Pelourinho de Larim

IPA.00000344
Portugal, Braga, Vila Verde, Soutelo
 
Arquitectura político-administrativa e judicial, quinhentista. Pelourinho de pinha piramidal embolada, com soco quadrangular de um degrau, encimafo por base simples e coluna clássica, rematando em pináculo piramidal e bola. Pelourinho bastante simples, mas que ainda possui os ferros de sujeição.
Número IPA Antigo: PT010313520002
 
Registo visualizado 230 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Estrutura  Judicial  Pelourinho  Jurisdição senhorial  Tipo pinha

Descrição

Estrutura em cantaria de granito, composta por soco de um degrau, parcialmente escondida por uma camada de musgo, na qual se ergue base cúbica. Coluna com base quadrada, fina, de fuste de secção circular, ligeiramente galbado, possuindo nos topos moldura arredondada. Conserva os ferros de sujeição presos por argolas de ferro na parte inferior e superior do fuste. Capitel prismático, quadrangular com molduradas sobrepostas inseridas no remate, de forma piramidal encimado por bola com cruz de ferro torneada.

Acessos

Lugar de Soutelo, na Casa da Torre. WGS84 (graus decimais) lat.: 41.609676; long.: -8.438363

Protecção

Categoria: IIP - Imóvel de Interesse Público, Decreto nº 23 122, DG, 1ª Série, nº 231, de 11 outubro 1933

Enquadramento

Rural, isolado, implantado no jardim Casa da Torre (v. PT010313520015), junto à fachada principal do edifício do Centro de Espiritualidade e Cultura.

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Judicial: pelourinho

Utilização Actual

Cultural e recreativa: marco histórico-cultural

Propriedade

Pública: estatal

Afectação

Autarquia local, Artº 3º, Dec. nº 23 122, 11 Outubro 1933

Época Construção

Séc. 16 (conjectural)

Arquitecto / Construtor / Autor

Desconhecido.

Cronologia

1514, 06 Outubro - D. Manuel concede foral a à vila de Larim, também conhecida como Lalim *1; provável construção do pelourinho fronteiro aos antigos paços do concelho da vila; 1706 - povoação dos Duques de Bragança, que partilha os oficiais com o concelho de Vila Chã; tem juiz ordinário, 2 vereadores, procurador, eleito pela população a que preside o Ouvidor de Barcelos; 1758 - nas Memórias Paroquiais, assinadas pelo pároco Francisco Xavier Leite Fráguas, é referido que a povoação, com 140 vizinhos, pertence à Casa de Bragança; é cabeça da Comarca de Lalim e tem juiz ordinário e câmara; é servido pelo juiz dos órfãos e juiz das sizas da Vila de Esposende; séc. 19 - a vila de Larim é incorporada em Vila Chã; 1855 - extinção do concelho, integrando também os munícipios de Peneda, Prado e Pico de Regalados.

Dados Técnicos

Sistema estrutural autónomo.

Materiais

Estrutura em cantaria de granito; cruz e ferros de sujeição em ferro.

Bibliografia

Câmara Municipal de Vila Verde; Processo de classificação da Câmara Municipal de Vila Verde; COSTA, António Carvalho da (Padre), Corografia Portugueza…, vol. I, Lisboa, Valentim da Costa Deslandes, 1706; MALAFAIA, E. B. de Ataíde, Pelourinhos Portugueses - tentâmen de inventário geral, Lisboa, Imprensa Nacional - Casa da Moeda, 1997; SOUSA, Júlio Rocha e, Pelourinhos do Distrito de Braga, Viseu, 2000.

Documentação Gráfica

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Administrativa

DGARQ/TT: Memórias Paroquiais (vol. 35, n.º 214, fl. 1543-1550)

Intervenção Realizada

Nada a assinalar.

Observações

*1 - antigo concelho constituído pelas freguesias de Soutelo, Turis e uma parte de São Julião da Lage e cuja sede era, precisamente, em Soutelo.

Autor e Data

Isabel Sereno e João Santos 1994

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login