Convento e Igreja do Salvador

IPA.00003840
Portugal, Évora, Évora, União das freguesias de Évora (São Mamede, Sé, São Pedro e Santo Antão)
 
Mosteiro feminino de clarissas, construído nos séculos 16 e 17, sobre estrutura militar romana e medieval. O mirante com envasados de tijoleira apresenta a feição típica dos monumentos congéneres que se disseminam por todo o Alentejo, como no Convento de Santa Helena do Monte Calvário (v. PT040705210034).
Número IPA Antigo: PT040705050041
 
Registo visualizado 2707 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Religioso  Convento / Mosteiro  Mosteiro feminino  Ordem de Santa Clara - Clarissas (jurisdição do ordinário)

Descrição

Planta composta por igreja de planta longitudinal, corpos anexos adossados a N. e O., Torre sineira quadrangular e dependências conventuais a E.. Volumes articulados, massas dispostas na vertical com cobertura diferenciada em telhados de 2 águas na igreja, de 4 águas na torre sineira e corpos anexos à igreja, de 3 águas nas dependências conventuais. IGREJA: de nave única e fachada principal a S.. TORRE: paramentos de cantaria de granito, regulares e esquadriados nos cunhais e irregulares no enchimento. Conservam-se três pisos, um térreo, um nobre e o supremo de vigia já quase inexistente, apenas com a cachorrada do balcão a despontar em renque na cumeeira da empena com mirante rasgado por envasados em tijoleira em dois pisos sobrepostos. No piso térreo da fachada pórtico de arco quebrado ogival em lanceta, com verga e ombrais chanfrados. No piso nobre três seteiras de rasgo profundo nas empenas laterais; na empena fundeira, pequeno janelão rectangular fechado por envasado de tijoleira. Do piso térreo, coberto por abóbada ogival em cantaria, sobe-se por larga escadaria lateral ao piso nobre, com cobertura em tijoleira assente em vigamentos lenháceos, que descarregam em amplo vão de arco perfeito em cantaria de granito, sulcado pelo interior de meias canas e descansando em mísulas prismáticas. No piso supremo restam algumas portas chanfradas.

Acessos

Praça de Sertório

Protecção

Categoria: IIP - Imóvel de Interesse Público, Decreto n.º 8.252, DG, 1.ª série, n.º 138 de 10 julho 1922 / ZEP, Portaria, DG, 2.ª série, n.º 185 de 11 agosto 1951 (Torre Sineira)

Enquadramento

Urbano, intramuros, em pleno centro histórico, a meia encosta da colina de Évora, a uma cota de 264m, adossado a E. ao Edífico dos CTT (v. PT040705050181).

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Religiosa: mosteiro feminino

Utilização Actual

Política e administrativa: direção regional

Propriedade

Pública: estatal

Afectação

DRCAlentejo, Portaria n.º 829/2009, DR, 2.ª série, n.º 163 de 24 agosto 2009 (torre sineira)

Época Construção

Séc. 16 / 17

Arquitecto / Construtor / Autor

Cronologia

Séc. 03 - 08 - construção integrando provavelmente a primitiva estrutura defensiva romana, Cerca Velha (v. PT040705210040), datável dos séculos 02 e 03; pode todavia ser um pouco mais tardia, dos séculos 07 ou 09; 1590 - o edifício é cedido para instalação do Convento Salvador do Mundo da Província da Piedade da Observância Franciscana; 1604 - a Ordem ocupa o Convento; Séc. 18 - o janelão do piso nobre é fechado; Séc. 20, anos 60 - instalação no edifício da Repartição de Monumentos do Sul da DGEMN; 1995 - criação do Laboratório de Análise de Materiais de Construção oferta do ICCROM de Roma.

Dados Técnicos

Estrutura autónoma

Materiais

Cantaria de granito

Bibliografia

RESENDE, André de, História da Antiguidade da Cidade de Évora, Évora, 1553; PEREIRA, Gabriel, O Convento do Salvador in O Manuelinho de Évora, 1885; FRANCO, Pe. António, Évora Ilustrada, (resumo da obra manuscrita (BPE) homónima do Padre Manuel Fialho), Évora, 1945; Torre do Salvador, Boletim da Direcção-Geral dos Edifícios e Monumentos Nacionais, nº 39, Lisboa, 1945; Ministério das Obras Públicas, Relatório da Actividade do Ministério no ano de 1952, Lisboa, 1953; ESPANCA, Túlio, Inventário Artístico de Portugal-Distrito de Évora, Lisboa, 1966.

Documentação Gráfica

IHRU: DGEMN/DSID, DGEMN/DREMS

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN/DREMS

Documentação Administrativa

IHRU: DGEMN/DSID, DGEMN/ DREMS

Intervenção Realizada

1940 - Demolição dos prédios anexos ao Convento do Salvador; 1964 - Obras de aproveitamento para Reparticipação dos Monumentos do Sul; 1969 - Reparo de estragos causados pelo sismo de 28-02-1969; 1974 - Reparo das coberturas. 1979 - Adaptação de sala para arquivo; 1980 - Portão em ferro forjado, rebocos, abertura de caleiras e pinturas; 1982 - demolição de pavimentos, rodapé de tijoleira, rebocos e pinturas; 1983 - Reparo dos telhados da torre, pavimentos em tijoleira; 1985 - Reparo de pavimentos de xisto; 1986 - Demolição de alvenarias de tijolo, arrancamento de pavimentos de xisto e tijolo, edificação de abobadilhas; 1988 - Janelas basculantes, rompimento do pavimento da Secretaria, pavimento de tijoleira no arquivo; 1989 - Demolição e arrancamento de pavimentos de tijoleira, assentamento de soleiras, tecto falso em termolaminado; 1990 - Tubos de queda de água, corrimão; DGEMN: DREMS: 1997 - instalação eláctica e de iluminação exterior decorativa.

Observações

EM ESTUDO. Fazia parte da primitiva estrutura defensiva da cidade ou foi edificada pouco depois, porventura em época visigótica ou muçulmana. Segundo a tradição, retomada por André de Resende, foi pousada de Sertório e Geraldo Giraldes o Sem Pavor. Integrava antes da instalação do Convento do Salvador as dependências do Paço dos Condes de Sortelha. A igreja do Salvador encontra-se encerrada prevendo-se a sua abertura e reutilização como espaço expositivo; previstas obras de conservação em pavimentos, caixilharias interiores, guarda-vento e limpeza de pedras tumulares.

Autor e Data

Manuel Branco e Castro Nunes 1993

Actualização

António Albardeiro 2005
 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login