Casa na Avenida de Berna, n.º 1 a 1A / Junta de Freguesia das Avenidas Novas

IPA.00003188
Portugal, Lisboa, Lisboa, Avenidas Novas
 
Casa unifamiliar semelhante a outras riscados por Norte Júnior, onde o investimento decorativo assume particular relevância na composição geral. A decoração concentra-se sobretudo no corpo que torneja, adquirindo este movimento pelo uso do arco pleno. No ângulo sobressaem o torreão de secção circular, com cobertura bolbosa, e as varandas que, fruto do recuo da caixa murária, se podem desenvolver no 1º e 2º pisos até à face dos panos laterais. A ornamentação concebida para três panos e obedecendo ao princípio do simetrismo, conjuga pilastras almofadadas, acrescidas de conchas e folhagens, com outros molduramentos, como os que, nos panos laterais, coroam as janelas do 1º piso - acima das vergas tomando a forma de frontões triangulares - , ou os que inscrevem a fenestração do 2º piso - em arcos plenos -, ou ainda o recorte do alçado, terminando em arco pleno alteado de verga ressaltada e ladeado por pequenos frontões de lanços. Acresce ainda a aplicação dos gradeamentos de ferro em varandas e sacadas, cujo desenho assenta na combinação de volutas, jarrões e aletas. Esta concentração decorativa esbate-se, gradualmente, nos outros corpos, sendo um deles bastante despojado.
Número IPA Antigo: PT031106230100
 
Registo visualizado 1042 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Residencial unifamiliar  Casa  Casa abastada  

Descrição

Construção de planta composta irregular, em forma de duplo L, de que resulta uma volumetria complexa, levantada em 4 pisos (cave, 2 pisos principais e sotão). Volumes articulados de acentuada horizontalidade, com cobertura em telhado diferenciado a várias águas. O conjunto apresenta soco de cantaria ao nível da cave e é rematado por uma platibanda recortada, nele se destacando a torre do gaveto que acusa a totalidade dos pisos e surge coroada por cúpula bolbosa revestida a ardósia. Um dos braços maiores forma a frente para a Avenida da República mas sem acesso para a via pública; o 2º L, de implantação recuada face à Avenida de Berna, é onde se localiza a entrada, no cimo de uma escada abrigada sob loggia de 3 arcos. A fachada do edifício caracteriza-se pela alternância de planos à face da rua, enquadrados por pilastras almofadadas, e recuados (nos extremos do lote e no quarto de círculo do gaveto), planos cheios e vazios, vãos de maior dimensão (arcos de volta inteira, emoldurados com profusa decoração Arte Nova em reboco e cantaria) e de proporção mais reduzida (em arco recto ou abatido, com molduras simples). A distribuição interior é feita por um corredor ligando as salas da frente e do tardoz ao longo de todo o edifício, gerado a partir do átrio de entrada ; este é caracterizado por escada de madeira em U (3 lanços rectos, com guarda em balaustrada de madeira e ladeada de lambril apainelado no mesmo material) conducente ao 1º andar. Sobre a porta de entrada, um janelão (de vitral representando motivos florais) em arco de volta inteira ilumina o duplo pé-direito desta caixa de escada.

Acessos

Avenida de Berna, nº 1 a 1A, tornejando para a Avenida da República

Protecção

Categoria: IIP - Imóvel de Interesse Público, Decreto, n.º 31/83, DR, 1.ª série, n.º 106 de 09 maio 1983 *1

Enquadramento

Urbano, destacado e flanqueado em terreno de gaveto. Ocupa o lado S. da Avenida de Berna, encontrando-se os corpos a O. antecedidos por muro e portão.

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Residencial: casa

Utilização Actual

Política e administrativa: junta de freguesia

Propriedade

Privada: pessoa singular

Afectação

Sem afetação

Época Construção

Séc. 20

Arquitecto / Construtor / Autor

ARQUITETO: Manuel Joaquim Norte Júnior (1908). CONSTRUTOR: Manuel Pires (1910).

Cronologia

1908, 08 julho - entrega nos serviços da CML do projecto, com pedido de autorização feito pela Companhia de Crédito Edificadora Portuguesa, para iniciar a obra em terreno de Amélia Augusta Pereira Leite; o projecto deve-se a Manuel Joaquim Norte Júnior (1878-1962); 1910 - conclusão do edifício, sendo construtor Manuel Pires; 1933 - moradia adquirida em hasta pública pelo Banco Nacional Ultramarino devido à falência da entidade proprietária, a casa bancária "Correia, Leite, Santos & Cª Lda."; 1937 - o edifício é arrendado para instalar os serviços da Inspecção Geral das Indústrias e Comércio Agrícolas (do Ministério da Agricultura); 1977, 29 setembro - o edifício foi classificado como Valor Concelhio, publicado no decreto n.º 129, DR 226; década de 80, 2ª metade - saída dos serviços do Ministério da Agricultura, ficando o edifício devoluto; 1999 - sofre obras de recuperação.

Dados Técnicos

Paredes autoportantes.

Materiais

Alvenaria de tijolo, cantaria de calcário, reboco pintado, ferro forjado e fundido, ardósia, madeira, vidro, telha e estuque pintado.

Bibliografia

Casa da Exmª Srª D. Amélia Augusta Pereira Leite nas Avenidas Ressano Garcia e Martinho Guimarães, in A Construcção Moderna, Ano IX, Nº 298, Junho 1909; Casa da Exmª Srª D. Amélia Augusta Pereira Leite in A Arquitectura Portuguesa, Nº 3, Março 1910 ; AA VV, Guia Urbanístico e Arquitectónico de Lisboa, Lisboa, 1987; ALMEIDA, Pedro Vieira de, e FERNANDES, José Manuel, História da Arte em Portugal, vol.14, Lisboa, 1986; FERNANDES, José Manuel e OUTROS, Arquitectura do Princípio do Século em Lisboa (1900-1925), Lisboa, 1991; Do Saldanha ao Campo Grande: os originais do Arquivo Municipal de Lisboa, Lisboa, 1999.

Documentação Gráfica

CML: Arquivo de Obras, Proc. nº 24.310

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Administrativa

IHRU: DGEMN/DSID, DGEMN/DSARH; CML: Arquivo de Obras, Proc. nº 24.310

Intervenção Realizada

1910 - construção de uma capoeira; 1913 - alteração de compartimentação do r/c, reforço do suporte da escada principal e abertura de portas; 1923 - abertura de janela na empena para serventia da cozinha; 1927 - reparações exteriores e interiores; 1934 - obras de manutenção geral; 1937 - obras de adaptação para novo uso: alteração de compartimentação interna, com colocação de divisórias em tabique e envidraçadas e de balcão de atendimento de público, além da remodelação das instalações sanitárias; 1939 - obras de manutenção exterior; 1941 - reparação de pavimento e de tecto na casa de banho, alteração de compartimentação interna, transferência da zona de atendimento; 1942 - 43 - reparação do telhado, pequenas reparações internas; 1948 - construção de parede divisória no 1º andar, apeamento de parte da escada da cave; 1950 - obras de manutenção geral; 1969 - obras de reparação da chaminé, então em risco de colapso; 1999 - obras de recuperação.

Observações

*1 - Edifício na Avenida de Berna, n.os 1 e 1-A.

Autor e Data

João Silva 1992 / Teresa Vale e Carlos Gomes 1993

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login