Igreja Paroquial de Caveira / Igreja das Benditas Almas

IPA.00032452
Portugal, Ilha das Flores (Açores), Santa Cruz das Flores, Caveira
 
Igreja paroquial.
Número IPA Antigo: PT072006010009
 
Registo visualizado 442 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Religioso  Templo  Igreja  

Descrição

Planta rectangular composta por nave e capela-mor, tendo adossada sacristia e corpo de arrumos. Volumes articulados com coberturas de duas águas na igreja e sacristia e de uma água no corpo de arrumos.

Acessos

Caveira, Caveira de Cima, Rua da Igreja; Rua do Norte

Protecção

Inexistente

Enquadramento

Urbano, isolado, implantado num adro nivelado e elevado em relação à rua. No adro dispõe-se um dos sinos e a antiga pia batismal.

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Religiosa: igreja

Utilização Actual

Religiosa: igreja paroquial

Propriedade

Privada: Igreja Católica (Diocese de Angra - Arciprestado das Flores)

Afectação

Sem afectação

Época Construção

Séc. 18 / 19

Arquitecto / Construtor / Autor

Desconhecido.

Cronologia

1767 - início da construção de uma pequena igreja, por iniciativa de José António de Sousa Bettencourt, com invocação de Benditas Almas, no local hoje ocupado pelo cemitério da freguesia; possuía 12 metros de comprimento por apenas 4,2 m de largura; a actual igreja paroquial das Benditas Almas era então propriedade de João António de Bettencourt, descendente do fundador, e estaria em estado de conservação razoável; 1823, 19 dezembro - alvará de D. João VI, elevando a paróquia o lugar da Caveira, a pedido do reitor da vizinha freguesia da Lomba, o padre José Joaquim de Almeida; 1835, 11 agosto - a Junta de Paróquia e o pároco pediram ao vigário capitular da então sede vacante de Angra a mudança do orago para Nossa Senhora do Livramento, alegando que o dia em que se celebravam as Benditas Almas era de ofícios fúnebres e portanto pouco próprio para celebrações; a mudança foi sempre recusada; 1867 - em inventário, aparece descrita como quasi em estado de ruínas; 1869 - confirma-se o estado de quase ruína num relatório do governador civil do distrito da Horta, António José Vieira Santa Rita, que considera lastimoso o seu estado de conservação; 1867 - início dos trabalhos de construção da actual igreja com a mesma invocação do século anterior; 1870, 13 junho - lançamento da primeira pedra; a construção foi lenta e dificultosa, recebendo a freguesia donativos da comunidade emigrada nos Estados Unidos da América e de vários notáveis, entre os quais o visconde de Silva Figueira; 1934 - data do sino disposto no pavimento do adro, executado pela Fundição de Sinos de Braga (n.º 99); 1880, 11 setembro - inauguração da capela-mor.

Dados Técnicos

Sistema estrutural de paredes portantes.

Materiais

Estrutura em alvenaria de pedra rebocada e caiada de branco; soco, cunhais, cornijas, molduras dos vãos, arco triunfal, bacia do púlpito, degraus e escadas interiores e exteriores e elementos decorativos em cantaria aparente; cobertura de telha de aba e canudo.

Bibliografia

http://cm-santacruzdasflores.azoresdigital.pt, outubro 2011; http://www.inventario.iacultura.pt, outubro 2011; http://pt.wikipedia.org/wiki/Caveira_(Santa_Cruz_das_Flores), outubro 2011.

Documentação Gráfica

Documentação Fotográfica

DGPC: SIPA

Documentação Administrativa

Intervenção Realizada

Observações

EM ESTUDO

Autor e Data

Paula Noé 2011

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login