Castro dos Ratinhos

IPA.00033053
Portugal, Beja, Moura, União das freguesias de Moura (Santo Agostinho e São João Baptista) e Santo Amador
 
Aglomerado prot-urbano. Povoado da Idade do Ferro com anterior ocupação do sítio do Bronze Final. Povaodo fortificado constituído originalmente por cabanas de planta circular, com estruturas de barro e colmo, distribuídas por plataformas escalonadas e protegido por várias linhas de muralhas, construídas em pedra a coroar taludes artificiais, formando uma complexa rede de defesa; possuía ainda um fosso monumental, escavado na rocha; no topo restos de uma estrutura, evidenciando técnicas construtivas e métricas fenícias, de provável função religiosa.
Número IPA Antigo: PT040210070066
 
Registo visualizado 67 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Conjunto urbano  Aglomerado urbano  Povoado  Povoado da Época do Ferro  Povoado fortificado  

Descrição

Vestígios de muralhas, constituídos por taludes de terra e pedra.

Acessos

Protecção

Categoria: SIP - Sítio de Interesse Público, Portaria n.º 717/2012, DR, 2.ª série, n.º 237 de 07 dezembro 2012

Enquadramento

Rural, isolado, em colina, no Outeiro dos Castelos, sobranceiro à Barragem do Alqueva, na margem esquerda do Guadiana, entre a desembocadura do rio Degebe, a montante e a do Ardila, a jusante.

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Não aplicável

Utilização Actual

Não aplicável

Propriedade

Afectação

Sem afetação

Época Construção

Idade do Ferro

Arquitecto / Construtor / Autor

Não aplicável

Cronologia

Séc. 11 a.C. - Idade do Ferro - edificação do povoado; séc. 08 a.C. - prováveis relações comerciais com as colónias fenícias recém-fundadas nas costas da Ibéria, para exploração de recursos mineiros; séc. 07 a.C., meados - o Castro dos Ratinhos é abandonado, provavelmente substituído por um recém povoado edificado nas proximidades, na margem S. do Ardila, onde posteriormente seria erguido o Castelo de Moura (v. PT040210070006); 1943 - identificação do povoado pelo Dr. Fragoso de Lima; 1997, 12 setembro - proposta de classificação do Castro pela EDIA; 1998, 07 agosto - Proposta de abertura do processo de classificação peloIPPAR/DRÉvora; 2001, 31 janeiro - Parecer favorável à classificação pelo IPArqueologia; 2003, 29 janeiro - Despacho de abertura do procedimento de classificação pelo Vice-Presidente do IPPAR; 2004, 08 janeiro - Parecer do Conselho Consultivo do IPPAR a propor a classificação como IIP; 2004, 10 março - Despacho de homologação de classificação como IIP pelo Ministro da Cultura; 2010, 30 novembro - Proposta de ZEP pela DRCAlentejo; 2011, 07 novembro - Parecer favorável à ZEP pela SPAA do Conselho Nacional de Cultura; 2012, 24 dezembro - publicado no DR, 2.ª série, n.º 248, o Anúncio n.º 13803/2012 de Projeto de decisão relativo à fixação de ZEP.

Dados Técnicos

Materiais

Bibliografia

http://www.patrimoniocultural.pt/pt/patrimonio/patrimonio-imovel/pesquisa-do-patrimonio/classificado-ou-em-vias-de-classificacao/geral/view/5775963 (Consultado 27-08-2014)

Documentação Gráfica

Documentação Fotográfica

Documentação Administrativa

Intervenção Realizada

Observações

EM ESTUDO

Autor e Data

Rosário Gordalina 2013

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login