Convento dos Capuchos / Convento do Pereiro / Quinta da Anunciada Velha

IPA.00003409
Portugal, Santarém, Tomar, União das freguesias de Madalena e Beselga
 
Arquitectura religiosa, manuelina e maneirista. Convento franciscano capucho, cujos vestígios de uma primitiva construção encontram-se no embasamento da casa de habitação, do lado S. e E., reconhecendo-se uma estrutura murária que faria talvez parte do antigo dormitório dos frades e o local do antigo claustro conventual franciscano, no actual pátio; capela conventual a N. do claustro, inicialmente coberta por abóbada de nervuras manuelina, com arco triunfal já de proporções maneiristas. A "torre" de perfil e decoração manuelinos (cúpula esguia oitavada, torsais em remate), junto ao tanque e sobre a nascente, terá funcionado como oratório e casa de fresco, à semelhança da "Charolinha" integrada na Mata dos 7 Montes, em Tomar (Vd. Ficha IPA) (Moreira, 1994, p. 60). O "obelisco" seria apenas um marco de posse ou de entrada, com paralelo em idênticos objectos situados no início da calçada do convento de Cristo (Ibidem, p. 61).
Número IPA Antigo: PT031418070028
 
Registo visualizado 423 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Religioso  Convento / Mosteiro  Convento masculino  Ordem de São Francisco - Franciscanos Capuchos (Província da Soledade)

Descrição

HABITAÇÃO: planta longitudinal composta por vários rectângulos adossados, dispostos em redor de um pátio quadrangular; volumes articulados com coberturas diferenciadas em telhado de 2 e 3 águas com beiral; os alçados S., E. e O, formados por corpos escalonados, assentam em parte num elevado embasamento, vencendo o desnível aí existente. A N. do pátio a CAPELA conventual, de planta longitudinal (23x6,5m), orientada, massa simples com cobertura em telhado de 2 águas, empenas angulares a E. e O.; cobertura interna em madeira; nave e capela-mor justapostas, arco triunfal divisório, a meio ponto, assente em pilastras laterais toscanas. "OBELISCO" - volume troncocónico, com c. de 5 m. de altura. "TORRE" - planta quadrangular (7x5m), volume prismático adaptando-se ao desnível do terreno, coroado por coruchéu piramidal, oitavado; a face virada a nascente, com c. de 6m. de altura, com vestígios de encosto de um muro, é rasgada por vão de verga recta, a face oposta, com c. de 12m., assenta em forte embasamento; no remate dos muros exteriores torsal e motivos florais relevados. Interior coberto por cúpula piramidal, sobre trompas; pequeno nicho rasgado em arco canopial, vestígios de frescos.

Acessos

Próximo da Aldeia de Cem Soldos, a 3Km. de Tomar, na Est. de Tomar para Torres Novas

Protecção

Categoria: IM - Interesse Municipal, Decreto n.º 45/93, DR, 1.ª série-B, n.º 280 de 30 novembro 1993 *1

Enquadramento

Rural, meia encosta, isolado. A zona edificada está rodeada por terrenos agrícolas de cultivo - vinha, olival, pomares. O "obelisco" está isolado a meio de um terreiro, à entrada da quinta, a "torre" encontra-se junto a um muro, semi-engastada numa elevação, sobranceira em relação a um amplo tanque de rega, rodeado por vegetação.

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Religiosa: convento masculino

Utilização Actual

Residencial: casa de quinta / Comercial e turística: casa de turismo de habitação

Propriedade

Privada: pessoa singular

Afectação

Sem afectação

Época Construção

Séc. 16 / 20

Arquitecto / Construtor / Autor

Cronologia

1527 - doação de casas, igreja, pomares e fonte por Isabel Teixeira, viúva de Antão de Figueiredo, guarda-roupa de D. Afonso V, aos frades capuchos, que a adaptam às necessidades da comunidade religiosa; dessas adaptações fazem parte a "torre" e o tanque, o "obelisco" e a capela-mor da capela conventual; séc. 16, finais - ampliação da capela-mor; 1629 - a comunidade franciscana troca a Quinta da Anunciada por terrenos junto ao convento de Cristo, onde a partir de 1645 constrói novo convento, conhecido como Anunciada Nova; 1836 - a Quinta é vendida, após a extinção das ordens religiosas, ao Padre Manuel Carrão, beneficiado da Sé Patriarcal de Lisboa; 1857 - António Bernardo da Costa Cabral, primeiro Conde e Marquês de Tomar compra a quinta; 1942 - obras de adaptação a residência de veraneio e instalações agrícolas; 1988 - 1995 - segunda campanha de obras de adaptação a casa de turismo de habitação.

Dados Técnicos

Paredes autoportantes (casa e capela), estrutura mista (torre)

Materiais

Estrutura em alvenaria de pedra e tijolo rebocada e caiada, com rodapés, faixas e molduras a amarelo (habitação); estrutura em pedra aparelhada ("torre"); alvenaria de pedra e tijolo ("obelisco"); cantaria em algumas molduras; cobertura em telha cerâmica (habitação).

Bibliografia

FRANÇA, Sofia Pinto da e FRANÇA, António Pinto da, Quinta da Anunciada Velha, Tomar, 1994; MONFORTE, Frei Manuel de, Crónica da Província da Piedade, Livro III, Lisboa, 1696; MOREIRA, Rafael, Relatório sobre a Quinta da Anunciada Velha, in Quinta da Anunciada Velha, Tomar, 1994; ROSA, Amorim, História de tomar, I, 1965; SANTIAGO, Frei Francisco de, Crónica da Santa Província de Nossa Senhora da Soledade, I, Lisboa, 1762; TEIXEIRA, Garcês, A igreja do primitivo convento da Anunciada nos arredores de Tomar, in Anais da União dos Amigos dos Monumentos da Ordem de Cristo, III, 1951; VITERBO, Sousa, Diccionario Historico e Documental dos Architectos, Engenheiros e Construtores Portuguezes ou a serviço de Portugal, Lisboa, Imprensa Nacional, 1904, vol. II; http://www.patrimoniocultural.pt/pt/patrimonio/patrimonio-imovel/pesquisa-do-patrimonio/classificado-ou-em-vias-de-classificacao/geral/view/70985 [consultado em 2 janeiro 2017].

Documentação Gráfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Administrativa

IHRU: DGEMN/DSID

Intervenção Realizada

1988 - reintegração do arco triunfal da capela conventual, de janelas, portas e cunhais; 1994 - prospecção no embasamento da casa de habitação, do lado S. e E..

Observações

*1 - DOF "... incluindo a torre manuelina, construção remanescente da antiga capela e o "obelisco" próximo da Aldeia de Cem Soldos. *2 - a Quinta tem grande interesse histórico - foi sede do 1º convento de capuchos na região, granja da Ordem de Cristo e propriedade do Conde de Tomar, sendo amplamente referenciada na documentação do séc. XVII ao 20. 3. O túmulo dos fundadores da quinta, Isabel Teixeira e Antão de Figueiredo, retirado da capela conventual, está guardado no convento de Cristo em Tomar - na sua lastra inscrições em caracteres góticos e elementos decorativos de estilo manuelino-renascentista. 4. O "obelisco" tem sido interpretado como base de um cruzeiro, como o túmulo de um bispo e ainda, segundo entendidos em cabala, como um símbolo fálico que obrigaria as forças telúricas a espalharem-se pelas vizinhas terras calcárias, fertilizando-as (França, 1989, p. 124). 5. Na zona outrora ocupada pelo claustro, foram encontrados muitos vestígios de azulejos de faixa (para formar enxaquetados), de aresta, relevados, podendo ainda testemunhar-se exemplos de azulejos de padrão de ponta de diamante; foram igualmente encontradas faianças utilitárias seiscentistas e setecentistas e barros com decoração de engobes.

Autor e Data

Isabel Mendonça 1995

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login