Aeroporto de Pemba

IPA.00033736
Moçambique, Cabo Delgado, Pemba-Metuge, Pemba-Metuge
 
Arquitectura de transportes, do século 20. Edifício de betão armado, do qual sobressai, assente numa coluna cilíndrica, uma torre de controlo de planta quadrangular com uma varanda a todo o perímetro.
Número IPA Antigo: MZ910115000005
 
Registo visualizado 169 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Conjunto arquitetónico  Edifício e estrutura  Transportes  Aeroporto    

Descrição

Edifício em betão armado com caixas de ventilação superior, sobressaindo uma pequena torre de controlo de formato quadrangular, assente numa coluna cilíndrica, com uma pequena varanda a toda a volta. Contíguo a este, o edifício dos passageiros, de dois pisos, apresenta na fachada principal uma profusa presença de vidro e uma pala em betão, de grandes dimensões. Do lado da pista e ao nível do primeiro andar, o destaque recai na varanda de grande dimensões, assente em pilotis e com guarda em betão armado.

Acessos

Pemba *1

Protecção

Enquadramento

Peri-urbano, isolado. Localizado no aeroporto de Pemba, numa área a sul da cidade.

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Transportes: aeroporto

Utilização Actual

Transportes: aeroporto

Propriedade

Afectação

Época Construção

Séc. 20

Arquitecto / Construtor / Autor

ARQUITECTO: Carlota Quintanilha (1960 / 1970); João José Tinoco (1960 / 1970)

Cronologia

1960, década - data da construção do edifício, segundo projecto da autoria dos arquitetos João José Tinoco e Carlota Quintanilha.

Dados Técnicos

Materiais

Bibliografia

MATTOSO, José (dir.), Património de Origem Portuguesa no Mundo, arquitetura e urbanismo: África, Mar Vermelho e Golfo Pérsico, Lisboa, Fundação Calouste Gulbenkian, 2010, p. 573.

Documentação Gráfica

Documentação Fotográfica

Documentação Administrativa

Intervenção Realizada

Observações

EM ESTUDO. João José Tinoco projetou igualmente as aerogares dos aeroportos de Nampula (com Carlota Quintanilha e Alberto Soeiro), a de Vila Cabral (atual Lichinga) e de Tete (com António Veloso). Segundo José Manuel Fernandes, "estes edifícios inserem-se numa mesma "família estética", identificada pelas carismáticas torres de controlo [...] [tratando-se] de "obras de expressão fortemente geométrica, abstrata, em alguns casos quase expressionista" *1 - Até à independência de Moçambique, Pemba designva-se por Porto Amélia.

Autor e Data

Tiago Lourenço 2011 (projeto FCT PTDC/AURAQI/104964/2008 "Gabinetes Coloniais de Urbanização: Cultura e Prática Arquitectónica")

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login