Convento do Bom Jesus da Glória

IPA.00030669
Brasil, Sergipe, Sergipe, São Cristovão
 
Arquitectura religiosa, seiscentista e setecentista. Convento franciscano de planta composta, com eixo maior orientado de S. para N. composto por igreja com eixo longitudinal, apresentando nave única, capela da Ordem Terceira de São Francisco aberta do lado do Evangelho, capela-mor e sacristia. A O., a capela e casa da Ordem Terceira de São Francisco. O Convento desenvolvido a E. da igreja, com claustro de planta quadrangular ao redor do qual se desenvolvem os corpos das demais dependências conventuais, no inferior os espaços comuns e no segundo piso as celas.
Número IPA Antigo: BR922600660001
 
Registo visualizado 129 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Religioso  Convento / Mosteiro  Convento masculino  Ordem de São Francisco - Franciscanos (Província de Santo António do Brasil)

Descrição

Complexo conventual de planta composta, com eixo maior orientado de S. para N., composto por Igreja antecedida por terreiro com cruzeiro, e voltada de S. para N., apresentando nave única, capela da Ordem Terceira de São Francisco aberta do lado do Evangelho, capela-mor e sacristia. A O., a capela e casa da Ordem Terceira de São Francisco. O Convento desenvolvido a E. da Igreja, com claustro de planta quadrangular ao redor do qual se desenvolvem os corpos das demais dependências conventuais, surgindo no piso inferior os espaços comuns e no superior as celas. Volumes articulados e coberturas diferenciadas em telhados de duas e três águas. Fachadas rebocadas e caiadas com os elementos decorativos e estruturais em cantaria, rasgadas por janelas de peitoril ou de sacada com vãos rectilíneos, em arco abatido ou de volta perfeita. IGREJA com fachada principal rematada em empena recortada e volutada na base, contendo nicho e com cruz latina no vértice, sendo dividida em dois registos, definidos por friso e cornija. No inferior, o acesso à galilé, efectuado por três arcos de volta perfeita, surgindo, lateralmente um outro do lado esquerdo, assentes sobre pilastras, e marcados ao centro por chaves em forma de voluta. Na galilé, é possível aceder ao interior da igreja por uma porta de verga recta. O segundo registo é marcado por três janelas em arco abatida, sendo rematado por cornija, que se curva sobre um pequeno óculo circular. A torre sineira ergue-se mais alta e alinhada à direita, separada da igreja por uma pilastra e dividida em três registos definidos por friso e cornija, possuindo cunhais apilastrados. O inferior é rasgado por uma porta em arco abatido, surgindo, no segundo uma janela, também em arco abatido, sendo o último rasgado pelas ventanas em arco de volta perfeita, onde surgem os sinos. INTERIOR com a nave marcada por janelas de sacada com guardas de madeira torneada. O coro-alto desenvolve-se sobre a galilé e parte da nave, assente sobre mísulas e com guardas de madeira torneada. No lado do Evangelho abre-se a capela da Ordem Terceira de São Francisco, com as paredes laterais marcadas por janelas de sacada, com cobertura em abóbada, pintada em quadraturas, interrompidas por clarabóia. Arco triunfal totalmente revestido a talha dourada e policroma, decorada com concheados, sendo ladeado por dois retábulos de talha dourada e policromada, dispostos em ângulo, compostos por quatro colunas torsas a flanquear nicho e remate em tabela, decorados com motivos vegetalistas, atlantes, e concheados. A capela-mor tem nas paredes laterais janelas de sacada com guardas em madeira torneada, e retábulo de talha dourada e policroma assente sobre duplas bases, altar com frontal e sacrário; ao centro, tribuna contendo o trono, ladeada por oito colunas torsas sobrepujadas por uma empena, tudo decorado com motivos vegetalistas, fitas, concheados, atlantes, volutas e querubins. Na SACRISTIA, surge arcaz de madeira com gavetões, e espaldar onde se intercalam pinturas e mísulas, encimadas por pináculos bolsos e pequenos remates de motivos vegetalistas, volutas e medalhões ao centro, interrompido por oratório. CLAUSTRO de planta quadrangular, evoluindo em dois pisos, separados por um entablamento com friso estriado que corre sobre os arcos de volta perfeta do primeiro piso, almofadada com fecho em mísula e intradorso decorado com motivos vegetalista. Este friso surge em torno de todo o espaço, servindo de peitoril ao segundo piso, sendo interrompido, equidistantemente por pilastras. No segundo piso, vãos rectilíneos sobre os quais assenta a cobertura de madeira e telha.

Acessos

Em São Cristóvão.

Protecção

Enquadramento

Urbano, isolado, fachada principal antecedida por terreiro, protegido por frades, para evitar o estacionamento.

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Religiosa: convento masculino

Utilização Actual

Religiosa: igreja

Propriedade

Afectação

Época Construção

Séc. 17 / 18

Arquitecto / Construtor / Autor

Cronologia

1650 - aprovação da fundação do convento; 1693 - lançamento da primeira pedra; séc. 18, década 60 - ainda decorriam obras.

Dados Técnicos

Sistema estrutural de paredes portantes.

Materiais

Paredes rebocadas e caiadas; elementos estruturais em cantaria; retábulos, revestimento do arco triunfal, vigamentos de madeira; coberturas exteriores em telha.

Bibliografia

JABOATÃO, António de Santa Maria, O.F.M. Novo Orbe Seráfico Brasílico, ou Chronica dos Frades Menores da Província do Brasil (5 vols.), Rio de Janeiro: Typ. Brasiliense de Maximiano Gomes Ribeiro, 1858-62, vol. II., pp. 585; SENOS, Nuno, Franciscan Art and Architecture in Colonial Brazil 1650-1800, Dissertação de doutoramento apresentada ao Institute of Fine arts, New York University, 2006, pp. 60-62, 79-81, 112-115.

Documentação Gráfica

IPHAN

Documentação Fotográfica

Arquivo pessoal (Nuno Senos)

Documentação Administrativa

Intervenção Realizada

Nada a assinalar.

Observações

Autor e Data

Manuel Apóstolo (Centro de História Além-Mar - CHAM) 2010

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login