Forte da Pereira

IPA.00003573
Portugal, Viana do Castelo, Arcos de Valdevez, União das freguesias de Portela e Extremo
 
Arquitectura militar, seiscentista. Forte com dispositivo de fosso e taludes de terra e blocos pétreos. O forte é parte integrante de uma estrutura de defesa da Portela do Extremo, ao longo da qual seguia a importante via de ligação entre os Arcos de Valdevez e Monção e, daqui, ao território galego sendo que junto a Monção o Rio Minho pode ser passado a vau.
Número IPA Antigo: PT011601120029
 
Registo visualizado 592 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Militar  Forte    

Descrição

Forte constituído por dispositivo de fossos e taludes utilizando terra e blocos de granito essencialmente de pequeno e médio calibre não afeiçoados ou sumariamente afeiçoados. Plataforma de planta rectangular, de sentido N. / S., sendo os quatro ângulos reforçados com bastiões subcirculares *1. Em redor de todo o perímetro desenvolve-se um fosso delimitado exteriormente por talude a N., E. e S..

Acessos

EN 101 ( Arcos de Valdevez - Monção ), Extremo, EM em direcção ao Lg. de Mourisca; Gauss: M-172.4, P-554.7; Fl. 8

Protecção

Inexistente

Enquadramento

Rural e isolado, no cume de uma elevação sobranceira à Portela do Extremo. Dominando o vale, tem muito boa visibilidade para N. e S. divisando-se no monte fronteiro vestígios de uma outra fortificação. Toda a parte superior do monte foi aplanada no sentido de ser criado um campo de futebol tendo sido implantadas duas balizas nos extremos N. e S.. Desde o sopé até à plataforma encontra-se florestado com pinhal.

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Militar: forte

Utilização Actual

Desportiva: campo de jogos

Propriedade

Privada: terreno baldio

Afectação

Época Construção

Séc. 17

Arquitecto / Construtor / Autor

Cronologia

Séc. 17, 2ª metade - construção no contexto das guerras da Restauração; 1662, 23 Julho - o forte é ocupado pelos castelhanos (GOMES, 1899); 1808 / 1809 - adaptação das estruturas, utilizadas no contexto das Invasões Francesas; 1976, 13 outubro - proposta de classificação da Câmara Municipal de Arcos de Valdevez; séc. 20, segunda metade, anterior a 1980 - terraplanagem com destruição de estruturas; 2009, 21 dezembro - proposta da Direção Regional de Cultura do Norte de encerramento do processo de classificação por o edifício não ter valor nacional; 23 dezembro - Despacho de encerramento do processo de classificação pelo director do IGESPAR.

Dados Técnicos

Estrutura autónoma.

Materiais

Terra, granito.

Bibliografia

MENESES, D. Luís de, História do Portugal Restaurado, Porto, 1945; GOMES, José Cândido, As terras de Valdovés. Memorias historicas e descriptivas do Concelho dos Arcos de Val de Vez, vol. 1, Arcos de Valdevez, 1899.

Documentação Gráfica

DGEMN: DSID

Documentação Fotográfica

DGEMN: DSID

Documentação Administrativa

Intervenção Realizada

Observações

*1 - A terraplanagem que esteve na origem da criação do campo de futebol sobre o forte destruiu as estruturas internas, designadamente entradas, restos de outros taludes ou construções, dando ao conjunto o aspecto de plataforma circundada por fosso. *2 - Uma eventual classificação deverá ter em conta o forte fronteiro de Bragandelo e outras eventuais estruturas de defesa da Portela que a bibliografia indícia.

Autor e Data

Alexandra Cerveira 1997

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login