Sítio do Mandu

IPA.00031753
Brasil, São Paulo, São Paulo, Cotia
 
Casa de bandeirante quinhentista ou seiscentista, construída em posição estratégica sobre via de comunicação, em taipa de pilão, com poucas aberturas, planta rectangular e telhado de quatro águas. Fachada principal regular, com alpendre central ladeado, à esquerda, por quarto de hóspedes independente e, à direita, pela capela, constituindo o espaço social da casa, e tendo no interior, contígua ao alpendre, sala de grandes dimensões, à volta da qual se distribuem os quartos, zona exclusiva à família.
Número IPA Antigo: BR922501460013
 
Registo visualizado 110 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Residencial unifamiliar  Casa de bandeirante    

Descrição

Planta sensivelmente rectangular, de massa simples e cobertura homogénea em telhado de quatro águas. Estrutura em taipa de pilão, com fachadas rebocadas e pintadas de branco, terminadas em aba corrida de madeira assente em falsos cachorros entalhados. Fachada principal com alpendre descentrado, assente num pilar de madeira, ladeado à esquerda por quarto de hóspedes, rasgado por janela rectangular com grades de madeira, e à direita por capela; sob o alpendre, rasga-se frontalmente porta e janela de peitoril, rectangular com grades de madeira, e, lateralmente, porta de verga recta de acesso ao quarto e à capela; todos os vãos têm molduras de madeira. Fachada lateral esquerda rasgada por duas janelas rectangulares e a posterior com alpendre sobre um pilar. INTERIOR: contígua ao alpendre fica a sala principal, de grandes dimensões, à volta da qual se distribuem quatro quartos, zona exclusiva à família; um dos quartos possui um anexo, sem janelas. Nas paredes existem alguns nichos para colocação de imaginária. No andar sobre os quartos da fachada posterior, existe também um "jirau" (espécie de despensa para guardar mantimentos). A capela apresenta pinturas na cúpula do retábulo.

Acessos

Estrada do Sítio do Mandu, 1, Vila Jovina

Protecção

Tombamento pelo IPHAN e CONDEPHAAT

Enquadramento

Urbano, isolado, localizado nas proximidades do rio e envolvia por terreno arelvado. É envolvida por mata "secundária" que cresceu após a devastação da que previamente ali existia. O Sítio do Mandu encontra-se próximo do ponto da antiga fundação do município, no Caiapiá, e provavelmente serviu como descanso para os viajantes, na maioria bandeirantes, que passavam pela região, utilizando antigas trilhas indígenas, em direção ao S. e interior.

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Residencial: casa de bandeirante

Utilização Actual

Cultural e recreativa: museu

Propriedade

Privada: Estado estrangeiro

Afectação

Época Construção

Séc. 16 / 17

Arquitecto / Construtor / Autor

Desconhecido.

Cronologia

Séc. 16, final / séc. 17, início - época provavel da construção da casa; 1940, década - compra da casa pela família do arquitecto Eduardo Kneese de Melo; tendo este comunicado a descoberta da casa ao arquitecto Luís Saia, foram com o escritor Mário de Andrade, o arquitecto João Batista Vilanova Artigas e o padre Romeu Dale, atestar a autenticidade da mesma; 1962, 9 Fevereiro - os últimos proprietários, Eduardo Kneese de Mello e sua esposa, Wilma Quintanilha, doam a propriedade ao governo federal; na escritura de doação, refere-se: "... uma área de terra localizada no Sítio da Casa velha ou Sítio Grande [Sítio do Mandú], com aproximadamente 2000 m2, constituída de um retângulo contendo os remanescentes de uma antiga casa com paredes de taipa e pilão (...) pelo valor de Cr$ 50.000,00 [cinqüenta mil cruzeiros]"; 1971 - data do tombamento da casa como Patrimônio Histórico.

Dados Técnicos

Sistema estrutural de paredes portantes.

Materiais

Estrutura em taipa de pilão, revestida a tabatinga (areia branca); aba corrida, falsos cachorros, portas, caixilharia e grades em madeira; cobertura de telha.

Bibliografia

SALA, Dalton, Guia das casas bandeiristas = guide to the Bandeirantes houses, in SALA, Dalton (dir.), Casas bandeiristas: arquitectura colonial paulista = bandeirante houses: the colonial architecture of São Paulo, São Paulo, Oficina de Projectos, 2008; http://www.portalviva.com.br/index.php?option=com_content&view=article&id=419:turismo-sitio-do-mandu-um-marco-historico-em-cotia&catid=58:especial-turismo, 5 Julho 2011.

Documentação Gráfica

Documentação Fotográfica

Documentação Administrativa

Intervenção Realizada

Observações

EM ESTUDO. *1 - A palavra "mandú" deriva do tupi, Mandu'aha, e significa "carga ambulante".

Autor e Data

Paula Noé 2011

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login