Ponte do Boutaca

IPA.00003333
Portugal, Leiria, Batalha, Batalha
 
Ponte de arco, de traça neogótica, com tabuleiro plano de pavimento em asfalto, assente em 6 arcos quebrados, ladeada por pavilhões românticos. Guardas em cantaria com grilhagem em quadrifólios na zona da arcaria e plena na zona sem arcaria. Sobressai pela sua relação com o Mosteiro de Santa Maria da Vitória, bem como com a Igreja Matriz da Batalha, encontrando-se abrangida pela sua zona de protecção. De realçar a existência de pavilhões colocados à entrada e saída da ponte, sugerindo antigas portagens.
Número IPA Antigo: PT021004010007
 
Registo visualizado 796 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Estrutura  Transportes  Ponte / Viaduto  Ponte pedonal / rodoviária  Tipo arco

Descrição

Ponte de tabuleiro plano (60 m. x 7 m.), seccionada em 3 tramos divididos por pavilhões; os tramos laterais em cantaria, no lado S. com 6 contrafortes e um arco pleno no início do tabuleiro, apresentam guarda plena em alvenaria; o tramo central assente em 6 arcos quebrados, intercalados por contrafortes com vários esbarros; amurada em cantaria, com grilhagem em quadrifólios, rematada a espaços por pináculos, no topo dos contrafortes. 2 pavilhões à entrada e à saída da ponte, ladeando o tabuleiro, de planta rectangular (5,70 m. x 3,80 m.), assentam num alto embasamento em talude; fachadas principais rasgadas por 1 porta e posteriores e fachadas laterais abertas por 2 janelas em arco apontado; são rematados por grilhagem em cantaria, com pináculos nos vértices encimando os 4 cunhais; cobertura homogénea em telhados de 4 águas sobre os pavilhões. Janelas em arco ogival rasgam as paredes, portas abrem para o tabuleiro.

Acessos

EN. 1 - EN 356. Troço da variante da Jardoeira ao Casal da Amieira. Tv. do Fogueteiro. WGS84 (graus decimais) lat: 39.658041° long: -8.830927°

Protecção

Categoria: IIP - Imóvel de Interesse Público, Decreto nº 28/82, DR 47 de 26 fevereiro 1982 / Incluído na Zona Especial de Protecção do Mosteiro da Batalha (v. PT021004010001)

Enquadramento

Urbano e rural. Incluído na da zona de protecção da Igreja Matriz e do Mosteiro da Batalha, tem a E. o edifício e terrenos da Quinta do Fidalgo (v. PT021004010010). Ergue-se a O. da vila, sobre a ribeira da Calvaria, tendo feito parte da antiga Estrada real que ligava Lisboa ao Porto. Na continuidade da estrada destaca-se o Edifício da Escola António Cândido da Encarnação (v. PT021004010022)

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Transportes: ponte

Utilização Actual

Transportes: ponte

Propriedade

Pública: Estatal

Afectação

Junta Autónoma das Estradas

Época Construção

Séc. 19

Arquitecto / Construtor / Autor

Desconhecido

Cronologia

1862 - construída durante o reinado de D. Luís, segundo placa aí existente. Um dos pavilhões serviu de casa a um guarda, outro de arrecadação de ferramentas; 2001 - encomendado um Estudo Estrutural da Ponte da Boutaca à Universidade do Minho - Departamento de Engenharia Civil; 2004 - publicado em Diário da República nº 209/III Série de 03 de Setembro um concurso para intervenção na Ponte de Boutaca; 2005, 17 de Maio - Autarquia e IPPAR assinam protocolo de recuperação da Ponte de Boutaca.

Dados Técnicos

Paredes autoportantes, estruturas mistas

Materiais

Cantaria e alvenaria de pedra; telha cerâmica; seixo rolado; granito.

Bibliografia

O Mensageiro, Leiria, 25-08-1966; RIBEIRO, Aníbal Soares, Pontes Antigas Classificadas, MEPAT- JAE, 1998; LOURENÇO, Paulo B., FEIO, Artur, Estudo Estrutural da Ponte da Boutaca, RELATÓRIO 01-dec/e-3, Uni. Minho, Dezembro 2001; www.csarmento.uminho.pt, 05/01/2005.; http://www.cm-batalha.pt/index.php?pagina=comunicado&id=219 [consulta em 25-01-2010]

Documentação Gráfica

IHRU: DGEMN/DSID; UM

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN/DSID; UM

Documentação Administrativa

IHRU: DGEMN/DSID; UM

Intervenção Realizada

DGEMN: 1988 - Reparação das coberturas dos 4 pavilhões; vedação provisória dos vãos em alvenaria e folha de zinco; reposição dos elementos dos pináculos e ornamentos em cantaria em falta, na platibanda e nas guardas; IPPAR: 2007 - limpeza da vegetação; obras gerais de conservação e restauro; substituição do sistema de drenagem existente; tratamento da pedra; reposição de rebocos e pinturas tradicionais; reconstrução das guardas e pináculos; reposição do capeamento em alvenaria dos contrafortes; picagem, reboco e pintura dos pavilhões; colocação de portas e janelas; projecto de reocupação; colocação de semáforos nas entradas da ponte de forma a controlar a velocidade dos veículos motorizados; recuperação dos passeios, em seixo rolado na zona sem arcaria e em laje de granito na zona da arcaria; tratamento da envolvência; colocação de sinalética apropriada; iluminação do imóvel.

Observações

Se não é possível desviar o trânsito da ponte, torna-se urgente controlar a velocidade dos veículos motorizados que a atravessam. *1 - Câmara da Batalha remete projecto ao IPPAR para Valorização do viaduto da ponte do Boutaca. A autarquia da Batalha vai remeter ao Instituto Português do Património Arquitectónico (IPPAR) uma proposta de utilização das quatro casas de "portageiros", construídas sobre o viaduto da ponte do Boutaca, no âmbito do projecto de recuperação que está em fase de estudos e que será em breve implementado por aquele instituto. Segundo a proposta da Câmara, cada uma das casas será dedicada a uma faixa etária específica: infantil, juvenil, adulta e senior. Mas entre todas existirá uma interligação, de modo a criarem-se ambientes, referências e projectos capazes de dotar de dinamismo e participação toda aquela infra-estrutura histórica. O objectivo comum será, assim, "a utilização cultural e pedagógica dos espaços, para que possam ser usufruídos tanto a nível municipal como no âmbito do turismo". Mais concretamente, para o espaço infantil está projectado um espaço de exposição de vários trabalhos, incentivando a participação e a aprendizagem da cultura e do património por parte dos mais pequenos. Em complemento, é também equacionada a possibilidade de estarem presentes artesãos, artistas e formadores afectos à Escola de Artes e Ofícios Tradicionais da Batalha, para ministrarem pequenas "aulas" aos mais novos. Para o espaço juvenil, o projecto abarca, também, a exposição de trabalhos de diferentes artes, tais como o desenho, a pintura, a escultura, a fotografia, entre outros, em que os aspectos históricos e patrimoniais do concelho ganhariam relevância constante. Tendo em consideração o interesse generalizado dos adultos pela realidade cultural, para esta faixa etária seria criado um mini-museu de carácter essencialmente informativo, contendo diversa documentação histórica e cultural. No que se refere ao espaço para os mais idosos, o estudo considera a necessidade do repouso, complementando-o com fortes incentivos visuais e auditivos, por forma a ultrapassar eventuais limitações físicas inerentes à idade. A par destes espaços temáticos, seria também adaptada uma zona para exposição e venda de artigos gastronómicos tradicionais. (in: http://www.cm-batalha.pt)

Autor e Data

Isabel Mendonça 1991 / Cecília Matias 2005

Actualização

2010
 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login