Igreja Paroquial de Cimo de Vila de Castanheira / Igreja de São João Baptista

IPA.00003661
Portugal, Vila Real, Chaves, Cimo de Vila da Castanheira
 
Arquitectura religiosa, românica. As pinturas murais revelam afinidades com as existentes nas Igreja de Santiago em Belmonte (v. PT020501010001), a Catedral de Idanha-a-Velha (v. PT020505040010) e Igreja de Nossa Senhora da Fresta, em Trancoso (v. PT020913180007), sendo possível que se tratem de obras de uma mesma oficina.
Número IPA Antigo: PT011703090017
 
Registo visualizado 920 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Religioso  Templo  Igreja paroquial  

Descrição

Igreja de planta longitudinal composta por dois volumes: nave de planta rectangular e telhado de duas águas; Cabeceira com Sacristia adossada à parede N., formando corpo rectangular coberto com telhado de duas águas. A fachada principal voltada a O., apresenta portal com arco de volta perfeita, de aduelas altas com chanfro, assente sobre impostas lisas, e encimado por pequeno óculo central. Sobre o portal três consolas marcam o nível de apoio de um pórtico desaparecido. Sobre a empena conserva-se uma cruz de pedra. A fachada lateral S. apresenta três vãos: na parede da nave uma porta estreita de arco de volta perfeita liso, com chanfro, e uma janela alta rectangular; na cabeceira, uma janela rectangular elevada. Cachorrada decorada, sendo alguns dos modilhões lisos de lavor recente. Fachada E. sem vãos na cabeceira, com uma janela rectangular na sacristia e cornija lisa. Fachada N. sem vãos, conservando cachorrada com representações humanas e animalescas e cornija lisa. Arco cruzeiro de volta perfeita com moldura encordoada e aduelas individualmente decoradas com palmetas, rosetas, cruzes. No intradorso da 1ª aduela do lado S. toscamente representada uma figura humana segurando uma roca. Impostas decoradas com folhagens e representações antropomórficas. Pinturas a fresco nos dois lados da parede do arco cruzeiro. No canto S. junto ao portal axial conserva-se a pia baptismal, assente em base octavada. A base do púlpito conserva-se assente numa coluna, encostada à parede N. da nave, junto de um arcossólio. Isolada, a N. da sacristia, pequena torre de planta quadrada, com telhado de quatro águas. Porta de lintel horizontal situada na fachada S. a um nível elevado, com acesso externo por escada de pedra de 8 degraus. Ao nível superior uma fresta na fachada N., janelas rústicas com mainel central, nas restantes.

Acessos

EM. entre Dadim e Cimo de Vila da Castanheira, a c. de 1,5 Km. desta, desvio de c. de 100 m por caminho carreteiro

Protecção

Categoria: MN - Monumento Nacional, Decreto nº 45/93, DR, 1.ª série-B, n.º 280 de 30 de novembro 1993

Enquadramento

Rural, isolado. Implantado numa portela natural, em zona de montanha. O actual cemitério paroquial situa-se na encosta, nas traseiras da Igreja.

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Religiosa: igreja paroquial

Utilização Actual

Devoluto

Propriedade

Privada: Igreja Católica (Diocese de Vila Real)

Afectação

Sem afectação

Época Construção

Séc. 13 / 14 (conjectural)

Arquitecto / Construtor / Autor

Desconhecido.

Cronologia

Séc. 13 / 14 - Época provável de construção; 1758 - o cura da freguesia de Castanheira era apresentado pelo reitor de Sanfins, anexo ao padroado da Companhia de Jesus, do Colégio de Coimbra, tendo 60$000 de rendimento; 1774, 4 julho - provisão de D. José incorporando todos os bens da extinta Companhia de Jesus no património da Universidade de Coimbra, que assumiu a sua administração; 1835, 5 Maio - decreto incorporando nos Bens Próprios Nacionais os bens pertencentes à Universidade de Coimbra, que continuava, no entanto, a usufruir dos seus rendimentos; 1848, 21 novembro - decreto delimitando como bens da Universidade de Coimbra apenas os edifícios estritamente necessários para o seu funcionamento, situados em Coimbra; 1984 - derrocada da cobertura da nave e cornijas das paredes laterais; a alvenaria foi danificada e vários elementos decorativos destruídos ou extraviados.

Dados Técnicos

Sistema estrutural de paredes portantes.

Materiais

Paredes, arcos, janelas e pavimentos em granito; estrutura da cobertura em madeira e telhado com telha de meia-cana.

Bibliografia

GONÇALVES, Catarina Valença, A Pintura Mural em Portugal: os casos da Igreja de Santiago de Belmonte e da Capela do Espírito Santo de Maçainhas, [dissertação de Mestrado na Faculdade de Letras de Lisboa], 2 vols. Lisboa, Março de 2001.

Documentação Gráfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Administrativa

IHRU: DGEMN/DSID

Intervenção Realizada

1992 - Fábrica da igreja e Câmara Municipal de Chaves reconstruiram as fiadas superiores das paredes laterais da nave que se haviam desmoronado, até à cornija.

Observações

Autor e Data

Isabel Sereno e Ricardo Teixeira 1994

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login