Pelourinho de Louriçal / Cruzeiro de Louriçal

IPA.00003095
Portugal, Leiria, Pombal, Louriçal
 
Pelourinho quinhentista transformado em cruzeiro, sem o remate original, tendo-lhe sido acrescentado uma cruz latina de calcário. Tem soco quadrangular de dois degraus, onde assenta base octogonal e fuste circular, de onde evolui um tabuleiro e cruz latina.
Número IPA Antigo: PT021015060002
 
Registo visualizado 366 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Estrutura  Judicial  Pelourinho  Jurisdição senhorial  Sem remate

Descrição

Estrutura em cantaria de calcário, composta por soco quadrangular de quatro degraus sobre o qual assenta coluna de base octogonal, com coluna de fuste de secção prismática, octogonal, no terço inferior, de secção cilíndrica nos 2 terços superiores; sobre o ábaco quadrangular assenta uma cruz latina que tem inscrito nas quatro faces da base "100 DIAS DE / INDEGENCIAS / A QUEM REZAR / UM P.N.A.M.G.P.".

Acessos

Rua do Convento, Largo do Prior Campos, WGS84 (graus decimais) lat.: 40.003470; long.: -8.735750

Protecção

Categoria: IIP - Imóvel de Interesse Público, Decreto nº 23 122, DG, 1.ª série, n.º 231 de 11 outubro 1933 / Incluído na Zona Especial de Proteção da Igreja Paroquial de Louriçal (v. IPA.00009931)

Enquadramento

Urbano, destacado, isolado. Implantado na linha divisora do adro da Igreja Matriz (v. PT021015060030), pavimentado a calçada à portuguesa, e no largo que a contorna, com pavimento em paralelepípedo, delimitado pelo Convento do Louriçal (v. PT021015060005) a N., dependências diversas da Igreja e Casa Funerária a S. e SO. e muro em alvenaria a O.. A plataforma do Cruzeiro é protegida por quatro frade colocados nos seus ângulos.

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Judicial: pelourinho

Utilização Actual

Religiosa: cruzeiro

Propriedade

Pública: estatal

Afectação

Autarquia local, Artº 3º, Dec. nº 23 122, 11 Outubro 1933

Época Construção

Séc. 16 (conjectural)

Arquitecto / Construtor / Autor

Desconhecido.

Cronologia

Séc. 12 - D. Afonso Henriques dá foral ao Louriçal; 1430 - nomeação do primeiro Senhor do Louriçal, D. Fernando de Meneses; 1514, 23 Agosto - era "Villa", tendo-lhe D. Manuel concedido foral novo; provável do pelourinho; pertence à Comarca de Montemor-o-Velho; 1740, 22 Abril - D. João V nomeia D. Luís Carlos Inácio Xavier de Meneses, Conde da Ericeira, como Marquês de Louriçal; 1758 - nas Memórias Paroquiais é referido que a povoação, com 900 fogos, é dos condes da Ericeira e título de Marquesado; tem câmara e juízes ordinários; 1855 - extinção do concelho; 1908 - o pelourinho foi transformado em cruzeiro

Dados Técnicos

Sistema estrutural autónomo.

Materiais

Estrutura em cantaria de calcário.

Bibliografia

ALMEIDA, José António Ferreira de, Tesouros Artísticos de Portugal, Lisboa, 1988; MALAFAIA, E.B. de Ataíde, Pelourinhos Portugueses - tentâmen de inventário geral, Lisboa, Imprensa Nacional - Casa da Moeda, 1997; SEQUEIRA, Gustavo de Matos, Inventário Artístico de Portugal, vol. V, Lisboa, 1955.

Documentação Gráfica

Documentação Fotográfica

IHRU: SIPA, DGEMN/DSID

Documentação Administrativa

DGARQ/TT: Memórias Paroquiais (vol. 42, n.º 147, fl. 78)

Intervenção Realizada

Séc. 20, finais - obras no adro da igreja com o desenterramento dos degraus da plataforma do cruzeiro e protecção por quatro frades colocados nos ângulos.

Observações

Autor e Data

Isabel Mendonça 1991 / Cecília Matias 2008

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login