Recolhimento da Soledade / Recolhimento de Nossa Senhora da Soledad / Casa da Baía

IPA.00035829
Portugal, Setúbal, Setúbal, União das freguesias de Setúbal (São Julião, Nossa Senhora da Anunciada e Santa Maria da Graça)
 
Ermida e recolhimento anexo, construída no século 18 de acordo com uma estética barroca, muito austera como era hábito das edificações Carmelitas.
 
Registo visualizado 115 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Religioso  Convento / Mosteiro  Recolhimento feminino  

Descrição

Planta poligonal, composta, formada pela articulação de quatro corpos retangulares, de dois registos, em torno de um claustro central. Fachadas rebocadas e pintadas de cor de rosa, percorridas por soco de cantaria, sendo os diversos panos de fachada separados por cunhais do mesmo material, rasgadas por vãos em arco de asa de cesto, com moldura de cantaria e peitorial decorado no segundo piso, e retilínios no piso térreo. Coberturas telhadas, maioritariamente a duas águas. Fachada principal virada a nascente, composta por quatro panos, os três primeiros correspondentes ao corpo do recolhimento, são centralizados pelo portal retilíneo com moldura de vergareta em cantaria. O quarto pano, corresponde à fachada principal da Ermida da Soledade, de empena contracurvaque e portal decorado. A fachada principal é muito austera, de acordo com a arquitectura tradicional das construções carmelitas, rasgada por portal em cantaria com verga suavemente contracurvada e janela quadrangular a eixo, sob frontão curvilíneo. INTERIOR: ermida, de nave única, claustro rasgado por arcadas de volta perfeita na ala sul e em arco abatido nas alas laterais.

Acessos

Avenida Luísa Tódi, n.º 468, WGS (graus decimais): lat. 38.523202; long. -8.898858.

Protecção

Categoria : IM - Interesse Municipal, Edital da Câmara Municipal de Setúbal, n.º 03/2010 de 02 março 2010

Enquadramento

Urbano. No sopé da encosta, frente ao rio Sado. Inserido num quarteirão na frente norte da Avenida Luísa Todi, para onde volta a sua fachada principal.

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Religiosa: recolhimento espiritual

Utilização Actual

Cultural e recreativa: edifício multiusos

Propriedade

Pública: municipal

Afectação

Época Construção

Sec. 18 / 20

Arquitecto / Construtor / Autor

Cronologia

1745 - fundação da Ermida da Soledade; 1750 - fica concluído o recolhimento destinado a mulheres pobres, terceiras Carmelitas, sujeitas a um regime idêntico ao dos conventos; 1834 - a extinção das ordens religiosas em Portugal, o que dita outras utilizações para o edifício, tendo funcionando como quartel; séc. 19 - 20 - funciona como orfanato; 2003 - é adquirido pela Câmara Municipal de Setúbal que o readapta a pólo turístico e cultural; 2010, 02 março - é classificado como Interesse Municipal, Edital n.º 03/2010 da Câmara Municipal de Setúbal.

Dados Técnicos

Materiais

Bibliografia

Documentação Gráfica

Documentação Fotográfica

Documentação Administrativa

Intervenção Realizada

Observações

EM ESTUDO

Autor e Data

Paula Tereno 2017

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login