Pelourinho da Lapa

IPA.00003794
Portugal, Viseu, Sernancelhe, Quintela
 
Pelourinho setecentista, de bola, com soco octogonal de quatro degraus, de onde evolui fuste octogonal e capitel bastante elaborada, rematado por esfera.
Número IPA Antigo: PT011818140002
 
Registo visualizado 261 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Estrutura  Judicial  Pelourinho  Jurisdição senhorial  Tipo bola

Descrição

Estrutura em cantaria de granito, composta por soco octogonal com quatro degraus de talhe simples. Do último emerge o fuste igualmente oitavado. O capitel é de rebordo tórico, octogonal assente sobre moldura pouco saliente. O remate é lavrado em espiras, constituído por oito volutas correspondentes às faces do fuste. Quatro delas alternadas, sobem até à parte superior do remate, tornando-se de maior diâmetro que o fuste, com decoração vegetalista que, em cima, com decoração de folhagem se apresenta em forma de corola, onde se encaixa uma esfera de pedra à laia de gema encastrada. Por pináculo uma peça metálica circular, assenta na esfera que suporta uma haste de ferro vertical, portante de cruz floretada nas quatro pontas. Duas hastes metálicas intercedendo-se na horizontal são visíveis acima da da peça metálica circular, já referida.

Acessos

EM 584, na Avenida Padre Ferreira. WGS84 (graus decimais) lat.: 40.870273; long.: -7,576613

Protecção

Categoria: IIP - Imóvel de Interesse Público, Decreto n.º 23 122, DG, 1.ª série, n.º 231 de 11 outubro 1933 / ZEP, Portaria, DG, 2.ª série, n.º 171 de 24 agosto 1972 *1

Enquadramento

Ergue-se, em local destacado, junto à antiga prisão *2, com as armas heráldicas dos Vasconcelos, sobrepujadas por três florões, encimadas por vieira, e no acesso principal ao Terreiro do Santuário da Lapa ( v. PT011818140008).

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Judicial: pelourinho

Utilização Actual

Cultural e recreativa: marco histórico-cultural

Propriedade

Pública: estatal

Afectação

Autarquia local, Artº 3º, Dec. nº 23 122, 11 Outubro 1933

Época Construção

Séc. 18 (conjectural)

Arquitecto / Construtor / Autor

Desconhecido.

Cronologia

1740, 18 Julho - elevação à categoria de Vila por D. João V e concelho, com a freguesia de Quintela; edificação do pelourinho, cadeia e tribunal, sendo comarca com jurisdição própria; 1758 - nas Memórias Paroquiais, assinadas pelo pároco Dionísio José de Lemos, é referido que a povoação, com 140 vizinhos, pertence a Rodrigo de Sobral e Vasconcelos; tem juiz ordinário, 2 vereadores, 2 almotacés, escrivão da câmara, dos órfãos, tabelião, inquiridor e ouvidor; tem casa da câmara; 1781, 26 Maio - D. Maria I atribui-lhe foral; 1885, 24 Outubro - extinção do concelho; 1972, 09 junho - publicação da Zona Especial de Proteção da Capela da Lapa e Pelourinho, pela Portaria publicada no DG, II Série, n.º 135, revogada pela de julho do mesmo ano.

Dados Técnicos

Sistema estrutural autónomo.

Materiais

Estrutura em cantaria de granito; grimpa em ferro.

Bibliografia

ALMEIDA, José António Ferreira de, Tesouros Artísticos de Portugal, Lisboa, 1988; MALAFAIA, E.B. de Ataíde, Pelourinhos Portugueses - tentâmen de inventário geral, Lisboa, Imprensa Nacional - Casa da Moeda, 1997; SOUSA, Júlio Rocha e, Pelourinhos do Distrito de Viseu, Viseu, 1998; SOUSA, Júlio Rocha e, Senhora da Lapa - memorial de recordações, Viseu, 1999; VALE, A. de Lucena, in Revista da Beira Alta, vol. XXII.

Documentação Gráfica

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Administrativa

IHRU: DGEMN/DSID; DGARQ/TT: Memórias Paroquiais (vol. 30, n.º 23, fl. 125-128)

Intervenção Realizada

Nada a assinalar.

Observações

*1 - Zona Especial de Proteção conjunta do Pelourinho (v. PT011818140002) e da Capela de Nossa Senhora da Lapa (v. PT011818140008). *2 - em 1999, em obras para formar um Museu de Arte Sacra.

Autor e Data

João Carvalho 1996

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login