Povoado fortificado do Alto das Valadas / Castro do Alto das Valadas

IPA.00003594
Portugal, Viana do Castelo, Ponte de Lima, Navió e Vitorino dos Piães
 
Aglomerado proto-urbano. Povoado da Idade do Ferro com ocupação romana. Povoado fortificado / castro com cinco linhas de muralhas, boas condições de defesa devido ao local de implantação e, como nos demais castros da zona, construiu-se taludes e fossos para reforço das muralhas. É o único castro do concelho de Ponte de Lima que tem cinco ordens de muralhas.
Número IPA Antigo: PT011607510039
 
Registo visualizado 230 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Conjunto urbano  Aglomerado urbano  Povoado  Povoado da Época do Ferro  Povoado fortificado  

Descrição

Povoado formado pela coroa onde se ergue a acrópole, já muito degradada, mas com vestígios de uma casa de planta rectangular, e por cinco ordens de muralhas concêntricas, reforçadas por taludes; a Nascente, as duas muralhas exteriores têm ainda 2 fossos.

Acessos

Vitorino dos Piães, na Serra da Nora ou Nó. WGS84 (graus decimais) lat.: 41,694277; long.: -8,612457 (à freguesia)

Protecção

Categoria: IIP - Imóvel de Interesse Público, Dereto nº 29/84, DR, 1.ª série, n.º 145 de 25 junho 1984

Enquadramento

Rural. Implanta-se na serra do Nó, a nascente do Castro de Cresto, também classificado, e estando coberto por mato. Cota: 347.

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Não aplicável

Utilização Actual

Não aplicável

Propriedade

Pública: estatal

Afectação

Época Construção

Idade do Ferro (conjectural)

Arquitecto / Construtor / Autor

Não aplicável

Cronologia

Séc. 08 a.C. - inicia-se a possível fixação das populações no castro; séc. 01 - ocupação romana.

Dados Técnicos

Sistema estrutural com paredes autoportantes

Materiais

Granito

Bibliografia

ALVES, Lourenço, Aspectos da Cultura Castreja no Alto Minho, Sep. Rev. Caminiana, nº 3 Dez. 1990; ALMEIDA, Carlos A. Brochado de, BAPTISTA, António José, Castros e Castelos de Ponte de Lima in Colóquio Galaico-Minhoto, vol. 2, Ponte de Lima, 1982, p. 287 - 318; ALMEIDA, Carlos A. Brochado, Inventário Arqueológico in Proto-História e Romanização da Bacia Inferior do Lima, Viana do Castelo, 1990; http://www.patrimoniocultural.pt/pt/patrimonio/patrimonio-imovel/pesquisa-do-patrimonio/classificado-ou-em-vias-de-classificacao/geral/view/74687 [consultado em 11 janeiro 2017].

Documentação Gráfica

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Administrativa

Intervenção Realizada

Observações

Constitui um dos muitos castros já descobertos no Concelho de Ponte de Lima e as suas médias proporções podem explicar-se pelo grande número de povoados castrejos na região limiense, compreensível se atendermos à via fluvial do Lima que permitia a navegação até longe da costa, à abundância de pequenos cursos de água, à fertilidade do solo, à vasta área de montanhas permitindo a pastorícia e ainda à amenidade do clima e à riqueza mineira. Na zona da acrópole é visível bastante cerâmica, sobretudo castreja recente e tégulas. A cerâmica comum da época romana, ainda que não muita, indicia uma ocupação que ultrapassa o séc. 1. Trata-se de um castro pouco remexido.

Autor e Data

Paula Noé 1992

Actualização

Paula Noé 1998
 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login