Povoação de Pintéus

IPA.00032099
Portugal, Lisboa, Loures, União das freguesias de Santo Antão e São Julião do Tojal
 
Núcleo urbano. Povoação situada em encosta com vertente para o vale junto a rio, desenvolvida a partir de uma propriedade agrícola (Quinta de Pintéus), cujas construções mais antigas são setecentistas e oitocentistas. Traçado linear orgânico cujo eixo estruturante (estrada municipal) se articula com eixos complementares / transversais que vencem a encosta.
Número IPA Antigo: PT031107140200
 
Registo visualizado 1675 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Conjunto urbano  Aglomerado urbano  Povoação      

Descrição

Núcleo urbano de traçado linear orgânico, estruturado ao longo do eixo principal formado pelas Ruas João Domingos Duarte e Humberto Delgado (EM 541), de ligação entre Santo Antão do Tojal e Fanhões, desenvolvido a partir de uma propriedade agrícola (Quinta de Pintéus). O traçado é composto pelo eixo principal cuja plataforma acompanha, em posição sobranceira, o desenvolvimento do rio. Dele partem eixos complementares transversais que vencem a encosta para O.: Rua António Luís Pires Gomes prolongando-se pela Rua do Poder Local e escadaria de ligação à Rua Catarina Eufémia; Rua D. João V; Travessa Amílcar Cabral. Do lado E. a plataforma da estrada é limitada por murete em alvenaria de pedra, pontualmente interrompido por construção, permitindo a ligação visual para a encosta oposta e respectivo coberto vegetal. Ao longo do eixo da estrada existem alargamentos a várias cotas a partir dos quais se abrem amplas vistas para a envolvente. Nas duas margens do rio de Fanhões, em vale muito encaixado, observam-se estruturas construídas com interesse histórico, designadamente dois arranques de arcos correspondentes a uma antiga ponte e a uma antiga levada, duas mães-de-água de planta circular e cobertura em calote esférica, vestígios de uma antiga azenha e muro de suporte pertencente ao troço inicial do aqueduto setecentista de Santo Antão do Tojal, com grande expressão na paisagem. No lado O. do eixo viário principal destaca-se pela sua escala e composição o Palácio de Pintéus, inserido em propriedade delimitada por muro formando um conjunto notável com o olival contíguo a N. e NO. e com o jardim do palácio, organizado em socalcos, delimitado por muro em alvenaria pintada a cor de rosa que se localiza no lado oposto da via, com a sua fonte e capela (PT031107140039). Predominam casas de baixa volumetria, frequentemente térreas. Observam-se lavadouros públicos, nos extremos N. e S. do aglomerado, encontrando-se os do lado S. junto ao chafariz público setecentista (PT03110710134).

Acessos

EN115, EM 541 (Rua Maria Amália Vaz de Carvalho e Rua João Domingos Duarte).

Protecção

Inexistente

Enquadramento

Urbano / rural, implantado na encosta, em vertente de vale apertado onde corre o rio de Fanhões, afluente da ribeira das Carrafochas, que após se juntar à ribeira do Pinheiro de Loures drena para o rio Trancão. A povoação localiza-se a N. da Várzea de Loures em zona de transição urbano-rural (unidade de paisagem da Terra Saloia; sub-unidade da Baixa de Loures e Encostas Envolventes)*1. A variação altimétrica situa-se entre os 60 m junto ao rio e os 100 metros no limite O. do conjunto. Os solos são compostos por barros castanho-avermelhados não calcários de basalto ou doleritos, fase delgada ou pedregosa, caracterizados por elevada fertilidade. Esta encosta apresenta vegetação natural (carrascal), em muito bom estado de conservação, facto que associado ao relevo acidentado e variado, alternando entre coberto vegetal e taludes rochosos escarpados, lhe confere elevado valor paisagístico; confina a O. e a NO. com terrenos agrícolas, igualmente sob solos de barros idênticos ao da encosta oposta, e vasta área parcialmente ocupada, sem estrutura urbana e com ligações deficientes ao tecido antigo. Situada na Área Metropolitana de Lisboa, a N. da capital e a NE. da sede do concelho de Loures, a povoação de Pintéus localiza-se no extremo N da freguesia de Santo Antão do Tojal*2... O núcleo urbano confina a N. com terrenos de cultivo e construções desqualificadas; limitado a S., a E e a NE por taludes do vale do rio de Fanhões, cuja imagem é marcada pelo forte declive da encosta exposta a NO.

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Não aplicável

Utilização Actual

Não aplicável

Propriedade

Não aplicável

Afectação

Não aplicável

Época Construção

Séc. 15 / 16 (conjectural)

Arquitecto / Construtor / Autor

Não determinado

Cronologia

Séc. 17 - criação da quinta por Gonçalo Vaz Preto (n. 1643), e edificação de uma primeira casa nobre sobre o que restaria de uma primitiva construção provavelmente da época manuelina; séc. 18, 1º quartel - significativas obras de ampliação do palácio por José Vaz de Carvalho (1675 - 1752); 1832, 11 Setembro - Pintéus fazia parte do Termo de Lisboa, integrando o então concelho dos Olivais; 2001, 8 outubro - Plano Diretor Municipal, Resolução de Conselho de Ministros n.º 149/2001 DR, 1.ª série-B, n.º 233.

Dados Técnicos

Não aplicável

Materiais

Não aplicável

Bibliografia

Património Cultural Construído, Loures, Câmara Municipal de Loures, 1988.

Documentação Gráfica

CMLoures.

Documentação Fotográfica

CMLoures: arquivo Divisão Planeamento Urbanístico.

Documentação Administrativa

Intervenção Realizada

Observações

*1 A totalidade da povoação assenta sobre o Complexo vulcânico de Lisboa (basaltos, tufos e brechas do Neocretácico). A S., na zona aplanada que margina o rio encontram-se aluviões ou coluvio-aluviões (Holocénico). *2 Freguesia que confina a N. com a freguesia de Fanhões; a S. com as freguesias de Loures, Frielas e Unhos; a E. com a freguesia de São Julião do Tojal e a O. com a freguesia de Loures.

Autor e Data

Fernanda Ferreira, Frederico Pinto, Madalena Neves, Manuel Villaverde (CMLoures) 2011 (no âmbito da parceria IHRU / CMLoures)

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login