Capela de Santa Ágata / Ermida de São Neutel / Capela de Santa Águeda

IPA.00000330
Portugal, Beja, Alvito, Vila Nova da Baronia
 
Arquitectura religiosa, popular, gótica, maneirista. Pequeno santuário de romarias periódicas constituído por capela rural de dimensão média, antecedida por grande galilé, com construções anexas onde funcionavam as casas dos romeiros e do ermitão, enquadrando-se no gótico-final mudéjar. No interior coberturas em abóbada de cruzaria de ogivas estribadas em feixes de colunas e em colunas adossadas, com fechos e mísulas esculpidas de carácter vegetalista e heráldico; galilé e portal com características maneiristas. Conjunto de pinturas murais nos alçados e coberturas, de oficina regional, seiscentistas, apresentando várias campanhas e mãos na sua execução. Frontal do altar-mor de azulejos polícromos, seiscentistas, de influência oriental figurando ramagens e aves, semelhante aos da Igreja Matriz de Cuba (v. PT040207010005) e da Igreja Matriz de Vila Nova da Baronia (v. PT040203020010). A escuridão do interior sem qualquer entrada de luz é compensada pela vibrante policromia dos frescos que cobrem paredes e abóbadas, de cariz popular. Destaque para o frontal de altar de azulejos seiscentistas de influência oriental. Durante a romaria a Santa Águeda assinala-se a oferta de grandes quantidades de leite, em honra do seu martírio durante o qual lhe foram cortados os seios; o objectivo desta dávidas era o de propiciar a produtividade dos rebanhos, que era colocado em cântaros no alpendre da ermida e depois leiloado pelos romeiros.
Número IPA Antigo: PT040203020012
 
Registo visualizado 2116 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Religioso  Templo  Igreja de peregrinação  

Descrição

Planta composta pela capela e pelas casa dos romeiros e do ermitão rodeando a capela a N. e S.. Capela de planta longitudinal, composta pela justaposição do rectângulo da nave (12,10 m. x 6,70 m) ao quadrado da capela-mor (5,75 x 5,75 m), a que se adossa a S. o quadrado da sacristia, a O. o da galilé. Volumes articulados com coberturas diferenciadas: telhados de 1, 2, 3 e 4 águas sobre os anexos, nave, capela-mor e galilé, respectivamente, domo sobre a sacristia. Fachada principal marcada pela galilé de grandes dimensões, rasgada por 3 arcos, (entaipado o do lado S.), rebaixados sobre pilastras toscanas em cada uma das faces, coberta por abóbada de arestas; na fachada da igreja um arco cego idêntico aos que vazam a galilé enquadra o portal adintelado moldurado. INTERIOR: sem qualquer fenestração, mostra uma porta travessa entaipada, a N.; nave única de 2 tramos cobertos por abóbadas estreladas, com fechos esculpidos, estribadas em colunas fasciculadas. Grade em ferro separando a nave da capela-mor; arco triunfal em arco quebrado; capela-mor com idêntica cobertura, com a cruz de Cristo e uma estrela de oito pontas nos fechos, estribada em colunas adossadas, com capitéis vegetalistas; no altar-mor frontal de azulejos polícromos, figurando ao centro a imagem de São Neutel enquadrada por ramagens, ninhos e aves, entre elas alguns psitacídeos; retábulo-mor em talha dourada. Sacristia coberta por cúpula sobre trompas.

Acessos

Herdade de Santa Águeda, próximo de Vila Nova da Baronia

Protecção

Categoria: MIP - Monumento de Interesse Público / ZEP, Portaria n.º 505/2011 DR, 2ª série, n.º 76 de 18 abril 2011

Enquadramento

Rural, no Monte dos Aires, rodeado por terrenos agrícolas. Nas imediações um palanque com espaldar em madeira decorado com pinturas recentes representando o orago, onde se realizam os festejos anuais.

Descrição Complementar

PINTURAS MURAIS: todo o interior, alçados e abóbadas, são revestidos por pintura mural a fresco, com várias camadas de intervenção, representando cenas da vida de Santa Águeda e de São Neutel, anjos músicos na capela-mor, vários santos (Santa Luzia, Santa Catarina de Alexandria, Santo André, Santo Agostinho, São Paulo eremita, São Brás, São Luís, Santo Amaro, São Bartolomeu, São Paulo, Santa Maria Madalena, São João Baptista, Santa Rita de Cássia, São Francisco de Assis), a Virgem com O Menino, a Pietà, a Santíssima Trindade, a representação da matança dos inocentes na nave e no alçado do lado evangelho, no 1º tramo da nave, representação de um São Cristovão gigante transportando O Menino. INSCRIÇÔES: Sobre o portal, no interior da capela, centrando a cena da matança dos inocentes a inscrição: "Dos bens do Santo./ obra de pintura que mandarão / fazer os ofesiais da camara sendo / juizes Francisco Fernandez Estevenz, e Manuel Boralho / Carasco vereadores Notel Jeam Sobral / Manoel Lourenço Sardinha / Alexandre Joze. e escrivão / Manuel Coelho Piteiro, e pro-/ curador Francisco / Tavares no anno / de 1784".

Utilização Inicial

Religiosa: igreja de peregrinação

Utilização Actual

Religiosa: igreja de peregrinação

Propriedade

Privada: Igreja Católica (Diocese de Beja)

Afectação

Sem afectação

Época Construção

Séc. 16 / 17 (conjectural)

Arquitecto / Construtor / Autor

Desconhecido

Cronologia

Séc. 16, inícios - data provável de construção da capela, dedicada a Santo Eleutério, Papa de 174 a 189, cujo nome por corruptela popular se transformou em São Neutel, personagem hagiográfica lendária; 1570, c. de - execução retábulo-mor; séc. 17 - construção da galilé; 1755 - construção do portal, após o terramoto; a ermida recebeu então o onomástico adicional de Santa Águeda, santa de grande devoção local (ESPANCA, 1993), provocando uma implantação humana em redor, que deu origem à aldeia de São Neutel, de que subsistem as casas existente em redor do templo; 1977, 01 de Abril - proposta da Junta Nacional da Educação, sugerindo a classificação do imóvel como IIP; 1977, 15 de Abril - Despacho de homologação de classificação como IIP da Capela de Santa Ágata, azulejos e o retábulo do séc. 16 no altar-mor, pelo Secretário de Estado da Investigação Científica; 2009, 15 de Março - proposta de criação de ZEP pela DRCAlentejo; 2009, 15 de Julho - Parecer do Conselho Consultivo do IGESPAR propondo a classificação como IIP e aprovando a proposta de ZEP; 2010, 01 de Junho - Despacho de homologação de classificação e ZEP pelo Secretário de Estado da Cultura.

Dados Técnicos

Estrutura autónoma

Materiais

Paredes e abóbadas de alvenaria rebocada; cobertura de telha assente em estrutura de betão; pavimento de tijoleira prensada.

Bibliografia

ESPANCA, Túlio, Inventário Artístico de Portugal, Distrito de Beja, Lisboa, 1993; MANIQUE, Luís de Pina, A arte manuelina na arquitectura de Alvito, Lisboa, 1949; VALÉRIO, António João Feio, Arte e História no Concelho de Alvito - Guia para uma visita, Alvito, Câmara Municipal, 1994.

Documentação Gráfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN/DSID; Arquivo "Mural da História"

Documentação Administrativa

IHRU: DGEMN/DSID

Intervenção Realizada

DGEMN: 1982 / 1984 - substituição da cobertura da nave e reparação da ábside, refechamento de fendas de paredes e abóbadas; Instituto José de Figueiredo: 1985 / 1986 - restauro das pinturas murais; DGEMN: 1986 - substituição de pavimentos de tijoleira em ruína na nave, capela-mor e nartex; assentamento de caixilhos e portadas incluindo pintura na sacristia e anexo; limpeza de telhados; reparação de telhados nos anexos; pintura da porta principal; caiação de paredes e abóbada; 1995 - obras de conservação de coberturas, rebocos e caiações, caixilharias, incluindo reparação e reconstrução de nervuras das abóbadas das naves, desobstrução de arco da galilé; restuaro de pinturas murais e da talha do retábulo-mor.

Observações

1 - *DOF ... azulejos e o retábulo do séc. 16 no altar-mor; *2 - Incluído no Plano de Acção para as Terras da Baronia de Alvito, CMA, 1999.

Autor e Data

Isabel Mendonça 1993

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login