Ponte de São Paulo

IPA.00036005
Portugal, Ilha da Madeira (Madeira), Funchal, Funchal (Sé)
 
Ponte construída no início do séc. 19, de tipo arco. É possível ter sido edificada após o aluvião de 1803, sobre ou nas imediações do local onde existia outra ponte desde longa data, já que há notícias de pontes de madeira, e depois de cantaria, sobre a ribeira, desde o século 15. A atual ponte tem o tabuleiro horizontal, bastante largo e com passeios laterais, sobre um único arco, assente nas muralhas que bordejavam a ribeira.
 
Registo visualizado 16 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Estrutura  Transportes  Ponte / Viaduto  Ponte  Tipo arco

Descrição

Ponte de tabuleiro horizontal, sobre arco, com aduelas de cantaria. Tem pavimento betuminoso, flanqueadas por passeios, lajeados, protegidos por guarda balaustrada, tendo nos extremos largos plintos paralelepipédicos de cantaria, escalonados.

Acessos

Sé, Avenida Calouste Gulbenkian; Rua Dr. Brito da Câmara; Calçada da Cabouqueira; Rua da Carreira. WGS84 (graus décimais) lat.: 32,649187; long.: -16,918130

Protecção

Categoria: IIM - Imóvel de Interesse Municipal, Aviso n.º 9090/2018, DR, 2.ª série, n.º 127 de 04 julho 2018 *1

Enquadramento

Urbano, lançada sobre as muralhas da ribeira de São João. Atualmente o tabuleiro está fechado ao trânsito automóvel e a zona central dos plintos dos extremos, sustentam candeeiros.

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Transportes: ponte

Utilização Actual

Transportes: ponte

Propriedade

Afectação

Época Construção

Séc. 19

Arquitecto / Construtor / Autor

ENGENHEIRO: Paulo Dias de Almeida (séc. 19, atr.).

Cronologia

Séc. 15, finais - por determinação de D. Manuel, a vila do Funchal expande-se para ocidente do primitivo burgo medieval de Santa Maria do Calhau, passando as ribeiras de João Gomes, Santa Luzia e São João, sobre as quais se constrói pontes de madeira; 1481 - Câmara proíbe que qualquer pessoa passe sobre as pontes montado "em cima de besta ou com besta", quando as ribeiras não estivessem cheias de água; 1495, setembro - pretendendo o ouvidor do Duque calcetar as ruas da vila e levantar em pedra as pontes de madeira, os moradores enviam procuradores a D. Manuel a pedir o adiamento das obras; séc. 16 - construção de pontes em pedra sobre as ribeiras e calcetamento das ruas, passando-se a utilizar a água das ribeiras para as lavagens da cidade, feita aos sábados por postura camarária; para isso, sobe-se o leito das ribeiras, obras mais ou menos improvisadas que levavam ao ruir periódico dos troços das margens e a desastres cada vez mais importantes nas casas mais ribeirinhas; 1572 - com base no "Regimento de Fortificação" executado por Mateus Fernandes, a cidade é cercada de muralhas; os muros deveriam bordear as ribeiras, acompanhando o seu traçado e aproveitando o leito como fosso; 1595 - Mateus Fernandes abandona a ilha e em Lisboa redige uns "Apontamentos da obra que se fazer e respirar na fortificação da cydade do Funchal da Ylha da Madeira", mostrando que o plano ordenado em 1572 se encontrava feito, ou seja, as muralhas ao longo das ribeiras, bem como as duas fortalezas de São Lourenço e de São Filipe; séc. 17 / 18 - obras de manutenção na zona das muralhas das ribeiras; 1803, 09 outubro - grande aluvião destrói todas as edificações ribeirinhas; 1804, meados - início da reconstrução das muralhas das ribeiras do Funchal, sob a supervisão do Brigadeiro Reinaldo Oudinot, tendo como adjuntos o capitão Matos de Carvalho e o tenente Paulo Dias de Almeida, tendo-se também, provavelmente, construído a ponte de São Paulo; 2017, 31 maio - publicação da abertura de procedimento administrativo de classificação da Ponte de São Paulo, da Ponte Nova e da Ponte de D. Manuel, como Imóveis de Interesse Municipal, em Aviso n.º 6146/2017 (extrato), DR, 2.ª série, n.º 105/2017.

Dados Técnicos

Sistema estrutural de paredes portantes.

Materiais

Estrutura em cantaria regional aparente e alvenaria de pedra regional rebocada; guarda e plintos em cantaria regional; pavimento betuminoso; passeios em cantaria.

Bibliografia

CARITA, Rui - Funchal Roteiro Histórico Turístico da Cidade. Câmara Municipal do Funchal, 1997.

Documentação Gráfica

Documentação Fotográfica

Documentação Administrativa

Intervenção Realizada

Observações

EM ESTUDO. *1 - A ponte é classificada conjuntamente com a Ponte Nova (v. IPA.00036004) e a Ponte de D. Manuel (v. IPA.00009737).

Autor e Data

Paula Noé 2018

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login