Colónia Agrícola da Boalhosa - núcleo de Vascões

IPA.00036286
Portugal, Viana do Castelo, Paredes de Coura, Vascões
 
Colónia agrícola construída na década de 50 do séc. 20, pelo Estado, no âmbito da política de reestruturação agrária do Estado Novo, conduzida pela Junta de Colonização Interna, com o objetivo de tornar cultiváveis extensas áreas de terreno baldio. O núcleo habitacional, de modelo concentrado, organiza-se em leque pela encosta, estruturado por três ruas paralelas, onde se distribuem quinze habitações, geminadas, inseridas em lotes de terreno. As casas possuem planta retangular e coberturas em duas águas, com as fachadas evoluindo em dois pisos, adaptados ao declive do terreno, o térreo destinado a apoio agrícola e o segundo a habitação, em granito aparente, o material típico da região, ou rebocadas. São rasgadas por vãos retilíneos, sem molduras, a principal virada a sul e ao vale, com dois pisos, tendo no térreo porta central entre janelas de peitoril e, no piso superior, janelas, e a fachada posterior com apenas um piso, onde se abrem vãos jacentes. A colónia integra ainda equipamentos de utilização coletiva, nomeadamente a escola primária e a residência do professor, que foram recentemente reabilitados e adaptados a Centro de Educação Ambiental e de Investigação. O forno comunitário, a capela e o posto médico, inicialmente previstos no projeto, acabaram por não ser construídos, por falta de verbas.
 
 
   
   

Registo

 
Conjunto urbano  Aglomerado urbano        

Descrição

Acessos

Vascões, Chã de Lamas. WGS84 (graus decimais) lat.: 41,912312, long.: -8,493154

Protecção

Em vias de classificação / Incluído na Paisagem Protegida do Corno de Bico

Enquadramento

Rural, isolado. Implanta-se em leque na encosta, bordejada lateralmente por alamedas arborizadas, de onde se desfruta de ampla vista sobre a envolvente. A cerca de 150m para sul, implanta-se o núcleo megalítico de Chã de Lamas.

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Conjunto: colónia agrícola

Utilização Actual

Devoluto / Cultural: Centro de Estudo e Interpretação Ambiental (CEIA) do Corno de Bico

Propriedade

Afectação

Época Construção

Séc. 20

Arquitecto / Construtor / Autor

Cronologia

1948 - após o levantamento e cadastro dos baldios pela Junta de Colonização Interna, procede-se à criação do modelo de reestruturação agrícola do país, tendo em vista a instalação de trabalhadores rurais em colónias agrícolas, a quem se oferecia casa, terreno de cultivo e sementes, para a primeira campanha, em troca dos colonos entregarem ao Estado um sexto da sua produção; 1952 - início da elaboração do projeto da Colónia Agrícola da Boalhosa, pela Junta de Colonização Interna, a última das sete inicialmente previstas; o projeto inicial compreendia dois núcleos, o da Lameira do Real, com implantação em Arcos de Valdevez e Monção, e o de Vascões, em Paredes de Coura, que acabou por ser o único a ser projetado; o projeto urbanístico da Colónia incluía a construção de quinze habitações geminadas, para 30 famílias, distribuídas por três arruamentos: a Rua de Cima, a Rua do Meio e a Rua de Baixo, uma escola primária, a casa do professor, um forno comunitário, uma capela e um posto médico, bem como o fornecimento de água canalizada, sistema de combate a fogos e sistema de rega dos campos; o forno, posto médico e a capela acabaram por nunca ser construídos, por falta de financiamento; 1957 - instalação dos primeiros colonos na Colónia Agrícola da Boalhosa; 1971 - viviam na Colónia apenas dez famílias; 23 julho - alvará de reconhecimento da Sociedade de Agricultores da Boalhosa, Ld.ª, encarregue de gerir a produção de batata de semente, a pecuária de carne e leite, o centeio e o milho; 1988, 26 dezembro - Decreto-Lei nº 482/88 extingue a Colónia Agrícola, tendo o Estado vendido as casas e os terrenos aos colonos que o desejaram; 2004, 27 abril -Despacho n.º 8484/2004, DR, 2.ª série, n.º 99, retirando o alvará de reconhecimento como sociedade de agricultura de grupo à Sociedade de Agricultores da Boalhosa, Ld.ª; 2007 - inauguração do CEIA - Centro de Educação e Interpretação Ambiental do Corno de Bico, que inclui edifício feito de raiz, destinado à investigação e divulgação dos recursos naturais da Paisagem Protegida do Corno de Bico, a antiga casa do professor e a escola primária de Chã de Lamas que, após recuperação, foram adaptados a centro de acolhimento e a cantina, respetivamente; 2020, 07 fevereiro - publicação da abertura de procedimento de classificação da Colónia Agrícola da Boalhosa - núcleo de Vascões, em Anúncio n.º 18/2020, DR, 2.ª série, n.º 27.

Dados Técnicos

Materiais

Bibliografia

MUNICÍPIO DE PAREDES DE COURA - área de Reabilitação Urbana da Colónia de Vascões. Proposta de Delimitação da ARU. Paredes de Coura: junho de 2006 (https://www.paredesdecoura.pt/wp-content/uploads/2017/10/PROPOSTA_DELIMITACAO_COLONIA_AGRICOLA_VASCOES_FINAL.pdf), [consultado em 23 abril 2021].

Documentação Gráfica

Documentação Fotográfica

Documentação Administrativa

Intervenção Realizada

Observações

EM ESTUDO

Autor e Data

Paula Noé 2021

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login