Complexo Mineiro do Vale Superior do Rio Terva

IPA.00034002
Portugal, Vila Real, Boticas, Ardãos e Bobadela
 
Minas de exploração de ouro, da época romana, compostas por várias cortas de extração do ouro a céu aberto e galerias. Constituiu uma exploração romana de grande impacto, ainda hoje visível na grande transformação que operou na paisagem e na topografia. O Poço das Freitas é o mais importante, por ser a maior das cortas deixadas pelos romanos.
Número IPA Antigo: PT011702040086
 
Registo visualizado 420 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Conjunto arquitetónico  Edifício e estrutura  Extração, produção e transformação  Mina    

Descrição

Complexo mineiro estruturado em três núcleos, Poço das Freitas, Batocas e Brejo, com diversas cortas de extração do ouro a céu aberto, bem como algumas galerias que auxiliavam aos trabalhos de remeximento dos solos. O Poço das Freitas, no limite S. do conjunto, possui uma corta com cratera de cerca de 100 metros de comprimento, frequentemente inundada. Fazem ainda parte do complexo as minas de Batocas e do Brejo. Relativamente perto existem habitats onde viviam os que trabalhavam na exploração do ouro, nomeadamente o do Carregal, imediatamente abaixo do Poço das Freitas e que constitui uma mancha de ocupação dificilmente detetável pela grande densidade vegetal que cobre a zona e da qual não se detetaram quaisquer estruturas, mas apenas espólio de superfície.

Acessos

Bobadela

Protecção

Categoria: SIP - Sítio de Interesse Público / ZEP, Portaria nº 386/2013, DR, 2.ª série, n.º 115, de 18 junho 2013

Enquadramento

Rural, isolado, implantado entre os ribeiros do Vidoeiro e do Calvão, e na confluência de ambos com o rio Terva, junto da estrada romana que ligava Chaves a Braga, constituindo uma área relativamente ampla, com cerca de 40 hectares.

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Extração, produção e transformação: mina

Utilização Actual

Cultural e recreativa: marco histórico-cultural

Propriedade

Afectação

Época Construção

Época romana

Arquitecto / Construtor / Autor

Não aplicável

Cronologia

Época romana - exploração mineira do Vale Superior do Rio Terva; 2006, 10 abril - proposta de abertura do processo de classificação da Universidade do Minho - Unidade de Arqueologia; 20 junho - informação favorável da DRPorto; 11 setembro - parecer favorável do IPArqueologia; 14 setembro - despacho de abertura do processo de classificação da Vice-Presidente do IPPAR; 2012, 8 junho - proposta da DRCNorte para a classificação como Sítio de Interesse Público e fixação da respetiva Zona Especial de Proteção; 25 julho - parecer favorável da SPAA do Conselho Nacional de Cultura; 24 outubro - publicação do projeto de decisão de classificar o complexo mineiro como Sítio de Interesse Público e fixação da respetiva Zona Especial de Proteção, em DR, 2.º série, n.º 206, anúncio n.º 13618/2012; 2012, 24 dezembro - alteração ao projeto de decisão relativo à classificação como Sítio de Interesse Público do complexo mineiro do Vale Superior do Rio Terva e à fixação da respetiva Zona Especial de Proteção, em DR, 2.º série, n.º 248, anúncio n.º 13802/2012.

Dados Técnicos

Materiais

Bibliografia

Complexo Mineiro Antigo do Vale Superior do Rio Terva, Paulo Fernandes in IGESPAR (http://www.igespar.pt/pt/patrimonio/pesquisa/geral/patrimonioimovel/detail/9990054/), [consultado em 26-10-2012]; http://www.patrimoniocultural.pt/pt/patrimonio/patrimonio-imovel/pesquisa-do-patrimonio/classificado-ou-em-vias-de-classificacao/geral/view/9990054 [consultado em 4 janeiro 2017].

Documentação Gráfica

Documentação Fotográfica

Documentação Administrativa

Intervenção Realizada

Observações

EM ESTUDO. DOF: "...constituído pela Mina do Poço de Freitas, Mina das Batocas e Mina do Brejo". O complexo estende-se pela freguesia de Ardãos e de Bobadela. *2 - Uma empresa canadiana promoveu recentemente novas análises dos solos, concluindo pela viabilidade de exploração de ouro no local, tendo-se estimado o potencial mineiro em aproximadamente 7,1 toneladas de minério. A autarquia de Boticas concedeu o apoio possível ao projeto, consolidando o investimento privado de reativação das minas com um eixo turístico-cultural, através da criação de um centro de interpretação, percursos pedonais e uma valorização dos sítios proto-históricos e romanos já identificados na área.

Autor e Data

Paula Noé 2012

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login