Capela de São Bartolomeu de Antas

IPA.00003522
Portugal, Viana do Castelo, Paredes de Coura, Rubiães
 
Capela de construção quinhentista, alpendrada, de planta retangular composta por nave e capela-mor, muito remodelada e de grande simplicidade. Integra marcos miliários como suporte de alpendre e na delimitação do adro. A relação espacial de proximidade com a via e a casa solarenga evocam simultanemanete a origem senhorial da sua construção e o carácter de capela de caminho, de apoio a peregrinos e viandantes.
Número IPA Antigo: PT011605200010
 
Registo visualizado 1635 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Religioso  Templo  Capela / Ermida  

Descrição

Planta composta por nave única e capela-mor, precedida de alpendre e com sacristia adossada à fachada S. da capela-mor e nave. Volumes articulados com coberturas diferenciadas em telhado de duas águas na nave e capela-mor, de uma água na sacristia e de três águas no alpendre, rematadas em beirada simples. Fachadas rebocadas e pintadas de branco, com faixa a cinzento, apresentando as fachadas N. e S. embasamento granítico levemente proeminente, e com cunhais coroados por pináculos piramidais com bola, sobre plintos paralelepipédicos. Fachada principal orientada, com alpendre sustentado por dois robustos marcos miliários, fechado por parede a S. à qual se encosta, pelo interior, branco granítico (v. PT011605200001). Nave com fachada terminada em empena, coroada por cruz latina sobre acrotério; sobre o alpendre rasga-se pequeno vão rectangular, sem moldura, e sobre o cunhal N. surge sineira em arco, provido de sino. Portal em arco de volta perfeita de aduelas graníticas. O alpendre tem pavimento de cimento e teto de madeira, em masseira. Duas arcas tumulares simples em granito, de contorno trapezoidal e tampa plana, flanqueiam o portal. Fachada lateral esquerda com capela-mor rasgada por porta de verga reta, moldurada, e a lateral S. por janela na nave, sem molduras e gradeada, e por vão quadrangular na sacristia, igualmetne sem molduras e gradeada. Fachada principal cega e terminada em empena.

Acessos

Rubiães, Lugar de Antas no extremo poente da freguesia, no topo nascente do lugar

Protecção

Em estudo / Incluído na Zona de Proteção dos 14 Marcos Miliários (série capela) Braga a Tuy (v. PT011605200001)

Enquadramento

Rural, isolado. A capela ergue-se a N. da via pública, inserido em adro relvado, sustentado a S. por muro de contenção de terras, possuindo a delimitar o adro quatro marcos miliários (v. PT011605200001). Fronteiro à capela, para O., desenvolve-se muro extenso e alto do Solar das Antas (v. PT011605200006) e junto ao qual se ergue cruzeiro simples.

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Religiosa: capela

Utilização Actual

Religiosa: capela

Propriedade

Privada: Igreja Católica

Afectação

Sem afectação

Época Construção

Séc. 16 / 19 / 20

Arquitecto / Construtor / Autor

Desconhecido.

Cronologia

1592 - estava construída a capela de São Bartolomeu por ordem de Lopo de Antas, morgado do Paço de Antas, para ali ser sepultado, o qual "gastou muito com três capelães para dizerem aqui missa quotidiana e com as muitas e avultadas esmolas que dava aos peregrinos que iam a S. Tiago" (ALMEIDA, 1866 cit. em ARAÚJO, 1982); 1734, cerca - Argote refere a capela em ruínas e um marco miliário; 1734, posterior a - reconstrução da capela com provável integração [ou reintegração] dos marcos miliários no alpendre (ARAÚJO, 1982); 1866 - referência a estarem "diante da porta da capela seis colunas de pedra inteiras, com letras..." (ALMEIDA, 1866); 1870 / 1880 - os marcos estavam "quase de todo embutidos" na parede S. do adro estando invertido um dos marcos que hoje se encontra a delimitar o lado N. do adro; 1881, 18 Outubro - Martins Sarmento com Dr. Narciso Alves verificou que na capela existiam cinco e não três miliários como até ali se supunha; 1973, anterior a - cinco marcos miliários estariam dispostos na capela, três sustentando o alpendre a O. e dois embebidos no muro que fecha o alpendre a S.; 1973, Agosto - obras no interior e exterior da capela tendo sido retirados os marcos miliários embebidos no muro S. do alpendre bem como o que sustentava o alpendre ao centro pelo lado O. e colocados dois no limite N. do adro, junto à via e um, tombado, junto à parede S. da capela; junto a muro a E. do adro um outro miliário danificado encontrava-se tombado (ARAÚJO, 1982); 2002, 28 Maio - deliberado em sessão extraordinária da Assembleia Municipal, a Câmara atribuir um subsídio no valor de 7.500$00 destinado a comparticipar nas obras a levar a cabo no recinto da capela; o pagamento do subsídio seria efectuado mediante a celebração de protocolo entre as partes.

Dados Técnicos

Sistema estrutural de paredes portantes.

Materiais

Estrutura rebocada e pintada; placa de betão; molduras dos vãos, fogaréus e sineira em grantino; grades de ferro; portas de ferro; pavimento do adro em cimento; teto do adro em madeira; cobertura de telha.

Bibliografia

ALMEIDA, Carlos Alberto Ferreira de, Alto Minho, Lisboa, 1987; ALMEIDA, José Avelino de, Dicionário abreviado de Corografia, Topografia e Arqueologia das Cidades, Vilas e Aldeias de Portugal, Valença, 1866; ARAÚJO, José Rosa de, Os Miliários da Estrada Romana de Braga a Tuy, O Distrito de Braga, 5, 1982, pp. 121 - 246; ARGOTE, Gerónimo Contador de, Memórias para a História Eclesiástica do Arcebispado de Braga, Lisboa, 1734; CAPELA, Martins, Miliários do Conventus Bracaraugustanus em Portugal, Porto, 1895; CUNHA, Narcizo C. Alves da, No Alto Minho. Paredes de Coura, 1909; MELO, Maria de Fátima da Silva, Arqueologia do concelho de Ponte de Lima, Faculdade de Letras, Lisboa, 1967; SANTOS, Luciano A. dos, Miliários Inéditos da Via Romana de Braga a Tuy, Sep. da Rev. Arquivo do Alto Minho, vol. 24, Viana do Castelo, 1979; SARMENTO, Francisco Martins, Inscrições Inéditas in Boletim da Real Associação dos Architectos Civis e Archeologos Portuguezes, tomo 4, nº 4 / 5, série 2, Lisboa 1883 / 1884, p. 58 - 59 / p. 69 - 70; SARMENTO, Martins, Os Marcos miliários de S. Bartolomeu das Antas, A Revista Moderna, 2, Porto, 1882.

Documentação Gráfica

DGPC: DGEMN:DSID

Documentação Fotográfica

DGPC: DGEMN:DSID, SIPA

Documentação Administrativa

Intervenção Realizada

1881, cerca - pequenas obras na capela.

Observações

Autor e Data

Alexandra Cerveira 1997

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login