Chafariz de São Lourenço

IPA.00003405
Portugal, Santarém, Tomar, União das freguesias de Tomar (São João Baptista) e Santa Maria dos Olivais
 
Chafariz do tipo nicho, construído no séc. 16, mantendo-se a estrutura original, com a estrutura de nicho assente em pilares toscanos, o entablamento, devendo ser, como as suas congéneres, cobertas por domo. Tem sobre a bica as armas de D. João III, o primeiro monarca a utilizar o escudo do tipo "nacional" e o último a utilizar o coronel, substituído por coroa fechada com D. Sebastião, confirmando, assim, a sua construção nesta data. Situava-se num ponto importante da entrada de Tomar e junto às Ferrarias. Foi remodelada na primeira metade do séc. 18, sendo acrescentada uma lápide com inscrição em latim, a documentar esta intervenção, a mando do rei D. João V.
Número IPA Antigo: PT031418120024
 
Registo visualizado 159 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Estrutura  Hidráulica de elevação, extração e distribuição  Chafariz / Fonte  Chafariz / Fonte  Tipo nicho

Descrição

Fonte em cantaria, encostada a um muro de sustentação, protegida por alpendre, virado a oriente, de planta quadrada, sustentado por dois pilares e duas pilastras rematados por pináculos piramidais sobre altos plintos almofadados, todos da Ordem Toscana, os quais são encimados por entablamento simples; sobre este, surge lápide emoldurada, superiormente recortada por enrolamentos e acantos, tendo inscrição e sobrepujada por cruz latina simples. Dá origem a uma cobertura plana, de execução mais recente. Junto aos pilares, dois pequenos muretes protegem a estrutura, com acesso central. No pano de muro entre as duas pilastras, inscreve-se bica simples, prolongada por cano metálico, que verte para tanque retangular, de bordos simples, dividido por muros das pias laterais, retilíneas, que se prolongam até aos muros que fecham o terreiro. Sobre a bica, escudo português, de D. João III, encimado por coronel, muito mutilado.

Acessos

Avenida D. Nuno Álvares Pereira, à saída de Tomar. WGS84 (graus decimais): lat.: 39,591719; long.: -8,406203

Protecção

Categoria: IIP - Imóvel de Interesse Público, Decreto n.º 42 692, DG, 1.ª série, n.º 276 de 30 novembro 1959 *1 / Abrangido pela Zona Geral de Proteção da Capela de São Lourenço (v. IPA.00002029)

Enquadramento

Urbano, adossado a muro divisório de propriedade, que sustenta o terreno, em cota mais elevada do que o da fonte. Encontra-se no fundo de um terreiro definido por altos muros de alvenaria rebocada e pintada de branco, percorrido por socos salientes, formando bailéus; o terreiro apresenta ligeira inclinação relativamente à cota da via pública que lhe dá acesso, em terra batida, formando um retângulo, antecedido por área ovalada, de acesso, tendo, ao centro, um padrão em cantaria de granito, composto por altar plataforma quadrangular, onde assenta a base tronco-piramidal, encimado por dois elementos em cantaria com dois anéis muto salientes e remate em obelisco de suporte a candeeiro metálico, de iluminação pública. Situa-se fronteiro à Capela de São Lourenço (v. IPA.00002029) e ao Padrão de D. João I (v. IPA.00001965), junto a uma ladeira que constituía, antes do séc. 16, o acesso a Tomar.

Descrição Complementar

INSCRIÇÃO muito delida no frontão: "LVSTRA DECEM ANNOS SE QVINTO NVMERANTE IOANNE / DISPOSVITIVED HOC HIACINTHVS OPVS / ET SI FONS CVNCTIS FLVAT HIC CANDORE PERENNI / LAVRENTI AS ILIVM EONTE PERENNE MAGIS / 1746".

Utilização Inicial

Hidráulica: chafariz

Utilização Actual

Hidráulica: chafariz

Propriedade

Pública: municipal

Afectação

Sem afetação

Época Construção

Séc. 16

Arquitecto / Construtor / Autor

Desconhecido.

Cronologia

Séc. 16 - construção da estrutura; 1712 - Carvalho da Costa refere a existência de três fontes na vila, a da Relva, a de São Gregório na Várzea Pequena e a de São Lourenço, de que não se bebe água, pois sofre muito com as constantes cheias do rio (COSTA, 153); 1714 - D. João V visita o convento e a vila de Tomar e terá ordenado obras na fonte; 1746 - acabam as obras de construção da fonte, segundo consta da inscrição que se lê no frontão, no 56º ano de vida de D. João V, sendo juiz de fora e Presidente da Câmara o Dr. Manuel Jacinto Leitão; 1817, 08 março - em sessão de Câmara decide-se mandar limpar a fonte (ROSA, II, 242); 1943, 07 julho - projeto da DGEMN para recuperação do chafariz (SIPA: TXT.01827873).

Dados Técnicos

Sistema estrutural autónomo.

Materiais

Estrutura e elementos em cantaria de calcário.

Bibliografia

COSTA, Padre António Carvalho da - Corographia Portugueza e Descripçam Topografica do famoso Reyno de Portugal. Lisboa: Officina de Valentim da Costa Deslandes, 1712, vol. III; ROSA, Alberto de Sousa Amorim - Anais do Município de Tomar… Tomar: Câmara Municipal, 1940, 1966 e 1974, vols. I, II e IX; ROSA, Alberto de Sousa Amorim - História de Tomar. Tomar: Gabinete de Estudos Tomarenses, 1965, vol. II.

Documentação Gráfica

DGPC: DGEMN:DRMLisboa

Documentação Fotográfica

DGPC: DGEMN:DSID

Documentação Administrativa

DGPC: PT DGEMN:DSARH-010/264-0198 [processo classificação], PT DGEMN:DSID-001/014-014-2089/1 [zona de proteção], PT DGEMN:DSARH-010/264-0187 [processo relativo ao Padrão de D. João I]

Intervenção Realizada

CMTomar: 1841 - limpeza da fonte (ROSA,Hist, II, 82); 1852, outubro - limpeza da fonte e reparação da canalização (ROSA, I, 141); 1858 - reparação da fonte (ROSA, I, 197); 1914, agosto - limpeza da fonte (ROSA, IX, 364); 1941, maio - limpeza do tanque (ROSA, I, 16).

Observações

*1 - DOF: Fonte de São Lourenço e terreiro anexo.

Autor e Data

Paula Figueiredo 2019

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login