Anta 1 da Herdade do Silval / Anta do Silval / Anta de Silvadas

IPA.00003857
Portugal, Évora, Évora, Nossa Senhora da Graça do Divor
 
Monumento típico do aro eborense, cujo protótipo e talvez o exemplar mais monumental e bem conservado se considera a Anta Grande da Comenda da Igreja, em Montemor o Novo (v. PT04070603007).
Número IPA Antigo: PT040705020001
 
Registo visualizado 120 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Estrutura  Funerário  Anta    

Descrição

Planta longitudinal composta por câmara funerária com planta centralizada poligonal e corredor de acesso com planta quadrangular oblonga. Volumes articulados na horizontalidade, sobre um eixo E-O, com cobertura diferenciada na câmara e no corredor, composta por uma laje de granito na primeira e sequência de dintéis em lajes graníticas no segundo. A face principal é constituída pela projecção vertical da articulação do vão de entrada no corredor, guardada pelos esteios das ombreiras e rematada pelo dintel de cobertura, e pelo vão da parte sobrante da câmara, acima da cota suprema do corredor, fechada por laje já inexistente. As restantes faces são definidas pelos paramentos cegos das lajes dos esteios. A câmara poliginal com 7 esteios, todos, excepto um partido, «in situ», atinge c. de 3,5m de diâmetro. Conserva a cobertura e restos da mamoa, acima da cota da qual se eleva c. de 2 metros. O corredor, com c. de 4m de comprimento, 1,90m de altura e 1,60m de largura, mantém erguidos 3 esteios e igual número de apeados.

Acessos

A c. de 18 Km de Évora. EN 90, troço de Montemor o Novo a Arraiolos, tomar desvio para Évora, pela Valeira. O segundo caminho vicinal a E. conduz ao Monte da Herdade do Silval

Protecção

Categoria: MN - Monumento Nacional, Decreto de 16-06-1910, DG n.º 136 de 23 junho 1910

Enquadramento

Rural, em meia encosta de discreto pendor sobre a Ribeira da Azinheira, adjacente à Ribeira de Paredes, da bacia do Canha - Sado. Isolada no meio de azinhal. A c. de 100m, outra anta, mais destruída e sem cobertura. Dentro da Herdade do Silval conservam-se, para lá destas, mais duas antas

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Funerária: anta

Utilização Actual

Cultural e recreativa: marco histórico-cultural

Propriedade

Privada

Afectação

Época Construção

Época megalítica

Arquitecto / Construtor / Autor

Não aplicável.

Cronologia

4000 a.C. - 3000 a.C - construção.

Dados Técnicos

Estrutura autónoma

Materiais

Granito de grão grosseiro

Bibliografia

VASCONCELOS, José Leite de, Antas dos Arredores de Évora, Lisboa, 1898; LEISNER, Georg e LEISNER, Vera, Antas dos Arredores de Évora, in A Cidade de Évora, Évora, 1949; LEISNER, Georg e LEISNER, Vera, Die Megalithgrãber der Iberischen Halbinsel I - Der Westen, in Madrider Forschungen, I, 1, Madrid, 1956; ALARCÃO, Jorge de, Lições de Pré-História, Coimbra, 1967; SAVORY, H. N., Spain and Portugal, London, 1968; GONÇALVES, José Pires, Roteiro de Alguns Megálitos da Região de Évora, Évora, 1975;

Documentação Gráfica

LEISNER, Georg e LEISNER, Vera, 1956, Tafel 36, 3

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Administrativa

IHRU: DGEMN/DSID

Intervenção Realizada

Observações

De acordo com Georg e Vera Leisner (1956), foi também objecto desta classificação a anta atrás citada, que jaz a cerca de 100m a N., bastante destruída e sem chapéu.

Autor e Data

Manuel Branco e Castro Nunes 1993

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login