Igreja e Hospital da Santa Casa da Misericórdia de Vila Nova de Cerveira

IPA.00003630
Portugal, Viana do Castelo, Vila Nova de Cerveira, União das freguesias de Vila Nova de Cerveira e Lovelhe
 
Arquitectura religiosa, neoclássica. Igreja de misericórdia neoclássica de planta transversal e nave única, fachada principal a S., tendo portal enquadradado por pilastras com frontão curvo interrompido, ostentando no interior retábulos em talha branca e dourada e decoração neoclássica. Igreja da misericórdia estrutural e decorativamente remodelada no séc. 19 em estilo neoclássico, com vãos em arco abatido moldurado, interiormente encimados por sanefas de talha, retábulos de talha branca e dourada decorados com laçarias e motivos pompeianos, os quais se repetem nas pinturas dos tectos, sobretudo no friso sobre a cornija da nave. Conserva alguns elementos mais antigos de grande interesse, dos quais destacamos: o portal com frontão curvo interrompido, incorporando coroa real fechada sobre as armas nacionais; a imagem seiscentista do Senhor Ecce Homo; três tábuas do antigo retábulo quinhentista, representando o Encontro de Sant'Ana e São Joaquim apresentando a inovação iconográfica da inclusão da figura de uma criada preta à direita dos Pais da Virgem, abraçados; a tela com as armas da Santa Casa da Misericórdia de Vila Nova de Cerveira; um lavabo de caixilho quadrangular moldurado enquadrando motivo concheado, rematado por cruz latina sobre acrotério; um armário quadrangular rematado por motivo decorativo espiralado sobrepujado por pinha.
Número IPA Antigo: PT011610150011
 
Registo visualizado 257 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Religioso  Edifício de Confraria / Irmandade  Edifício, igreja e hospital  Misericórdia

Descrição

Igreja de planta transversal, composta de nave única, capela-mor e capela de cabeceira, rectangulares, adossados em eixo e capela lateral rectangular, sacristia e sala anexa, poliginais, e alpendre subcircular, adossados a N.. Volumes escalonados com coberturas diferenciadas em telhados de duas e uma água. Alçados percorridos por embasamento avançado *1 e por cornija saliente, com pilastras nos cunhais sobrepujados por urna e cruz sobre acrotério no remate das empenas. Fachada principal, a S., com dois panos, o da nave onde se abre o portal principal ladeado por porta de perfil abatido e encimado por três janelões de verga abatida, e o da capela-mor, com janelão de verga abatida, ladeado por sineira de uma ventana de arco pleno e remate em empena contracurvada. Portal principal enquadradado por pilastras toscanas suportando frontão curvo interrompido por coroa real fechada sobre escudo da Casa Real, rematado lateralmente por urnas. Fachada E. com porta e janela rectangulares. Fachada N. com porta e janela rectangulares, sob alpendre assente em estrutura de ferro e pilares pétreos. Fachada O. adossada a habitação, com janelão trifoliado. INTERIOR rebocado e caiado com sanefas de talha branca e dourada encimando os vãos. Coro-alto sobre arco abatido e fecho decorado, com balaústres de madeira sobre cornija saliente, tendo no sub-coro duas portas rectangulares, de acesso ao exterior e à sacristia, e pia baptismal inserta em vão de verga curva. No lado do Evangelho, púlpito de base quadrangular sobre mísula e guarda em talha e capela lateral sobrelevada com acesso por três degraus, com arco de volta perfeita, paredes com pinturas decorativas e altar de talha. Pavimento em taburnos de madeira entre guias de pedra e tecto de madeira em falsa abóbada de berço pintada, assente em cornija. Arco triunfal em arco de volta perfeita, sobreposto por sanefa de talha dourada, ladeado por dois altares de talha branca e dourada postos de ângulo. Capela-mor, rebocada e pintada, e com pavimento lajeado, com janelão de verga curva, à direita, e no oposto porta de acesso à sala anexa. Altar-mor em talha, sobrelevado, com quatro degraus de acesso, com retábulo de talha, tela central figurando "Visitação" e tecto de madeira, de perfil curvo, sobre cornija, pintado com medalhões com os quatro Evangelistas enquadrando um central com a Santíssima trindade.

Acessos

Recinto do Castelo. VWGS84 (graus decimais) lat.: 41,940636; long.: -8,744709

Protecção

Incluído na Zona Especial de Proteção do Castelo de Vila Nova de Cerveira (v. IPA.00003484)

Enquadramento

Urbano, flanqueado, integração harmónica no interior da malha urbana do Castelo de Cerveira (v. PT011610150002), junto ao pelourinho (v. PT011610150001) e à Casa da Câmara, tendo a fachada N. assente em plataforma sustentada pela muralha.

Descrição Complementar

Arco da capela lateral e arco triunfal recobertos com sanefa em talha dourada e branca. Capela lateral, de tecto em madeira pintada, em abóbada de berço, assente em cornija, e pavimento lajeado; possui retábulo em talha dourada e branca, albergando oratório. O púlpito tem porta de acesso a partir do compartimento anexo à capela-mor. Sacristia rebocada e caiada, com pavimento lajeado e janela de iluminação parcialmente tapada pelo forro do tecto em madeira, que a dividiu em dois pisos, tendo acesso por escada de madeira. Possui um interessante arcaz encimado por retábulo de talha policroma, banco-tulha, em castanho, lavabo de caixilho quadrangular moldurado enquadrando motivo concheado, rematado por cruz latina sobre acrotério, ladeado por armário quadrangular rematado por motivo decorativo espiralado sobrepujado por pinha.

Utilização Inicial

Religiosa: edifício de confraria / irmandade

Utilização Actual

Religiosa: edifício de confraria / irmandade

Propriedade

Privada: Misericórdia

Afectação

Sem afectação

Época Construção

Séc. 16 (conjectural) / 17 / 18 / 19

Arquitecto / Construtor / Autor

ENTALHADOR: José Luís Vieira de Sá. PINTOR: Filipe de Cerveira.

Cronologia

Séc. 16 - fundação da Santa Casa da Misericórdia; 1590 - Filipe Cerveira pinta as tábuas do retábulo-mor da igreja, de que subsistem actualmente na sacristia as pinturas do Encontro de Sant' Ana e São Joaquim na Porta Dourada, do Calvário e do Profeta Jeremias; 1621 - colocação de um altar na casa contígua à Casa da Câmara, com a abertura de nicho para albergar a imagem do Senhor Ecce Homo; séc. 17, meados - construção de sacristia; 1658 - demolição da sacristia e sala anexa, para instalação de bateria no Castelo; 1772 - remodelação da capela do Senhor Ecce Homo; 1814 - remodelação da igreja; 1820 - benção do novo retábulo-mor; 1824 - construção do oratório para a imagem do Senhor Ecce Homo; 1838 - o Administrador Geral do Distrito de Viana do Castelo afirma que a maioria das Misericórdias estavam muito mal administradas, o que originava a perda de muitas dívidas e foros, em resultado do desleixo e pouco zelo das Misericórdias; 1839 - o Administrador envia um comissário contabilista para reformar todas a sua escrituração e examinar os erros de liquidação e desleixo; 1863 - a Misericórdia e hospital tinham 19 718$900 rs de fundos, sendo 1 386$700 em domínios directos, 2 810$200 em prédios rústicos e urbanos, 13 422$000 em capitais mutuados, 500$000 em papéis de crédito e 1 600$000 em alfaias, jóias e móveis; tinha 763$535 rs em receitas ordinárias, sendo 33$500 em géneros, 43$935 em dinheiro, 671$100 em juros de capitais mutuados e 15$000 em juros de papéis de crédito; e tinha ainda como despesas obrigatórias 586$800 rs, sendo 226$800 em encargos pios e 360$000 em encargos profanos; 2009, 23 outubro - caduca o processo de classificação conforme o Artigo n.º 78 do Decreto-Lei n.º 309/2009, DR, 1.ª série, n.º 206, alterado pelo Decreto-Lei n.º 265/2012, DR, 1.ª série, n.º 251 de 28 dezembro 2012, que faz caducar os procedimentos que não se encontrem em fase de consulta pública.

Dados Técnicos

Sistema estrutural de paredes portantes.

Materiais

Paramentos rebocados e pintados com vãos e cunhais em cantaria, sineira em cantaria, altares em madeira, cobertura em madeira telhada, coro-alto em madeira, pavimentos em lajes graníticas e soalhado, portas de madeira, janelas gradeadas e envidraçadas, alpendre em estrutura de ferro.

Bibliografia

ALMEIDA, José António Ferreira de (org.), Tesouros Artísticos de Portugal, Lisboa, 1976, p. 577; DIOGO, José Leal, Para a História de Vila Nova de Cerveira. II Santa Casa da Misericórdia, Vila Nova de Cerveira, 1979; SERRÃO, Vítor, André de Padilha e a Pintura Quinhentista entre o Minho e a Galiza, Lisboa, 1998; FONTE, Teodoro Afonso da, As Misericórdias do Alto Minho - perspectiva Histórica e actualidade, in I Congresso das Misericórdias do Alto Minho, Viana do Castelo, 2001, p. 96 - 117.

Documentação Gráfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Administrativa

Intervenção Realizada

Observações

*1 - O corpo da sacristia não apresenta embasamento nem cornija; *2 - É a bandeira de grandes dimensões exposta na nave que abre a procissão do Senhor dos Passos; *3 - Uma imagem seiscentista de Nossa Senhora do Leite, em pedra Ançã, foi retirada da Capela e guardada nas instalações da Santa Casa da Misericórdia; *4 - A Tribuna só é exposta na noite de Quinta-Feira Santa.

Autor e Data

Alexandra Lima e Paulo Amaral 1998

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login