Igreja Paroquial de Figueiras / Igreja do Divino Salvador

IPA.00031169
Portugal, Porto, Lousada, União das freguesias de Figueiras e Covas
 
Arquitectura religiosa, setecentista. Igreja paroquial de planta rectangular composta por nave, capela-mor com sacristia e torre sineira adossados à fachada lateral esquerda, com coberturas interiores diferenciadas em falsas abóbadas de berço de madeira, iluminada uniformemente por janelas rectilíneas rasgadas nas fachadas laterais. Fachada principal talvez seiscentista, em empena, com os vãos rasgados em eixo, composto por portal em arco abatido, reformado no século seguinte, óculo quadrilobado e nicho com a imagem do orago. Fachadas circunscritas com cunhais apilastrados, encimados por pináculos e rematadas em friso e cornija, a lateral direita rasgada por porta travessa em arco abatido. Interior com coro-alto, com baptistério na base da torre sineira e púlpito setecentista no lado do Evangelho, com escadas no lado direito. Arco triunfal de volta perfeita, ladeado por capelas retabulares dispostos em ângulo, de talha tardo-barroca. Retábulo-mor do mesmo estilo, de planta côncava e três eixos.
Número IPA Antigo: PT011305090039
 
Registo visualizado 857 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Religioso  Templo  Igreja paroquial  

Descrição

Planta longitudinal composta por nave e capela-mor, com sacristia adossada ao lado esquerdo da capela-mor e torre sineira quadrada adossada à fachada principal, de volumes articulados e escalonados com coberturas diferenciadas, em telhados de duas águas na igreja, três na sacristia e de coruchéu bolboso na torre sineira. Fachadas em alvenaria rebocada e pintada de branco, percorridas por soco em cantaria de granito, flanqueadas por cunhais apilastrados encimados por pináculos e rematadas em friso e cornija. Fachada principal voltada a SO., rematada em empena, encimada por cruz com pontas trilobadas. É rasgada por portal em arco abatido, rematado por pequeno friso e sobrepujado por óculo quadrilobado, encimado pela data "1790", e por nicho com abóbada de concha, contendo a imagem do Divino Salvador. No lado esquerdo, a torre sineira dividida em três registos separados por frisos, o primeiro com porta de verga recta e moldura recortada, o segundo com relógio e, no superior, ventanas em arco de volta perfeita, assentes em impostas salientes. Fachada lateral esquerda rasgada por janelas rectilíneas e molduras simples, sendo marcada pelo corpo da sacristia, com porta de verga recta na face NE.. Adossadas à torre sineira, as escadas de acesso à mesma, de dois lanços e com guardas metálicas, pintadas de preto. Fachada lateral direita com porta travessa em arco abatido, ladeado por duas janelas rectilíneas, todos os vãos com molduras simples, em cantaria. No corpo da capela-mor, porta de verga recta e janela com o mesmo tipo de perfil. INTERIOR rebocado e pintado de branco, com coberturas diferenciadas em falsas abóbadas de berço de madeira, sustentadas por cornijas pintadas de cinza e a da nave reforçada por tirantes metálicos, e pavimentos em ladrilho cerâmico. Coro-alto em betão assente em quatro mísulas de cantaria, com guarda de madeira torneada e acesso por porta de verga recta no lado do Evangelho, através da torre sineira. Portal protegido por guarda-vento de madeira e vidro, tendo, no lado do Evangelho, pia de água benta concheada. No lado do Evangelho, o baptistério com acesso por arco de volta perfeita, contendo pia baptismal em cantaria, com coluna cilíndrica e taça hemisférica de bordo saliente. Confrontantes, rasgam-se, na nave, quatro confessionários desactivados, com acesso por arco abatido, contendo imaginária. No lado do Evangelho, o púlpito quadrangular com bacia de cantaria, decorada por frisos de óvulos, e possuindo vestígios de policromia, assente em consola, tendo guarda de madeira torneada e escadas no lado direito, com guarda metálica. Arco triunfal de volta perfeita, assente em pilastras toscanas pintadas a grisaille, formando ferronerie, encimado por sanefão de talha pintada de branco, azul e dourado, ladeado por retábulos colaterais dispostos em ângulo, dedicados ao Sagrado Coração de Jesus (Evangelho) e Nossa Senhora de Fátima (Epístola). Junto ao primeiro, um órgão eléctrico. A capela-mor está elevada por um degrau, surgindo, sobre supedâneo de dois degraus, o retábulo-mor de talha pintada de branco, azul e dourado, de planta convexa e três eixos definidos por quatro colunas com marmoreados fingidos, percorridos por falsa espira fitomórfica, assentes em plintos galbados. Ao centro, nicho de volta perfeita, onde se integra um trono expositivo de cinco degraus. Nos eixos laterais, mísulas com imaginária, enquadrada por apainelados recortados e encimados por elementos concheados. Sob estes, portas de acesso à tribuna. Altar em forma de urna, encimado por sacrário ornado por coração inflamado. Ao centro, mesa de altar de talha dourada e pintada, surgindo, no lado da Epístola, ambão de talha dourada. No lado do Evangelho, porta de acesso à sacristia, com paredes rebocadas e pintadas de branco, com tecto de madeira e pavimento em lajeado.

Acessos

Avenida Padre Francisco Barbosa de Queirós. WGS84 (graus decimais) lat.: 41,280213; long.: -8,320479

Protecção

Inexistente

Enquadramento

Peri-urbano, isolado, situado nas imediações da auto-estrada de Lousada, rodeado por casas de habitação e terrenos agrícolas. Possui adro elevado, com plataforma artificial, com acesso por escadaria frontal, junto ao qual se situam vários edifícios pertencentes à paróquia.

Descrição Complementar

Os retábulos colaterais são semelhantes, de talha pintada de branco, azul e dourado, com corpo de planta côncava e um eixo definido por duas colunas de marmoreados fingidos, de fuste liso e terço inferior marcado por anel e elementos fitomórficos, assentes em plintos paralelepipédicos e rematados por fragmentos de friso e cornija, encimados por acantos. Ao centro, nicho de volta perfeita, ladeado por duas mísulas com imaginária, enquadradas por apainelados dourados, rematados por acantos. Remate em frontão semicircular e duplo espaldar recortado, o superior vazado. Altar em forma de urna, encimado por sacrário embutido na estrutura.

Utilização Inicial

Religiosa: igreja paroquial

Utilização Actual

Religiosa: igreja paroquial

Propriedade

Privada: Igreja Católica (Diocese do Porto)

Afectação

Sem afectação

Época Construção

Séc. 18

Arquitecto / Construtor / Autor

Desconhecido.

Cronologia

1258 - referida nas "Inquirições Gerais" como do padroado de cavaleiros e herdadores; 1758, 15 Abril - nas Memórias Paroquiais, assinadas pelo pároco José Teixeira de Magalhães, é referido que a igreja tem por orago São Salvador, sendo o templo antigo; tem retábulo-mor com tribuna de talha dourada, com sacrário, tendo, no alto da tribuna, a imagem de Cristo Ressuscitado, ladeado por São José e Nossa Senhora da Assunção; a ladear o sacrário, as imagens de São Filipe de Neri e São Caetano; tem dois altares na nave, dedicados às Santas Mães e, no oposto, São Gonçalo e São Sebastião; tem a Confraria do Nome de Deus; a paróquia é abadia, existindo litígio relativo ao padroado entre o balio de Leça e o procurador do bispo; tem de renda 450$000; 1790 - construção da actual igreja.

Dados Técnicos

Sistema estrutural de paredes portantes.

Materiais

Estrutura em alvenaria de granito, rebocada e pintada; modinaturas, cunhais, pináculos, cornijas, mísulas, bacia do púlpito, pia baptismal, pias de água benta, pavimento da sacristia em cantaria de granito; guarda-vento, guardas do coro-alto e do púlpito, retábulos, coberturas de madeira; guardas das escadas metálicas; cobertura exterior em telha.

Bibliografia

LEAL, Augusto Pinho, Portugal antigo e moderno: Diccionario geographico, estatistico, chorographico, heraldico, archeologico, historico, biographico e etymologico, Lisboa, Livraria Editora de Mattos Moreira & Companhia; 1873-1890, 12 volumes; LOPES, Eduardo Teixeira, Lousada e as suas freguesias na Idade Média, Lousada, Câmara Municipal de Lousada, 2004.

Documentação Gráfica

Documentação Fotográfica

Diocese do Porto: Secretariado Diocesano de Liturgia

Documentação Administrativa

DGARQ/TT: Memórias Paroquiais (vol. 15, n.º 72, fl. 457-460)

Intervenção Realizada

Observações

M ESTUDO.

Autor e Data

Diocese do Porto e Paula Figueiredo (IHRU) 2011 (no âmbito da parceria IHRU / Diocese do Porto)

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login