Igreja Paroquial de Amoreira / Igreja de Nossa Senhora de Aboboriz

IPA.00003256
Portugal, Leiria, Óbidos, Amoreira
 
Arquitectura religiosa, maneirista. Igreja de nave única, capela-mor e capelas laterais. Galilé no frontispício e fachada lateral N..
Número IPA Antigo: PT031012020039
 
Registo visualizado 81 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Religioso  Templo  Igreja paroquial  

Descrição

Planta longitudinal, composta por nave única, capela-mor, sacristia, dependências paroquiais e 2 galilés, uma no frontispício e outra lateral; volumes articulados na horizontalidade; cobertura exterior em telhado diferenciado de 2 águas sobre a nave e capela-mor, 3 águas sobre galilé e de aba corrida sobre sacristia, dependências paroquiais e galilé lateral. Fachada principal orientada a O. em empena angular rematada por cruz, óculo a cuja altura se eleva a galilé de 8 vãos delimitados por colunas assentes num parapeito corrido aberto ao centro por escada que desce para acesso ao templo através de porta recta encimada por nicho com imagem; robusta torre sineira de secção quadrada aberta ao nível do 2º piso por um campanário em arco alteado em cada uma das faces, com remate em corochéu de ângulos quebrados flanqueado por pináculos com pombas nos topos e encimado por cruz em ferro. Fachada S. avançamento dos corpos das dependências paroquiais, abertos por porta e janelas; corpo da nave rasgado por 2 janelas a nível do 2º piso; corpo da capela-mor com janela; empenas rectas. Fachada E. corpo da capela-mor de pano único delimitado por cunhais de cantaria terminando em empena ângular, janela. Fachada N. ressalto da sacristia e alpendre de 7 vãos com escada de acesso a porta que abre para a nave. INTERIOR: coro-alto de balaustrada assente sobre 2 colunas de fuste liso, abre para nave única de pavimento em mosaico e cobertura em tecto de madeira disposto em 3 planos formando caixotões; cadeiral entre capela e altares laterais, tendo um destes retábulo com colunas pseudosalomónicas (Epístola); púlpito de balaustrada, assente em mísula, com escada de um lanço, junto a altares laterais (Evangelho); revestimento azulejar de padronagem dividido em 2 andares (o superior com o módulo mais dilatado) através de uma barra que envolve o conjunto e integra as capelas e altares laterais, sob o coro-alto, do lado do Evangelho destaca-se painel de 10 por 11 azulejos policromos com um São Miguel e Almas dentro de uma dupla moldura de óvulos, com a legenda: HV . PADRE . NO.SO. E / HVA. AVE. MARIA PE / LA TENSA. DO DEVO / TO Q. MANDOV . FA. / ZER. ESTE. PAIN / EL. No coro-alto, enquadrando o óculo, silhar de azulejos avulso azul e branco com motivos florais, que se prolonga longitudinalmente pelo corpo da nave até à sanca. Azulejos de padronagem revestem a parede onde se abre arco triunfal de volta perfeita. Capela-mor de pavimento lajeado e cobertura em abóbada de berço; altar de retábulo policromado com camarim e trono; revestimento azulejar a meia altura. Iluminação feita através de óculo, 4 janelas da nave e 2 janelas da capela-mor.

Acessos

Rua Dr. Formosinho Sanches

Protecção

Inexistente

Enquadramento

Urbano, isolado, implantação harmónica, com amplo adro ajardinado, junto ao cemitério. Situa-se no ermo da localidade junto da EN 114.

Descrição Complementar

A pia de água benta tem forma octogonal, a pia baptismal é bojuda. A porta de entrada principal tem um livro aberto relevado na verga, atributo da imagem colocada no nicho que a encima.

Utilização Inicial

Religiosa: igreja paroquial

Utilização Actual

Religiosa: igreja paroquial

Propriedade

Privada: Igreja Católica (Diocese de Lisboa)

Afectação

Sem afectação

Época Construção

Séc. 17

Arquitecto / Construtor / Autor

Desconhecido

Cronologia

1512 - Amoreira foi Vila com foral dado por D. Manuel, era da Casa das Rainhas; séc. 17 - construção da igreja e revestimento azulejar; séc. 18 (1ª metade) - campanha de obras levadas a efeito na igreja.

Dados Técnicos

Paredes autoportantes, estrutura mista

Materiais

Estruturas de alvenaria e cantaria; coberturas em madeira e telha; pavimentos em mosaico e laje; revestimento azulejar; talha; rebocos.

Bibliografia

SEQUEIRA, Gustavo de Matos, Inventário Artístico de Portugal, vol. V, Lisboa, 1955.

Documentação Gráfica

CMO: planta cartográfica

Documentação Fotográfica

DGEMN: DSID

Documentação Administrativa

Intervenção Realizada

Fábrica da Igreja: 2000/2001 - obras de conservação.

Observações

Autor e Data

Lurdes Perdigão 1998

Actualização

Cecília Matias 2003
 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login