Anta da Herdade da Galvoeira / Anta da Herdade do Almo da Cegonha 1

IPA.00003850
Portugal, Évora, Évora, São Bento do Mato
 
Monumento megalítico, típico do aro eborense, cujo protótipo e talvez o exemplar mais bem conservado se considera a Anta Grande da Comenda da Igreja, em Montemor o Novo (v. PT040706030007). Os esteios extremos do corredor são em xisto.
Número IPA Antigo: PT040705190004
 
Registo visualizado 219 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Estrutura  Funerário  Anta    

Descrição

Construção com planta longitudinal composta por câmara com planta poligonal centralizada e corredor de acesso com planta quadrangular oblonga. Volumes articulados na horizontalidade, sobre um eixo E-O, com cobertura diferenciada para a câmara e corredor, composta por grande laje de granito na primeira e sequência de dintéis em laje de granito no segundo. A face principal é constituída pela projecção vertical da articulação do vão de entrada do corredor, guardada pelos esteios das ombreiras e rematada pelo dintel de cobertura, com o vão da parte sobrante da câmara, acima da cota suprema do corredor, fechada com tampa de laje já inexistente. As restantes faces são definidas pelos paramentos cegos das lajes dos esteios. Conserva sete esteios erguidos da câmara poligonal alongada com c. de 3,5 metros de diâmetro máximo. Os esteios elevam-se c. de 2 metros acima da cota do leito da câmara, que ficou descoberta pois o «chapéu» jaz fragmentado no interior. O vão da entrada tem c. de meio metro de largura. O corredor, com c. de cinco metros de comprimento, conserva cinco esteios em cada ilharga, com a particularidade de os dois pares extremos serem de xisto, sendo o resto do monumento em granito. Aos lados do corredor jazem três lajes da sua cobertura

Acessos

A c. de 1 Km a E. do monte da Herdade da Galvoeira. EN 370, a c. de 5 Km de Évora, tomar caminho vicinal à esquerda, depois de passar os pontões sobre o Rio Degebe. A anta fica triangulada pelos Montes das herdades do Sousa da Sé, da Galvoeira e do Álamo da Cegonha

Protecção

Categoria: MN - Monumento Nacional, Decreto de 16-06-1910, DG n.º 136 de 23 junho 1910

Enquadramento

Rural, em pequeno cabeço pendente para a Ribeira do Freixo, da Bacia do Degebe-Guadiana, isolada dentro de floresta de montado.

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Funerária: anta

Utilização Actual

Cultural e recreativa: marco histórico-cultural

Propriedade

Privada

Afectação

Época Construção

Época megalítica

Arquitecto / Construtor / Autor

Cronologia

4000 a.C - 3000 a.C. - construção.

Dados Técnicos

Estrutura autónoma

Materiais

Granito de grão grosseiro, os quatro esteios extremos do corredor em xisto

Bibliografia

LEISNER, Georg, Antas dos Arredores de Évora, in A Cidade de Évora, Évora, 1949; LEISNER, Georg e LEISNER, Vera, Die Megalitgrãber der Iberischen Halbinsel I - Der Westen, in Madrider Forschungen, I, 1, Madrid, 1956;

Documentação Gráfica

LEISNER, Georg, 1949, Estampa VI, 1

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Administrativa

IHRU: DGEMN/DSID

Intervenção Realizada

Observações

Autor e Data

Manuel Branco e Castro Nunes 1993

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login