Capela das Pereiras

IPA.00003495
Portugal, Viana do Castelo, Ponte de Lima, Arca e Ponte de Lima
 
Capela reconstruída no séc. 19, em estilo barroco, apresentando planta retangular e capela-mor, interiormente com ampla iluminação axial e bilateral e com coberturas em falsa abóbada de berço. As fachadas são firmadas por pilastras, coroadas por fogaréus, e terminam em duplo friso e cornija. A principal é em empena recortada, com cornija borromínica, e é rasgada por eixo de vãos, em arco abatido, o portal entre pilastras sustentando entablamento com fogaréus laterais, sobreposto pelas armas de família. Nas fachadas laterais abrem-se duas janelas na nave e capela-mor, e porta travessa, de verga abatida terminada em cornija. No interior tinha coro-alto, capelas laterais e púlpito no lado do Evangelho.
Número IPA Antigo: PT011607350034
 
Registo visualizado 473 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Religioso  Templo  Capela / Ermida  

Descrição

Planta retangular composta de nave única e capela-mor, mais baixa, tendo adossada à fachada lateral esquerda torre sineira quadrangular, sensivelmente recuada, e sacristia retangular. Volumes articulados com coberturas diferenciadas a telhados de duas águas, rematadas em beirada simples. Fachadas rebocadas e pintadas, de cunhais apilastrados, coroados por fogaréus adelgaçados, sobre plintos paralelepipédicos, e terminadas em duplo friso e cornija. A fachada principal, virada a ocidente, termina em empena recortada, sobreposta por cornija borromínica, coroada por cruz latina, de cantaria, sobre acrotério. É rasgada por eixo de vãos interligados, formado por portal de verga abatida, com chave relevada, ladeado por pilastras almofadadas, sustentando duplo friso e cornija, encimada por fogaréus sobre plintos, e por janela, de verga abatida e moldura levemente recortada e terminada em cornija; sobrepuja-a brasão com armas de família. À esquerda e sensivelmente recuada, dispõe-se torre sineira, de dois registos, separados por frisos e cornija, o primeiro rebocado e pintado, rasgado por óculo elíptico gradeado, e o segundo, inacabado, em cantaria, com pilastras laterais assentes em bases e ventana longilínea, em arco de volta perfeita, sobre pilastras. Nas fachadas laterais abrem-se, na nave, porta travessa de verga abatida, de moldura terminada em cornija e duas janelas laterais de igual modinatura e formando falsos brincos retos, gradeadas, e, na capela-mor, duas outras janelas iguais. A fachada posterior é rasgada por óculo elíptico e termina em empena, coroada por crus latina sobre acrotério volutado. INTERIOR despojado, com as paredes rebocadas e pintadas de branco, terminadas em friso e cornija sobre a qual assenta a cobertura, em falsa abóbada de berço. No lado do Evangelho, possui púlpito, de bacia retangular, sobre mísula, atualmente sem guarda, acedido por portal de verga reta com moldura terminada em cornija, seguido de porta para a sacristia, de igual modinatura. Arco triunfal de volta perfeita sobre pilastras. Na capela-mor, o pavimento integra várias lápides sepulcrais brasonadas, e existe estrutura retabular, em talha policroma. Na sacristia conserva-se lavabo

Acessos

Ponte de Lima, Lugar das Pereiras, Largo Delfim de Guimarães; Largo Capitão José de Magalhães. WGS84 (graus decimais) lat.: 41,768711; long.: -8,582273

Protecção

Categoria: IM - Interesse Municipal, Decreto nº 28/82, DR, 1.ª série, n.º 47 de 26 fevereiro 1982

Enquadramento

Urbano, isolado, implantação harmónica. Ergue-se num maciço sobranceiro à vila, ainda dentro do perímetro da antiga muralha, que passava junto à fachada posterior e onde se erguia a Torre das Pereiras ou de Vasco Marinha. Insere-se numa plataforma sobrelevada, formando átrio, delimitado por muro e a que se tem acesso por escadaria frontal, de dois lanços, com bolas sobre acrotérios que intercalam a guarda, e uma outra, lateral, de um só lanço e com acrotérios já sem bolas. Confronta a sul com a Casa das Pereiras (v. IPA.00003569). Para norte e nordeste, desenvolve-se a Mata Conde d’Aurora e, a cerca de 120 m para norte, localiza-se a Casa de Nossa Senhora da Aurora (v. IPA.00004097).

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Religiosa: capela

Utilização Actual

Religiosa: capela

Propriedade

Pública: municipal

Afectação

Sem afetação

Época Construção

Séc. 19

Arquitecto / Construtor / Autor

Desconhecido.

Cronologia

1525, 23 outubro - Pedro Afonso Fiuza e sua mulher, Catarina Madriz, constroem capela em substituição de uma pequena ermida que existia no mesmo local; 1526, 19 março - segundo testamento de Afonso Fiuza a governança e administração da capela ficava a cargo de dois administradores, que deviam sê-lo em anos alternados, ou cada um deles alternadamente em dois anos seguidos; 1757 - 1758 - re-edificação do corpo do templo pelo então administrador João de Barros Barbosa; 1775 - 1812 - os administradores têm de responder com os seus próprios bens na prestação de contas da administração da capela; 1818 - administrador Tomás Malheiro Correia Brandão, um dos 7500 bravos de Mindelo, e o último capitão-mor de Ponte de Lima, obtém autorização da Provedoria para elevar e aumentar o templo e sacristia, gastando na totalidade 1.138$000; 1872, 30 junho - visita a capela D. Luís I aquando da sua deslocação a Ponte de Lima, tendo-se hospedado na casa solarenga dos Momisos que a ladeia; 2016, 01 julho - abertura da capela ao público com inauguração de exposição.

Dados Técnicos

Sistema estrutural de paredes portantes.

Materiais

Estrutura rebocada e pintada; pilastras, frisos, cornijas, molduras dos vãos, bacia do púlpito, lavabo e outros elementos em cantaria de granito; estrutura retabular em talha policroma; cobertura de telha.

Bibliografia

LEMOS, Miguel Roque dos Reys - Anais Municipais de Ponte de Lima. Ponte de Lima: 1977; MORAIS, Adelino T. de - «Situação da Capela dos Pereiras na Assembleia Municipal». In Diário do Minho. Braga: 10 março 1988; MORAIS, Adelino T. de - «Capela dos Pereiras espera uma solução enquanto a sua memória data já de 1525». In Primeiro de Janeiro. Porto: 05 fevereiro 1991; REIS, António P. de Matos dos - Itinerários de Ponte de Lima. Ponte de Lima: 1973; SOUSA, Patrícia - «Edifícios históricos abrem portas à arte contemporânea». In Correio do Minho. 02 julho 2016, p. 18.

Documentação Gráfica

DGPC: DGEMN:DSID

Documentação Fotográfica

DGPC: DGEMN:DSID, SIPA

Documentação Administrativa

DGPC: DGEMN:DSID

Intervenção Realizada

Câmara Municipal de Ponte de Lima: 1988 - reparação do telhado e novo reboco; 1989 - beneficiação das caixilharias exteriores; 1990 - reconstrução da telha dos beirados; 1997 - início da recuperação interior: paredes, abóbadas e pavimentos.

Observações

*1 - O antigo coro-alto, sobre pilastras, tinha acesso por escada de caracol, a partir da torre sineira.

Autor e Data

Paula Noé 1992

Actualização

João Almeida (Contribuinte externo) 2019
 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login