Igreja do Espírito Santo

IPA.00003226
Portugal, Portalegre, Fronteira, Cabeço de Vide
 
Arquitectura religiosa, quinhentista. Cruzeiro com base da coluna e relevos renascentistas. O Cruzeiro tem relevos historiados esculpidos com a "Pietá" e "Cristo".
Número IPA Antigo: PT041208010001
 
Registo visualizado 346 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Religioso  Templo  Igreja  

Descrição

CRUZEIRO assente sob uma plataforma quadrada, revestida de calçada à portuguesa, ao centro, soco de 3 degraus de planta quadrangular onde assenta coluna com base formada por plinto quadrado, toro, escócia e bocelão; fuste monolítico, liso; capitel com colarinho; coxim lavrado de decoração vegetalista estilizada e ábaco moldurado, sobre o qual se vê esculpida uma imagem de Nossa Senhora da Piedade de um lado e do outro uma imagem de Cristo; entre os dois relevos alça-se uma cruz de pedra rematada por uma pomba. Nos quatro ângulos da plataforma calcetada, plintos piramidais ligados por correntes de ferro, delimitando e protegendo o monumento. Altura total: c. 5 m.

Acessos

Largo do Espírito Santo. WGS84 (graus decimais) lat.: 39,132918, long.: -7,592406

Protecção

Categoria: MN - Monumento Nacional, Decreto de 16-06-1910, DG, 1.ª série, n.º 136 de 23 junho 1910 (Cruzeiro)

Enquadramento

Urbano, isolado, implantação harmónica num largo e envolvido por casario típico com zona envolvente ajardinada.

Descrição Complementar

A Igreja possui lápide tumular com a inscrição "Aqui jaz Brás de Gonçalves Figueiró, homem solteiro. Fundou esta casa. Foi a Roma a pé, pelas indulgências desta casa. Faleceu com a idade de 80 anos na era de 1550".

Utilização Inicial

Religiosa: igreja

Utilização Actual

Religiosa: igreja

Propriedade

Privada: Igreja Católica (Diocese de Portalegre - Castelo Branco)

Afectação

Sem afetação

Época Construção

Séc. 16

Arquitecto / Construtor / Autor

Cronologia

1211 - já existia a igreja, antes da doação da vila à Ordem de Avis; séc. 16 - reconstrução da igreja e fundição do sino; construção de novos portais e entaipamento dos primitivos; ampliação da nave lateral;1512 - a vila, antiga sede de concelho, recebe foral por D. Manuel;provável construção do cruzeiro e reconstrução da igreja; 1516, 20 Janeiro - o síndico da confraria do Espírito Santo, Brás Gonçalves Figueiró, obteve, em Roma, a união da Confraria de Cabeço de Vide à sua congénere de Roma; séc. 17 - compra de um segundo sino; 1952 - obras de restauro do imóvel; 2000, 04 Agosto - despacho de abertura do processo de classificação da igreja; 2008, 10 Janeiro - proposta de criação de uma Zona Especial de Proteção conjunta para os imóveis classificados e em vias de classificação; 23 Abril - parecer do Conselho Consultivo do IGESPAR propondo a classificação do conjunto urbano; 2009, 23 outubro - caduca o processo de classificação da Capela conforme o Artigo n.º 78 do Decreto-Lei n.º 309/2009, DR, 1.ª série, n.º 206, alterado pelo Decreto-Lei n.º 265/2012, DR, 1.ª série, n.º 251 de 28 dezembro 2012, que faz caducar os procedimentos que não se encontrem em fase de consulta pública.

Dados Técnicos

Estrutura autónoma (Cruzeiro)

Materiais

Cantaria, mármore.

Bibliografia

KEIL, Luís, Inventário Artístico de Portugal - Distrito de Portalegre, vol. I, Lisboa, 1940.

Documentação Gráfica

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN/DREMS; SIPA

Documentação Administrativa

Intervenção Realizada

Observações

EM ESTUDO.

Autor e Data

Rosário Gordalina 1991

Actualização

Paula Figueiredo 2012
 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login