Convento de Santo António de Paraíba

IPA.00030667
Brasil, Paraíba, Paraíba, João Pessoa
 
Arquitectura religiosa, seiscentista e setecentista. Convento franciscano de planta composta, com eixo maior orientado de SO. para NE., com acesso por amplo terreiro trapezoidal, seguido da igreja com eixo longitudinal de SO .para NE., apresentando nave única, capela da Ordem Terceira de São Francisco aberta do lado do Evangelho, capela-mor e sacristia no eixo desta. A NO. a Capela da Ordem Terceira de São Francisco, com sacristia e uma casa de oração. O Convento desenvolvido a SE. da Igreja, com claustro de planta quadrangular ao redor do qual se desenvolvem, a SO., a portaria, casa do capítulo, e na extremidade o refeitório, a SE. a Casa de Profundis, e na extremidade a cozinha, a NE. a antiga sacristia, a Via Sacra com as escadas de acesso ao primeiro andar, um outro corpo que corre perpendicularmente ao claustro, e no primeiro andar as celas conventuais.
Número IPA Antigo: BR921500950004
 
Registo visualizado 351 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Religioso  Convento / Mosteiro  Convento masculino  Ordem de São Francisco - Franciscanos (Província de Santo António do Brasil)

Descrição

Complexo conventual de planta composta, com eixo maior orientado de SO. para NE., composto por terreiro trapezoidal, seguido da igreja com eixo longitudinal de SO. para NE., apresentando nave única, capela da Ordem Terceira de São Francisco aberta do lado do Evangelho, capela-mor e sacristia no eixo desta. A NO., a capela da Ordem Terceira de São Francisco, respectiva sacristia e, a SO. destas,. a Casa de Oração. O convento desenvolve-se a SE. da Igreja, com claustro de planta quadrangular ao redor do qual se desenvolvem entre outras, a SO. a portaria, casa do capítulo, e na extremidade o refeitório, a SE. a Casa de Profundis, e na extremidade a cozinha, a NE. a antiga sacristia, a Via Sacra com as escadas de acesso ao primeiro andar, um outro corpo que corre perpendicularmente ao claustro, e no primeiro andar as celas conventuais. Volumes articulados e coberturas diferenciadas em telhados de duas, três, e quatro águas. O TERREIRO é ladeado por dois panos murais revestido a azulejo branco, com rodapés em xadrez azul e branco, ritmados por pilastras igualmente em xadrez azul e branco, entre as quais surgem seis nichos de cantaria, rematados por sequências de volutas, pináculos de cantaria, e cães de pedra de inspiração chinesa. Em cada nicho encontram-se painéis de azulejos em monocromia azul sobre fundo branco, representando os passos da paixão de Cristo. IGREJA com a fachada principal rebocada nos panos murais do piso superior e em cantaria nos restantes pisos e elementos decorativos e estruturais. Fachada dividida em dois registos escalonados, tendo no primeiro cinco arcos de volta perfeita suportados por pilares apilastrados em cantaria, sobre as quais assenta um entablamento. No segundo piso sobre os três arcos centrais, aparecem-nos separadas por pilastras de fustes almofadados as três janelas de sacada do coro alto, com vãos em arco abatido e guardas balaustradas, decoradas com enrolamentos e concheados, e flanqueadas por cunhais apilastrados, sobre as quais assenta entablamento interrompido. Nos panos extremos, grandes volutas, enrolamentos de acanto, de cada lado uma cartela, e pináculos bolbosos preenchendo o espaço. O conjunto remata em larga tabela com divisa franciscana, ladeada por dois motivos apilastradas em voluta, sobre as quais assenta novo entablamento. Nos espaços laterais surgem de novo, volutas, enrolamentos de acanto e pináculos bolbosos. Sobre este último registo central ergue-se uma cruz, ladeada por outros dois pináculos bolbosos. A torre sineira encontra-se do lado esquerdo, recuada, erguendo-se mais alta que os restantes corpos, dividida em três registos e com cobertura em coruchéu bolboso forrado a azulejos azuis e brancos datados de 1783, e encimado por catavento de ferro, tendo, sobre os cunhais, pináculos bolbosos. O primeiro registo e mais alto remata em entablamento em cantaria, estando o segundo revestido de azulejos brancos, e aberto por um vão quadrangular. O terceiro registo, igualmente delimitado e revestido a azulejos, está aberto na base por um vão quadrangular em cantaria, e mais a cima em cada face por outros de volta perfeita também em cantaria onde se distribuem os sinos. Na galilé abre-se o portal principal da igreja, ladeada por seis pilastras, decoradas com motivos vegetalistas e geométricos, sobre as quais assenta um entablamento decorado com os mesmos motivos e coroado por enrolamentos vegetalistas, pássaros a debicar cachos de uvas, e pináculos bolbosos. A ladear o portal central estão outros dois, decorados com medalhões circundados por concheados. Nos extremos e divididos por pilastras toscanas almofadadas, dois portais, um de acesso à Casa da Ordem Terceira, e outro de acesso à portaria conventual. No INTERIOR, as paredes da nave estão cobertas por painéis de azulejos em monocromia, azul sobre fundo branco, figurativos, representando episódios da vida de José do Egipto e barras de putti envoltos em acantos. Sobre os painéis existem janelas de sacada e óculos polilobados. A cobertura assenta sobre um entablamento de madeira policromada, e é de madeira pintada em quadratura, com simulações de colunatas, zimbórios, putti, guirlandas, cartelas, e ao meio um grande quadro recolocado. O coro alto ergue-se sobre a galilé e duas colunas no início da nave, com guarda contendo maquineta de talha dourada e policroma, decoradas com motivos vegetalistas, geométricos e concheados. Neste, surge o cadeiral em madeira escura, decorado com enrolamentos de acantos, e quadros representando santos Franciscanos com molduras de talha dourada de concheados e acantos. No lado do Evangelho, o arco da Capela da Ordem Terceira de São Francisco, seguido de uma porta de acesso ao corredor da Ordem Terceira. Fronteiro à capela, do lado da Epístola, está o púlpito e respectivo baldaquino em talha dourada e policroma, decorada com acantos, putti e divisas franciscanas. Logo a seguir uma porta de acesso ao claustro. Capela-mor com vãos nas paredes laterais, a do lado do Evangelho de acesso a um corredor que liga a ala da Ordem Terceira à sacristia, e do lado da Epístola, outra de acesso à Via Sacra, e igualmente à sacristia e convento. Tem cobertura em abóbada de berço de madeira pintada a simular caixotões com episódios da vida de Santo António. Logo atrás da capela-mor e alinhada longitudinalmente com a igreja encontra-se a SACRISTIA, de planta rectangular com um pequeno compartimento aberto na parede fundeira, e cobertura de madeira pintada em quadratura assente sobre entablamento de madeira com ornatos de talha. Nas paredes corre um rodapé de azulejos azuis e brancos. De um lado o arcaz com espaldares interrompidos por um oratório e, na parede oposta, um armário embutido. As janelas e portas ostentam sanefas de talha. O CLAUSTRO é de planta quadrangular de dois pisos separados por cornijas, entre as quais correm painéis de azulejo policromo, de padronagem. Cada um dos lados é constituído por cinco arcos de volta perfeira, assentes em colunas de cantaria, tendo, no piso superior, vãos arquitravados, também assentes em colunas, que sustentam a cobertura de madeira e telha. O pavimento é lajeado a pedra e tijoleira, e nas paredes das alas NO. e NE. surgem painéis de azulejo de padrão policromo, formando silhares. A CAPELA da ORDEM TERCEIRA tem planta rectangular, com cobertura é em caixotões, e assenta sobre entablamento, decorados com denticulados e enrolamentos de acanto em talha dourada. As paredes laterais têm três balcões e, na parede fundeira, duas portas e uma reentrância para o retábulo. Logo à entrada, todo o arco de ligação à igreja está coberto de enrolamentos de acanto, putti, e mísulas com arcanjos sobrepujados por baldaquinos. Ao redor dos quatro balcões do fundo estão pinturas sobre tela com representações de santos, sanefas, dois retábulos afrontados e frisos em talha dourada que cobrem todo o espaço. A parede testeira tem ao centro o retábulo de talha dourada, rodeado de pinturas a óleo sobre tela com representações de santos e todo um conjunto de elementos em talha dourada que cobrem por completo os muros. No espaço entre o entablamento e o tecto, uma luneta pintada a óleo sobre tela com a representação de Cristo e os Apóstolos. A SACRISTIA da ORDEM TERCEIRA de São Francisco encontra-se imediatamente atrás da capela, com pavimento em tijoleira e tecto plano em madeira pintada de branco. Nela há um arcaz de madeira com espaldar, contendo ao meio um nicho ladeado por duas pinturas com figuras de Santos, e um grande lavatório com bacia em forma de bolbo invertido e canelado, ladeada por duas volutas com acantos, e sobrepujada por duas cabeças aladas envoltas numa composição de enrolamentos vegetalistas e concha. A CASA DE ORAÇÃO estende-se para SO. da capela e sacristia, sendo os acessos pela portaria da Ordem Terceira e pela sacristia. Esta tem planta rectangular, com pavimento em ladrilho hidráulico e cobertura em madeira pintada com quadraturas, putti, vasos de flores, guirlandas, atlantes, e ao centro o quadro recolocado. Na parede NE., abre-se um largo portal de cantaria almofadada, decorado com volutas, concheados, acantos, motivos vegetalistas, um frontão contra-curvado e interrompido, e no topo pelas alegorias à Caridade, Esperança, e Justiça. Nas paredes laterais surgem-nos janelas com sanefas de talha dourada sobrepujadas por óculos polilobados, e no estrado com balaustrada, colocado a SO., dois retábulos laterais côncavos e o retábulo-mor, de talha policroma e dourada, de planta convexa, decorado com volutas, colunas torsas e motivos vegetalistas.

Acessos

Em João Pessoa.

Protecção

Enquadramento

Urbano, isolado e cercado por parte da cerca original.

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Religiosa: convento masculino

Utilização Actual

Religiosa: igreja

Propriedade

Afectação

Época Construção

Séc. 17 / 18 / 19 / 20

Arquitecto / Construtor / Autor

Cronologia

1589 - fundação do convento; séc. 17, 2.ª metade - colocação de azulejos nas paredes do primeiro piso do claustro; 1704 - início da construção da capela da Ordem Terceira de São Francisco; 1718 - estava em construção a nova Igreja; 1734 - data inscrita nos dois portais laterais de acesso à igreja, e colocação de lápide comemorativa da visita e sagração da Igreja pelo Bispo de Pernambuco; 1731 - data nos espaldares do cadeiral do coro-alto; sSéc. 18, meados - construção da casa de oração da Ordem Terceira de São Francisco; 1751-1752 - construção da nova sacristia; 1753-1755 - feitura do tecto da capela-mor da igreja; 1761 - data no mobiliário da sacristia e início da construção da ala N.; 1779 - data inscrita na fachada; 1783 - data no revestimento azulejar da torre sineira; 1788 - data nos muros do adro; 1790 - ainda decorriam obras na igreja. 1792-1793 - colocação dos painéis azulejares na nave.

Dados Técnicos

Sistema estrutural de paredes portantes.

Materiais

Cantarias de calcário; paramentos rebocados e caiados; pavimentos em tijoleira e lajeado; painéis de azulejo; mármore; coberturas, retábulos, cadeiras, arcazes de madeira; janelas com vidro simples; coberturas em telha.

Bibliografia

JABOATÃO, António de Santa Maria, O.F.M. Novo Orbe Seráfico Brasílico, ou Chronica dos Frades Menores da Província do Brasil (5 vols.), Rio de Janeiro: Typ. Brasiliense de Maximiano Gomes Ribeiro, 1858-62, vol. II., pp. 371-372, 387; SENOS, Nuno, Franciscan Art and Architecture in Colonial Brazil 1650-1800, Dissertação de doutoramento apresentada ao Institute of Fine arts, New York University, 2006, pp. 29, 58-60, 82-84, 97, 99, 110-111, 122, 128-129, 132, e 138; WILLEKE, Venâncio, O.F.M. “Livro dos Guardiães do Convento de Santo António de Paraíba” Studia, 19 (1966), pp. 189-191 e 194-196.

Documentação Gráfica

Documentação Fotográfica

Arquivo pessoal (Nuno Senos)

Documentação Administrativa

Intervenção Realizada

Nada a assinalar.

Observações

Autor e Data

Manuel Apóstolo (Centro de História Além-Mar - CHAM) 2010

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login