Capela do Sagrado Coração de Jesus

IPA.00000384
Portugal, Bragança, Torre de Moncorvo, Torre de Moncorvo
 
Arquitectura religiosa, barroca e rococó. Capela privada de planta longitudinal composta por nave e capela-mor, interiormente com tecto em abóbada de aresta no primeiro e tecto de gamela no segundo, com sacristia adossada à fachada lateral direita. Fachada principal terminada em empena, com friso e cornija, pilastras nos cunhais, coroadas por pináculos e rasgada por portal de verga recta, ladeada por pilastras que suportam friso e frontão de volutas interrompido por cartela e óculo moldurado. A sacristia é rasgada por janelas jacentes e tem sineira sobre a cobertura. Interior com pinturas murais rococós, de diferente temática, formando silhar; coro-alto com órgão e retábulo-mor também rococó. Caracteriza-se exteriormente pelas linhas barrocas, evidenciadas no portal, encimado por duplo friso, um deles convexo, e frontão de volutas enquadrado por pináculos torsos, que também surgem sobre os cunhais da nave; no óculo, com moldura recortada formando cruz grega; e no remate lateral da empena, que é interrompido e onde o friso forma ângulos curvos. A capela adossava-se a um topo da casa a que pertencia, entretanto demolida, e o brasão da família que surgia no frontão do portal foi substituído, provavelmente no início do séc. 20, por cartela com coração inflamado, alusivo ao orago. As janelas jacentes da sacristia interrompem o friso do remate da fachada. No interior, rico em pinturas murais, destacam-se os elementos barrocos e rococós que envolvem a iconografia dedicada ao Sagrado Coração de Jesus e profana. A gramática das pinturas da nave, são mais avançadas que as da capela-mor, apresentando um gosto já rococó. Segundo Liliana Pereira, a temática de carácter profano existente na capela-mor, onde se observa uma maior profusão de elementos arquitectónicos, é bastante comum em Trás-os-Montes. Os elementos arquitectónicos apresentam pintura a marmoreados fingidos, o órgão tem as armas da família e o tecto da capela-mor é decorado com moldura rectangular e concheados, em talha dourada rococó.
Número IPA Antigo: PT010409160010
 
Registo visualizado 126 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Religioso  Templo  Capela / Ermida  

Descrição

Planta longitudinal composta de nave e capela-mor, tendo adossado, à fachada lateral esquerda, um anexo e, à lateral direita, a sacristia. Volumes articulados com coberturas de duas águas. Fachada principal em alvenaria rebocada e pintada de branco, com capela e sacristia de pilastras toscanas nos cunhais, os da capela coroadas por pináculos torsos, assentes em plintos paralelipipédicos. Capela terminada em empena, com friso e cornija, sensivelmente curva nos ângulos, e coroada por cruz latina sobre plinto volutado. Portal de verga recta flanqueado por duas pilastras de fuste com almofada côncava, que suportam frontão de volutas interrompido por cartela recortada com coração inflamado e concha, e tendo lateralmente dois pináculos torsos sobre plintos; é encimado por óculo circular com moldura em granito, em forma de cruz grega. Sacristia terminada em friso e cornija, e rasgada por duas janelas rectangulares jacentes, com molduras de capialço a interromper o friso; sobre a cobertura surge sineira em arco de volta perfeita, sobre pilares e terminada em cornija com volutas, albergando sino. No INTERIOR, com elementos de cantaria pintados a marmoreados fingidos, a nave tem paredes rebocadas, com pinturas murais formando lambris, com iconografia de temática sacra e profana, em castanho, rosa e verde azeitona, inscrita em molduras com concheados bastante irregulares, em tonalidades de azul; coro-alto com órgão de tubos e cobertura em abóbada de cruzaria com os quatro panos pintados, com iconografia religiosa enquadrada por conchedos e açafates de flores, cujas tonalidades variam entre o dourado, o azul, o castanho, o verde e o vermelho. A capela-mor apresenta também pinturas murais nos lambris, com iconografia profana de carácter citadino e fluvial, envolvida em molduras onde predominam os elementos arquitectónicos, as volutas, os elementos florais e figuras de putis e aves, nas tonalidades azul e rosa, criando uma ilusória simetria; retábulo-mor em talha dourada e policroma, e tecto de estuque, tipo gamela, decorado com moldura rectangular, em talha dourada, com concheados nos cantos e nos meios laterais, orelhas laterais e palmetas de expressão livre, nos extremos da moldura; ao centro, surge a representação do Coração Sagrado de Jesus, envolvido por concheados de talha, ligando-se à moldura através de frisos laterais.

Acessos

Largo Frederico de Abreu, Largo do Castelo ou Praça da República

Protecção

Categoria: IIP - Imóvel de Interesse Público, Decreto nº 28/82, DR, 1.ª série, n.º 47 de 26 fevereiro 1982 *1

Enquadramento

Urbano, no centro da vila, adaptado ao declive do terreno, junto ao edifício dos C.T.T. e, tendo do lado direito um parque de estacionamento. Possui frontalmente adro delimitado por pequeno muro envolvente, com portal axial antecedido por dois degraus. À sua frente erguem-se casas de habitação de três pisos.

Descrição Complementar

A fachada lateral, que se encontra no momento posta a descoberto, apresenta dois registos, mostrando o primeiro registo uma porta e o segundo uma janela. *1. HERÁLDICA: O órgão no coro-alto da capela, apresenta escudo no suporte inferior, com as armas dos Carneiros, envolvidas em concheados. PINTURAS MURAIS: nos lambris da nave surge a representação de três peregrinos que descansam, um tocando gaita-de-foles, outro com o braço sobre o cajado ouve a música e o terceiro encontra-se ilegível (no lado esquerdo); dois peregrinos com cajado na mão, caminhando em direcção a uma catedral, (ao centro); um jovem pastor sentado a ler, ao lado de um rebanho, avistando-se ao fundo uma basílica (no lado direito); uma figura masculina descalça, com hábito, segurando com a mão direita um mendigo enquanto que com a mão esquerda aponta para uma igreja (ao centro). Os quatro painéis da abóbada são dedicados ao Sagrado Coração de Jesus e ao Sagrado Coração de Maria. Os lambris da capela-mor têm iconografia profana com representações de pequenas casas, pontes sobre rios, catedrais, pequenos barcos e templos, envolvidas por grinaldas de flores, flanqueada por colunas aletas e encimadas por frisos simples coroados lateralmente por açafates floridos, unidos por grinaldas de flores elevadas ao centro pelo bico de uma ave, à excepção de dois exemplares, onde as grinaldas de flores são elevada por putis, com mantos vermelhos, sentados sobre os frisos superiores.

Utilização Inicial

Religiosa: capela

Utilização Actual

Devoluto

Propriedade

Privada: pessoa singular

Afectação

Sem afectação

Época Construção

Séc. 18

Arquitecto / Construtor / Autor

Desconhecido.

Cronologia

Séc. 18, inícios - Provável construção da capela e casa anexa, designada de Casa do "Cacau", actualmente inexistente, por ordem da família Carneiro de Vasconcelos, que aí viveu; 1743 - construção do órgão; séc. 19 - segundo descrição do Abade de Baçal, o portal da Capela era encimado pela pedra de armas da família Vasconcelos *2; séc. 20 - pertenceu a Emílio Augusto Carneiro Gusmão Vasconcelos; 1975, Março - Despacho do Secretário de Estado da Cultura e Educação Permanente determinando a classificação da capela como imóvel de interesse público; 1985 - demolição da casa, descaracterizando a envolvente da capela; posteriormente, a Câmara ali construiu um parque de estacionamento.

Dados Técnicos

Sistema estrutural de paredes portantes.

Materiais

Estrutura em alvenaria rebocada e pintada; molduras, pilastras, cunhais, capeamento do muro e decoração exterior em granito; portas de madeira; retábulo, decoração de tecto e órgão em talha dourada; tecto e paredes com pinturas murais; cobertura em telha de canudo.

Bibliografia

VALENÇA, Manuel, A Arte Organística em Portugal, vol. 2, Braga, 1990; Gabinete Técnico Local, Inventário do Património, Câmara Municipal de Torre de Moncorvo; PEREIRA, Liliana Maria Ferreira Figueiredo, Estuques no Espaço Doméstico - Contributos para Um Itinerário na Arquitectura Rústica e Nobre do Norte de Portugal, com particular Incidência no Douro Superior. Estudo de uma peça. O Solar dos Pimentéis, em Torre de Moncorvo, 2 vols., Lisboa, (dissertação de Mestrado em História da Arte da Universidade Lusíada), Universidade Lusíada, 2003.

Documentação Gráfica

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Administrativa

IHRU: DGEMN/DSID

Intervenção Realizada

CMTM: 2000, cerca - elaboração de projecto de recuperação da capela pela Câmara, no âmbito do plano de Requalificação Integrada no Centro Histórico da Vila; 2001 - durante as escavações arqueológicas realizadas na zona envolvente do castelo puseram-se a descoberto os alicerces da antiga Casa do "Cacau" *3.

Observações

*1 - DOF:... com toda a sua talha, órgão, quadros e demais recheio. *2 - Na fachada principal, existia pedra de armas com o brasão da família Vasconcelos, um escudo esquartelado, tendo no primeiro quartel as armas dos Carneiros: de vermelho, com banda azul, perfilada de ouro, carregada de três flores-de-lis do mesmo e acompanhada de dois carneiros de prata, armados de ouro; no segundo quartel as dos Vasconcelos: de negro, com três faixas veiradas de prata e de vermelho; no terceiro as dos Mesquitas: de ouro, com cinco cintas de vermelho, postas de banda, cada cinta com fivela, biqueira e três tachões de prata, com as fivelas para cima, bordadura de azul, carregada de sete flores-de-lis de prata; e no último as dos Ataídes: de azul, com quatro bandas de prata. *3 - A Casa do Cacau tinha planta em L, colocando-se a Capela num dos extremos da fachada, ligeiramente saliente à mesma. As paredes eram construídas em xisto, sendo a fachada principal em granito, que conforme documenta fotografia do início do séc. 20, tinha dois pisos, o segundo com lógia suportada por colunas assente em muro de cantaria e acedido por escada de tiro. Frontalmente, desenvolvia-se pátio, empedrado com pequenas pedras de xisto e quartzo, com desenhos de figuras, nomeadamente, uma roda raiada.

Autor e Data

Ernesto Jana 1994 / Sandra Alves 2006

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login