Convento de Santo Agostinho / Museu de Leiria

IPA.00003299
Portugal, Leiria, Leiria, União das freguesias de Leiria, Pousos, Barreira e Cortes
 
Convento de eremitas de Santo Agostinho, maneirista e barroco, com igreja de planta em cruz latina, de nave única, rodeada por capelas laterais intercomunicantes, fachada com 2 torreões; convento rodeando claustro do lado N.. Edifício do Seminário de planta rectangular, 3 pisos, fachada centrada pelo conjunto portal / janela de sacada.
Número IPA Antigo: PT021009120005
 
Registo visualizado 524 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Conjunto arquitetónico          

Descrição

Convento de planta composta: igreja de planta em cruz latina, orientada, claustro de planta quadrangular, implantado a N., rodeado por dependências conventuais. Volumes articulados, com coberturas diferenciadas: telhado de 2 águas na nave e capela-mor, de 3 águas no transepto, de 1 água nas capelas laterais e sacristias, telhados de 2 águas sobre as instalações conventuais. Fachada principal da igreja com 3 corpos separados por pilastras duplas, rematadas por fogaréus, prolongando-se os laterais em torres sineiras cobertas por coruchéus; no corpo central, coroado por frontão contracurvado, rasga-se portal com frontão de volutas interrompido por óculo e cartela; fachada S. e cabeceira marcadas por cunhais e pilastras rematadas por pináculos piramidais sobre acrotérios prismáticos. Interior de nave única, iluminada por 8 janelas na nave e 3 janelões no coro, é coberta por abóbada de lunetas; 3 capelas laterais intercomunicantes abrem para a nave a N. e a S., cobertas por abóbadas de canhão com caixotões; coro-alto sobre arco rebaixado; nos braços do transepto, coberto por abóbada de cruzaria de ogivas, rasga-se uma porta travessa, a S., encontrando-se entaipada a porta de comunicação com o claustro, do lado N.. A capela-mor profunda é coberta por abóbada de caixotões. CLAUSTRO - com 5 tramos por ala, com abóbada de arestas, abrindo para a quadra por arcos de volta perfeita; sobre ele terraço, com o qual comunicam as dependências conventuais. SEMINÁRIO - Edifício junto ao convento, de planta rectangular, volume prismático, coberto por telhado de 4 águas. A fachada principal virada a S., lisa, de janelas de vão rectangular moldurado, é animada pelo conjunto do portal de frontão de volutas encimado por janela de sacada; sobre a porta o escudo do bispo fundador, D. Pedro Vieira da Silva. Cunhais rematados por pináculos, moldura divisória entre o 2º e 3º registos e cornija em cantaria.

Acessos

Rua Tenente Valadim e Largo de Infantaria Sete. WGS84: 39º44'30.43''N.; 8º48'08.49''O.

Protecção

Categoria: IIP - Imóvel de Interesse Público, Decreto n.º 28/82, DR, 1.ª série, n.º 47 de 26 fevereiro 1982 / ZEP, Portaria n.º 300/87, DR, 1.ª série, n.º.º 84 de 10 abril 1987

Enquadramento

Urbano. Na margem esquerda do rio Liz, entre o rio e a Rua Tenente Valadim (antiga Rua de Santo Agostinho)

Descrição Complementar

A toda a largura da ábside a igreja apresenta um retábulo em pedraria da autoria de Ernesto Korrodi. Dos 2 lados da capela-mor, nas paredes, as lápides sepulcrais dos 2 bispos cujo nome esteve ligado ao início e à conclusão da igreja: D. Frei Gaspar do Casal e D. Frei António de Santa Maria. No transepto 2 altares em pedraria de proporções maneiristas, em capelas datadas em lápides de 1665 e 1700, fundadas por Diogo Leão de Morais e Maria da Fonseca Pereira Brandoa. Duas imagens de vulto setecentistas, estofadas e pintadas, Santa Rita no altar do lado do Evangelho, São Francisco de Borba, numa das capelas laterais.

Utilização Inicial

Religiosa: convento masculino

Utilização Actual

Religiosa: igreja / Cultural e recreativa: museu

Propriedade

Pública: estatal (Convento e antigo Seminário) / Privada: Igreja Católica (Igreja - Diocese de Leiria - Fátima)

Afectação

DRCCentro, Portaria n.º 829/2009, DR, 2.ª série, n.º 163 de 24 agosto 2009 (Cionvento e parte do antigo seminário) / Ministério da Defesa Nacional (parte do Seminário)

Época Construção

Séc. 16 / 18

Arquitecto / Construtor / Autor

Desconhecido.

Cronologia

1577 - início das obras da igreja por iniciativa do Bispo Frei Gaspar do Casal, cujo brasão remata a empena; 1579 - início da construção do convento. As obras, às quais desde o início se opôs o cabido da Sé, que não queria ver a conclusão das obras da Sé atrasada, arrastaram-se até ao 1º quartel do séc. 17; 1671 - criação do Seminário pelo bispo D. Pedro Vieira da Silva, que o entrega no ano seguinte à Ordem de Santo Agostinho; séc. 18 (2ª metade) - alterações na fachada principal; D. Manuel de Aguiar consegue a desanexação do Seminário do Convento de Santo Agostinho, com apoio régio; 1803 - reforma o edifício, então muito arruinado, que é aberto em 1804, de novo fechado em 1807 e reaberto em 1812; 1834 - instalação de um quartel no convento, passando a igreja a capela regimental; o Seminário é encerrado, tendo reaberto em 1850, pela mão do Dr. Manuel José da Costa; 1910 - realizam-se obras de restauro na igreja; pouco depois a igreja passa a servir de refeitório do quartel; 1944 - igreja entregue ao bispado de Leiria; 1992, 01 junho - o imóvel é afeto ao Instituto Português do Património Arquitetónico, pelo Decreto-lei 106F/92, DR, 1.ª série A, n.º 126; 2015, 15 novembro - abertura do Museu de Leiria, instalado no edifício do convento; 2017, 06 abril - o Museu de Leiria recebe The Silletto Prize, uma das distinções mais importantes da cerimónia anual dos prémios do European Museum Forum.

Dados Técnicos

Paredes autoportantes, estruturas autónomas.

Materiais

Alvenaria e cantaria de pedra calcária; telha cerâmica, mármores; betão armado no convento.

Bibliografia

COSTA, Lucília Verdelho da, Leiria, Lisboa, 1989; O Couseiro ou Memórias do Bispado de Leiria, Braga, 1868; SEQUEIRA, Gustavo de Matos, Inventário Artístico de Portugal, vol. V, Lisboa, 1955; SOUSA, Acácio e outros, Levantamento do património edificado, Leiria, 1990; ZUQUETE, Afonso, Leiria - subsídios para a história da sua diocese, Leiria, 1943.

Documentação Gráfica

IHRU: DGEMN/DSID, DGEMN/DREMC, DGEMN/DSEP, DGEMN/DSARH, DGEMN/DREL-DEM

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN/DSID, DGEMN/DREMC

Documentação Administrativa

IHRU: DGEMN/DSID, DGEMN/DREMC

Intervenção Realizada

1910 - restauros efectuados na igreja; 1985 - restauros na parte conventual: previstas obras de consolidação dos pisos com lajes de betão armado pré-esforçado e de reconstrução das coberturas, com telhado cerâmico sobre esteira; picagem de rebocos no interior e exterior (os trabalhos iniciam-se pela ala O.); 1986 - continuação dos trabalhos na ala N.. Reforço das paredes em betão simples para colmatar rombos; substituição de vergas em madeira por lintéis em betão; 1987 - concluídas as alas O. e N., as obras continuam na ala E.. A ala S. continua entaipada, uma vez que pertence à igreja.

Observações

Autor e Data

Isabel Mendonça 1991

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login