Abrigo com pinturas rupestres de Vale de Junco / Lapa dos Gaivões

IPA.00003726
Portugal, Portalegre, Arronches, Esperança
 
Sítio pré e proto-histórico. Abrigo com arte rupestre. As pinturas podem-se considerar como um "prolongamento tardio de um vigoroso ciclo pictural que floresceu em várias regiões meridionais da Península Ibérica" (SANTOS, 1972); Este abrigo encontra-se "integrado numa grande mancha, geralmente denominada arte esquemática da Andaluzia, que se concentra na Andaluzia Ocidental, províncias de Raiane, Almeria e Sevilha, que se foram estendendo até Badajoz e Cáceres" (MONTEIRO, 1981); ao contrário das gravuras, são raras as pinturas esquemáticas no nosso país; para além das pinturas da Esperança, apenas se conhecem no Abrigo de Pinho Monteiro (PT041202020004), na Lapa da Moura (Colmeais, Idanha-a-Velha), no Cachão da Rapa (PT010403150008), nos abrigos de Pala Pinta (PT011701030007) e de Penas Róias (PT010408120027), em Paredes da Beira (São João da Pesqueira) e em Agro de Pinturas (Cinfães, Viseu).
Número IPA Antigo: PT041202020002
 
Registo visualizado 293 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Sítio  Sítio pré e proto-histórico  Abrigo rupestre  Abrigo com arte rupestre    

Descrição

Abrigo rochoso que possui pinturas rupestres, a tinta avermelhada, do tipo esquemático. Podem identificar-se figuras antropomórficas, zoomórficas, pectiformes, serpentiformes, ramiformes e marcas, aparentemente, de contagem.

Acessos

EM. Arronches - Esperança. Continuar para Hortas de Baixo. À saída desta povoação (decorridos 2400 m da saída da Esperança) cortar à direita por caminho alcatroado que conduz, passados 1150 m, a um parque de estacionamento. O abrigo encontra-se a 100 m para N. e está sinalizado. WGS84 (graus decimais) lat.: 39,148741, long.: -7,172870

Protecção

Categoria: MN - Monumento Nacional, Decreto nº 251/70, DG, 1ª série, nº 129 de 03 junho 1970

Enquadramento

Rural, isolado, em encosta quartzítica da Serra de Louções, virada a S., envolvida por pinhal. Além deste abrigo existem outros, na mesma serra, nomeadamente, o da Igreja dos Mouros e o da Lapa dos Louções.

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Não aplicável

Utilização Actual

Não aplicável

Propriedade

Privada: pessoa singular

Afectação

Sem afectação

Época Construção

Neolítico / Calcolítico

Arquitecto / Construtor / Autor

Não aplicável

Cronologia

Neolítico / Calcolítico ou anterior a 10 000 / 12 000 anos a. c. - execução; se uma das figuras antropomórficas for, como interpretou H. Breuil, um rinoceronte bicórneo, as pinturas foram executadas antes do fim da última glaciação, já que o rinoceronte se extinguiu com ela, cerca de 10 a 12 mil anos a. c.; 1914 ou 1916 - descoberta e visitada a Lapa dos Gaivões por Aurélio Cabrera e Eduardo Hernández-Pacheco; 1916 - visita e estudo da Lapa dos Gaivões por Virgílio Correia; 1917 - Visita e estudo da Lapa dos Gaivões por Henri Breuil; 1957 - Veiga Ferreira, G. Zybzsewski, Henri Breuil e Maxime Vaultier descobrem a Lapa dos Louções; 1960 - descoberta da Igreja dos Mouros; 1981 - Jorge Pinho Monteiro procede a trabalhos de salvaguarda.

Dados Técnicos

Pintura sobre rocha quartzítica

Materiais

Pintura sobre rocha quartzítica

Bibliografia

BREUIL, Henri, La roche peinte de Valdejunco à la Esperança, près Arronches (Portalegre), Terra Portuguesa, Vol. 3, Coimbra, 1917; IDEM, Les peintures rupestres schématiques de la Péninsule Ibérique, T. 1 - 2, 4, Lagny, 1933-1935; SANTOS, Manuel Farinha dos, Pré-História em Portugal, Lisboa, 1972; MONTEIRO, Pinho, Arqueologia em Arronches, (entrevista), Tempo Livre, Arronches, 1981; PESTANA, Manuel Inácio, Arte Rupestre da Freguesia da Esperança (Concelho de Arronches) in 1ªs Jornadas de Arqueologia do Nordeste Alentejano 85-Actas, 1987; BAPTISTA, António Martinho, Arte rupestre pós-glaciária. Esquematismo e abstracção in História da Arte em Portugal, Vol. 1, Lisboa, 1986 *1.

Documentação Gráfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Administrativa

Câmara Municipal de Arronches; IPPAR; Parque Natural da Serra de São Mamede.

Intervenção Realizada

Câmara Municipal de Arronches, Parque Natural da Serra de São Mamede: 1996 - construção de caminho alcatroado, parque de estacionamento, sinalização e plataforma de acesso às pinturas e sua limpeza.

Observações

*1 Virgílio Correia escreveu, em 1916, um artigo sobre as pinturas rupestres da Lapa dos Gaivões, na revista Terra Portuguesa; entre 1927 e 1942, Leite de Vasconcelos, Rui Serpa Pinto e J. R. dos Santos Júnior, publicaram trabalhos sobre as pinturas da Lapa dos Gaivões; Albuquerque e Castro e Veiga Ferreira também escreveram sobre a Lapa dos Gaivões em Conímbriga, 1960 / 1961.

Autor e Data

Rosário Gordalina 1991 / Domingos Bucho 1997

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login