Termas Medicinais Romanas de Chaves

IPA.00034448
Portugal, Vila Real, Chaves, Santa Maria Maior
 
Termas medicinais de construção romana, figurando, segundo o arqueólogo da Câmara de Chaves, Sérgio Carneiro, entre as maiores e mais bem conservadas termas medicinais romanas da Península Ibérica, e entre as maiores do Império, apenas comparáveis às de Baia (Itália), Hamat Gader (Israel), Bath (Inglaterra) e Badenweiler (Alemanha). O edifício incluía duas grandes piscinas, mais sete de pequenas dimensões, um complexo sistema hidráulico de abastecimento às infraestruturas e uma grande abóbada. O balneário está entre os cinco mais bem preservados do mundo, tendo ainda todo o sistema hidráulico a funcionar.
Número IPA Antigo: PT011703500212
 
Registo visualizado 440 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Saúde  Termas    

Descrição

Compõem-se de uma série de estruturas, integrando um balneário termal e edifícios anexos.

Acessos

Santa Maria Maior, Largo do Arrabalde

Protecção

Categoria: MN - Monumento Nacional, Decreto n.º 31-H/2012, DR, 1.ª Série, n.º 252 de 31 dezembro 2012 / ZEP, Portaria nº 490/2013, DR, 2.ª série, n.º 138, de 19 julho 2013

Enquadramento

Urbano, em pleno centro histórico, numa praça desenvolvida lateralmente ao enfiamento da rua a partir da ponte, nas imediações da mesma (v. PT011703510001), e junto ao Tribunal Judicial de Chaves (v. PT011703500122).

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Saúde: termas

Utilização Actual

Cultural e recreativa: marco histórico-cultural

Propriedade

Afectação

Época Construção

Época romana

Arquitecto / Construtor / Autor

ARQUITETOS: Cândido Lopes (2016), Nicolau Lopes (2016).

Cronologia

Séc. 01 - início da construção do complexo termal de Chaves; séc. 04 d.C. - abandono das termas e colapso da grande abóbada da estrutura, na sequência de um sismo; 2006 - escavações para a construção de um parque de estacionamento subterrâneo no Largo do Arrabalde, põem a descoberto o complexo termal romano; 2016 - Câmara submete uma candidatura de 800 mil euros a fundos comunitários para a conservação e musealização do balneário romano; 2018, início - graves problemas de humidade e de condensações superficiais põem em causa a conservação das estruturas, visto que, o fecho dos espaços onde as águas termais atingem os 65 graus, não permite que a instalação de sistema mecânico de renovação do ar solucione o problema; 01 agosto - sessão pública de esclarecimento no Auditório do Centro Cultural de Chaves, promovida pela Câmara, sobre a obra do museu e sobre a solução encontrada pelo LNEC para evitar a condensação e proceder à musealização do espaço; uma das soluções apresentadas consiste na criação de um sistema de ventilação natural e aquecimento do museu sem alterar a temperatura da água, utilizando para o efeito a água das Termas de Chaves; a outra solução consiste em colocar um sistema de ventilação também natural e, através de furos de captação de água do museu, reconduzir essa água e utilizá-la no aquecimento do museu; 2019 - data prevista para a conclusão das obras do Museu das termas.

Dados Técnicos

Materiais

Bibliografia

COSTA, Ana Correia - «Primeiro museu termal romano abre em 2017». In Jornal de Notícias. 29 setembro 2016; http://www.patrimoniocultural.pt/pt/patrimonio/patrimonio-imovel/pesquisa-do-patrimonio/classificado-ou-em-vias-de-classificacao/geral/view/13214032 [consultado em 4 janeiro 2017]; PINTO, Beatriz Silva - «Humidade no museu das termas romanas põe ruínas em perigo». In Público. 15 janeiro 2018.

Documentação Gráfica

Documentação Fotográfica

Documentação Administrativa

Intervenção Realizada

CMChaves: 2005 - início das escavações arqueológicas das termas.

Observações

EM ESTUDO. *1 - As escavações permitiram recuperar um espólio constituído por peças raras, de grande valor científico e em excelentes condições, das quais se destaca um pirgo (torre para lançar dados de jogar), de que se conhece apenas três no mundo, moedas, anéis, contas de colar, pentes em madeira, estiletes, facas, fragmentos de cestaria, uma cabeça feminina em mármore, três aras em granito e mármore, artefatos relacionados com a escrita, ferramentas de carpintaria, etc.

Autor e Data

Paula Noé 2013

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login