Casa do Rossio / Casa do Conselheiro Afonso de Melo

IPA.00003687
Portugal, Viseu, Viseu, União das freguesias de Viseu
 
Casa abastada eclética e Arte Nova, de planta rectangular, evoluindo em dois pisos, com mansarda e fachadas simétricas, a partir de um eixo central, que, na principal, forma ressalta e ostenta decoração mais elaborada, de gramática vegetalista Arte Nova. A mansarda ostenta vãos de perfil maioritariamente circular, contrastando com os perfis rectilíneos dos dois pisos principais. As janelas são protegidas por grade de metal, de decoração elaborada. Sob as janelas, surgem três painéis de azulejo.Telhados de várias águas e desproporcionada altura com águas furtadas de vãos com perfil diferente. Um corpo anexo, com vãos mainelados na fachada principal, surge sobre arco abatido que acede às traseiras do imóvel, possuindo também mansarda. Sob as janelas, surgem três painéis de azulejo.
Número IPA Antigo: PT021823090025
 
Registo visualizado 454 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Residencial unifamiliar  Casa  Casa abastada  

Descrição

Planta rectangular composta, de volumes articulados, com acentuada horizontalidade e coberturas em telhados duplos com águas-furtadas, diferenciadas no corpo principal e no anexo adossado ao edifício. Alçados rebocados e pintados de rosa, com cunhais de cantaria apilastrados e remate em dupla cornija e friso. A fachada principal, virada a E., é dividida em dois registos marcados por dupla cornija e quatro panos, três correspondentes ao corpo principal do edifício. No pano central, revestido a cantaria almofadada e com ligeiro ressalto, rasgam-se três vãos em cada piso, os centrais mais elaborados. No primeiro piso, portal de verga recta com moldura, encimado por frontão triangular assente em duas pequenas consolas, ladeado por duas janelas de peitoril com guarda em ferro, encimadas por decoração relevada, composta por florão e motivos vegetalistas entrelaçados. No andar superior, o vão central é de sacada, protegidos por guarda em metal e encimados por cornija, que, no central, encurva, formando pequeno tímpano decorado com estrela de seis pontas. Os panos laterais são idênticos, com uma janela em cada registo, a inferior com o centro marcado por enorme pedra de fecho estriada que evolui até à cornija divisória dos dois pisos, a qual, nessa zona, forma ligeiro ressalto. Na mansarda, três vãos, o central formado por pilastras e aletas volutadas, rematado por frontão semicircular. Os laterais, em forma de óculo ladeado por festões, são encimados por frontão interrompido com peanha. O anexo desenvolve-se sobre o acesso às traseiras do edifício e assenta sobre arco abatido, tendo, superiormente, três janelas de peitoril, maineladas, com azulejos e tímpano vazado, de perfil semicircular, com pedra de fecho volutada. Na mansarda, vão semelhante aos do corpo principal. Alçado S. de dois registos, tendo três janelas molduradas e com cornija. Na mansarda três vãos, igualmente com cornija. Nas traseiras tem cinco janelas no piso inferior e seis no superior, emolduradas e com cornija a rematar as do último, sendo a fachada interrompida por uma construção moderna em vidro e ferro, que liga ao novo corpo em betão, de dois pisos, rasgado ritmicamente por janelas rectangulares. Na fachada N., três janelas abrem para o túnel de acesso às traseiras, estando o segundo piso adossado a construção.

Acessos

Avenida António José de Almeida, n.º 3. WGS84 (graus decimais) lat.: 40,658075, long.: -7,914618

Protecção

Categoria: IM - Interesse Municipal, Deliberação da Assembleia Municipal de Viseu, Edital de 22 abril 2004

Enquadramento

Urbano, adossado, situa-se em plano desnivelado, num ponto de confluência de vias principais da cidade, o Rossio e a Av. António José de Almeida. O lado S. está protegido por muro rasgado por portão de ferro que acede ao novo corpo.

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Residencial: casa

Utilização Actual

Serviços: banco

Propriedade

Privada: pessoa colectiva

Afectação

Sem afectação

Época Construção

Séc. 19 / 20

Arquitecto / Construtor / Autor

ARQUITECTO: João Paulo Farinha (séc. 20).

Cronologia

Séc. 19 - construção do imóvel, pelo conselheiro Dr. José Maria de Sousa Macedo *1; 1871, antes de - o prédio urbano que existiu neste lugar constava de uma morada de casas telhadas e sobradas; 1871 - foi adquirido por António Francisco Marques, pouco tempo após o casamento do proprietário com D. Ana de Sousa Lemos e Menezes de Abranches Macedo *2, em 4 de Maio desse ano; 1888 - adquirida pelo General José Victorino de Souza e Albuquerque *3, em nome da sua esposa, Elvira de Azevedo Coelho de Campos; por morte de Elvira de Azevedo, herdou o prédio a sua filha, fruto de um primeiro casamento, Paulina de Araújo Coelho de Campos e Melo, casada com Afonso de Melo Pinto Veloso *4; na Sessão da Câmara de 26 de Janeiro do mesmo ano foi deliberado aprovar a licença, o alçado da planta para a reconstrução do imóvel; 1928, Junho - o General Óscar Carmona, Presidente da República, pernoitou no edifício quando visitou a cidade; 1980 - por morte de Paulina de Araújo, os seus filhos venderam-na a José da Cruz; obras de recuperação pelo arquitecto João Paulo Farinha; 1982, marco - Despacho de homologação da classificação como Valor Concelhio; 1989 - foi adaptado a nova função, sendo-lhe adossado um novo corpo de feição moderna.

Dados Técnicos

Paredes autoportantes.

Materiais

Granito, alvenaria, cantaria, reboco, ferro, madeira, vidro, azulejo.

Bibliografia

COSTA, Jorge Braga da e CRUZ, Júlio, Monumentalidade Visiense, Viseu, AVIS, 2007; http://www.patrimoniocultural.pt/pt/patrimonio/patrimonio-imovel/pesquisa-do-patrimonio/classificado-ou-em-vias-de-classificacao/geral/view/71643 [consultado em 2 janeiro 2017].

Documentação Gráfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Administrativa

IHRU: DGEMN/DSID

Intervenção Realizada

1989 - obras gerais de adaptação às actividades do Banco.

Observações

*1 - este pertenceu ao Conselho do rei D. Carlos (1888), sendo o último presidente da Câmara de Viseu durante a Monarquia, Comendador da Ordem de Cristo (1880), reitor do Liceu de Viseu, director da Biblioteca (1862), provedor da Santa Casa da Misericórdia (1905). *2 - herdeira das Quintas do Bosque e de São João Novo, em Viseu, oriunda da Casa de Chão-do-Mestre. *3 - primo da primeira proprietária, foi o último governador de Viseu, durante a Monarquia, Par do Reino, Conselheiro de D. Carlos, deputado às Cortes (1890-1910), director e fundador do jornal "O Comércio de Viseu". *4 - ministro da Justiça (1918) e da Instrução Pública ( 1920 ), presidente e juiz conselheiro do Supremo Tribunal de Justiça (1932), senador (1917), vice-presidente da Câmara Corporativa (1917) e da Câmara dos Deputados, governador civil do Funchal (1910).

Autor e Data

João Carvalho 1996

Actualização

Paula Figueiredo 2001
 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login