de arco de volta perfeita, que deveria albergar um retábulo; ao longo da parede da nave encontram-se fragmentos de pedras tumulares e uma pia de água benta. Arco triunfal de volta perfeita, assente em pilastras toscanas. A capela-mor, com pavimento ligeiramente sobrelevado à nave, possui do lado da Epístola, porta de verga recta de acesso à sacristia. Parede testeira rasgada por arco de volta perfeita, com o intradorso com pintura mural, formando tribuna com acesso por vão de verga recta com cinco degraus de granito, do lado da Epístola. SACRISTIA com paredes pintadas e rebocadas de branco, com excepção da parede a N., pavimento em lajeado granítico, e cobertura de madeira. Possui na parede O. lavabo em cantaria, com espaldar rectangular horizontal, com bica enquadrada por cartela quadrangular; na parede S. numa posição elevada, um pequeno armário de madeira embutido, onde se instalou o quadro eléctrico; e na parede O. abre-se a porta de acesso ao exterior.

Acessos

Gondar, EN 15 (Amarante - Vila Real), EM 572 (Moure) para o Lugar do Mosteiro, ou Gondar Velho. WGS84 (graus decimais): lat. 41.253668º, long. -8.028382º

Protecção

Categoria: IIP - Imóvel de Interesse Público, Decreto nº 95/78, DR, 1ª série, n.º 210 de 12 setembro 1978

Enquadramento

Rural. Situado em local elevado no interior da povoação, enquadrado por casas de habitação e pela estrada municipal; na encosta do Marão, distando seis quilómetros da cidade de Amarante. Insere-se num adro, adaptado ao declive do terreno, mais acentuado junto à fachada posterior, com pavimento a calçada portuguesa, e o contorno da igreja em cantaria, tendo junto à fachada principal um quadriculado formado por lajes graníticas. É protegido por pequeno muro em pedra, com acesso por plataforma a O., precedido por dois degraus. Fronteiro à fachada principal, o muro tem adossado alguns bancos de pedra e uma oliveira, numa cota superior. Na fachada a S., surge uma outra oliveira e um painel informativo sobre o património histórico-cultural de Gondar. Na proximidade, o cruzeiro (v. PT011301170032) e a via romana de Marancinho.

Descrição Complementar

PINTURA MURAL: Apresenta pintura mural no intradorso do arco da capela-mor.

Utilização Inicial

Religiosa: mosteiro feminino

Utilização Actual

Religiosa: igreja

Propriedade

Pública: Municipal

Afectação

Sem afectação

Época Construção

Séc. 14 / 15 / 17 / 18

Arquitecto / Construtor / Autor

Desconhecido.

Cronologia

Séc. 12 - fundação do Mosteiro de Gondar, de freiras beneditinas; 1418 - extinção do Mosteiro, construção da Igreja Paroquial; 1470 - a imagem de Nossa Senhora do Leite sentada, foi oferecida pelo clérigo Pedro Afonso à Igreja de Gondar; 1758, 10 Março - nas Memórias Paroquiais, assinadas pelo pároco António Coelho Pedrosa, é referido que a Igreja tem por orago Santa Maria, com três altares, o mor, onde se conserva o sacrário, e os colaterais do Santo Nime de Jesus e São Sebastião; tem a Irmandade das Almas; tem campanário com sinos de voz suave; o pároco é reitor, apresentado pelo Arcebispo de Braga e tem de renda 150$000; 1918 - venda em hasta pública; 1925 - encontra-se em ruínas; 1978 - foi determinada a classificação da igreja como imóvel de interesse público, pelo Decreto nº 95/78, de 12 de Setembro; 1979 - Março / Abril, limpeza das ruínas pelo povo e presidente da junta de freguesia de Gondar; compra das ruínas pela Câmara Municipal de Amarante a Aurélio Abel de Carvalho e sobrinho Fernandino de Carvalho e Silva; década de 80 - ainda existia a ruína de um corpo de dois pisos adossado à fachada S. da nave da igreja.

Dados Técnicos

Sistema estrutural de paredes portantes.

Materiais

Estrutura em granito aparente, molduras de vãos, cornijas, arcos, cruz, pia baptismal, escadas, torre sineira, mesa de altar e outros elementos em cantaria de granito; pavimento em lajeado de granito; ardósia na mesa de altar; portas e tectos em madeira; grades e caixilhos em ferro; vidro simples, cobertura em telha.

Bibliografia

CAPELA, José Viriato, MATOS, Henrique e BORRALHEIRO, Rogério, As freguesias do Distrito do Porto nas Memórias Paroquiais de 1758 - Memórias, História e Património, Braga, Universidade do Minho, 2000; CARDOSO, António, A igreja românica de Gondar, Câmara Municipal de Gondar, 1979; DUARTE, Paula Cristina, O Mosteiro de Gondar: Património e Rendas, 2003; LEAL, Augusto Soares de Azevedo Barbosa de Pinho, Portugal Antigo e Moderno. Diccionário Geographico, Estatistico, Chorographico, Heraldico, Archeologico, Historico, Biographico e Etymologico de todas as cidades, vilas e freguesias de Portugal, vol. 3, Lisboa, 1882; Património Arquitectónico e Arqueológico Classificado, Inventário, Lisboa, 1993, vol. II, Distrito do Porto; www.jfgondar.com/patrimonio.html, 19 Setembro de 2006.

Documentação Gráfica

DGPC: DGEMN:DSID, DGEMN:DREMN

Documentação Fotográfica

DGPC: DGEMN:DSID, DGEMN:DREMN; Diocese do Porto: Secretariado Diocesano de Liturgia

Documentação Administrativa

DGPC: DGEMN:DSID, DGEMN:DREMN

Intervenção Realizada

DGEMN: 1980 - conservação diversa: trabalhos de impermeabilização dos coroamentos de paredes; trabalhos de limpeza dos paramentos exteriores; reabertura de juntas para nova tomação; 1985 - beneficiação da igreja: construção da cobertura; 1986 - obras de recuperação: desmontagem do altar, com aproveitamento da pedra; levantamento de todo o lagedo da capela-mor, para posterior recolocação, incluindo os degraus; picagem de rebocos, limpeza das juntas em profundidade, recalcamento e refechamento das mesmas; fundação e nivelamento da nave e capela-mor, drenagens necessárias e impermeabilização, recolocação de todo o lagedo da capela-mor, compreendendo o refechamento das juntas e o acerto das pedras e recolocação dos degraus; montagem da pia baptismal, após limpeza da pedra; colocação de portas exteriores, em madeira, incluindo pintura exterior e encerramento na face interior e ferragens; colocação de sanca em madeira de remate no interior da cobertura; fornecimento e colocação de caixilhos em ferro, nas frestas e colocação de vidros; limpeza de todas as cantarias interiores; instalação eléctrica; projecto do pavimento exterior envolvente à igreja e muros de vedação; 1987 - continuação de obras de conservação; 1988 - conclusão dos trabalhos de recuperação: pavimentos em lajeado; tomação de juntas; pintura das paredes da sacristia; limpeza e refechamento das juntas exteriores da cobertura do altar, limpeza da cobertura e substituição de algumas telhas partidas, colocação do altar em cantaria com as almofadas de apoio em ardósia, remate da cabeceira da capela-mor, incluindo o fornecimento de pedra e o refechamento de juntas, limpeza dos paramentos exteriores do lado N. e E.; obras de conclusão da instalação eléctrica; 1989 - conclusão da obra: ramal de electricidade; CMA: década de 90 - arranjos exteriores: pavimentos e muros de vedação; coberturas; 2009 - obras de remodelação exteriores: conservação das coberturas, fachadas e requalificação do espaço exterior.

Observações

As talhas e as imagens foram transferidas para a paroquial de Gondar, de salientar a imagem de Santa Maria de Gondar, em pedra de ançã, policromada, datada de 1470, das oficinas da região de Coimbra. O culto a esta imagem pode ter sido dinamizador à volta do extinto mosteiro e poderá ter suscitado ofertas e doações que podem ter aumentado o património da igreja de Gondar. Segundo António Cardoso, existiram restos de pintura mural na nave, do lado do Evangelho, era possível identificar São Cristóvão, e ainda na capela-mor, também do lado do Evangelho, São João Evangelista, em tons escuros, enquadrado por moldura.

Autor e Data

Isabel Sereno e Paulo Dordio 1995

Actualização

Sónia Basto 2006
 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login