Convento de São Francisco

IPA.00030662
Brasil, Bahía, Bahía, São Francisco do Conde
 
Arquitectura religiosa, setecentista. Convento franciscano composto por igreja de planta rectangular, com eixo longitudinal, apresentando galilé flanqueada por duas torres sineiras, formando fachada harmónica, de estrutura maneirista. Tem capela lateral do lado da Epístola, capela-mor e sacristia. Convento desenvolvido do lado esquerdo da igreja, com claustro de planta quadrangular ao redor do qual se desenvolvem a sacristia e os corpos das demais dependências conventuais.
Número IPA Antigo: BR920503570019
 
Registo visualizado 148 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Religioso  Convento / Mosteiro  Convento masculino  Ordem de São Francisco - Franciscanos (Província de Santo António do Brasil)

Descrição

Complexo conventual composto por igreja de planta rectangular, apresentando galilé com duas torres sineiras nos extremos, nave única com coro alto, uma capela lateral do lado da Epístola, capela-mor, e sacristia. Convento desenvolvido do lado esquerdo da igreja, com claustro de planta quadrangular ao redor do qual se desenvolvem os corpos das demais dependências conventuais. Fachadas rebocadas e pintadas de branco, com elementos estruturais em cantaria. IGREJA com fachada principal composta por um único corpo de dois registos delimitados por cunhais apilastrados e entablamentos, formando três panos delimitados por duas ordens de pilastras, rematando em tabela e aletas, sendo este corpo ladeado por duas torres sineiras divididas em três registos. No primeiro registo da fachada, dando acesso à galilé, abrem-se cinco arcos de volta perfeita, dois deles abrindo para a base das torres, com fecho saliente, assentes em pilastras toscanas e inscritos em pilastras com a mesma ordem, de maiores dimensões. Na galilé existe à esquerda a entrada da portaria, e ao centro o portal de entrada da igreja, composto por vão de volta perfeita, ladeado por duas pilastras, sobre as quais assenta entablamento com friso decorado por motivos vegetalistas e querubins. O segundo registo está dividido por pilastras em cinco panos, com os três centrais abertos por janelas rectilíneas emolduradas a cantaria e decoradas com volutas, e os dos extremos com duas janelas mais pequenas, sobrepostas e igualmente decoradas com volutas. A tabela é rasgada por óculo quadrilobado sobrepujado por nicho com uma imagem de Santo António, flanqueada por duas pilastras sobre as quais assenta entablamento curvo, ladeado por grandes aletas com pináculos bolbosos, e sobre a tabela erguem-se volutas a ladear um plinto encimado por cruz latina, em metal e vazada, flanqueada por pináculos bolbosos. As torres sineiras erguem-se em cada um dos extremos do corpo, tendo cobertura em coruchéu piramidal revestido a azulejos enxaquetados azuis e brancos, e sobre os cunhais pináculos bolbosos, sobre plintos também revestidos a azulejo. Possuem quatro ventanas em arco de volta perfeita e a torre do lado esquerdo ostenta um mostrador de relógio em azulejo em monocromia azul sobre fundo branco. INTERIOR rebocado e pintado de branco, possuindo painéis de azulejo em monocromia, azul sobre fundo branco, formando silhar, sendo cada painel recortado superiormente e ostentando representações figurativas, com cenas da vida de Santo António. Cobertura da nave em falsa abóbada de berço abatido, sobre friso pintado de azul, com pintura em quadratura, e pavimento do presbitério em cantaria policroma. Possui janelas de varandim, assentes sobre cornijas e com guardas de madeira torneada, surgindo alguns óculos quadrilobados. Coro-alto assente sobre duas colunas e duas meias colunas, com guarda de madeira torneada, tendo, no sub-coro, pintura com a aparição de Nossa Senhora e o Menino Jesus a Santo António. No lado do Evangelho o púlpito quadrangular, com guarda plena e acesso por porta de verga recta, tudo protegido por guarda-voz, tendo fronteiro o arco entaipado da antiga Capela da Ordem Terceira, com cobertura pintada em quadratura. Presbitério protegido por teia-confessionário de madeira torneada. Arco triunfal de volta perfeita com fecho volutado e assente em pilastras toscanas, ladeado por retábulos colaterais dedicados ao Imaculado Coração de Maria (Evangelho) e Sagrado Coração de Jesus (Epístola). Capela-mor com cobertura em abóbada de berço, com painel pintado, possuindo retábulo de madeira policroma, composta por altar, edículas e pequenos nichos com imaginária. SACRISTIA com paredes revestidas a azulejos portugueses, em monocromia azul sobre fundo branco, com representações decorativas, tendo pavimento em ladrilho hidráulico e cobertura em madeira com medalhão estrelado, pintado com representação de Nossa Senhora e Santos Franciscanos. Possui arcaz interrompido por oratório, armário embutido e lavabo em cantaria. Claustro de planta quadrangular, de dois pisos, com cada ala composta por três arcos abatidos no piso inferior, e seis no superior, todos assentes em colunas toscanas, as inferiores assentes em muretes. Para as alas, abrem portas de verga recta, em arco abatido e porta ampla em arco de volta perfeita e moldura saliente.

Acessos

BA-522, Estrada de São Francisco do Conde.

Protecção

Enquadramento

Urbano, isolado. Situado na vila de São Francisco do Conde.

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Religiosa: convento masculino

Utilização Actual

Religiosa: igreja

Propriedade

Afectação

Época Construção

Séc. 18 / 19

Arquitecto / Construtor / Autor

Cronologia

1629 - fundação do convento; 1718 - início da reconstrução do convento; 1751 - data do forro da capela da Ordem Terceira de São Francisco; 1844 - restauro do forro da capela dos Terceiros.

Dados Técnicos

Sistema estrutural de paredes portantes.

Materiais

Paredes rebocadas e caiadas; molduras, pavimentos, colunas, pilastras em cantaria; pavimentos, vigamentos, retábulos de madeira; painéis de azulejo; coberturas exteriores em telha.

Bibliografia

FONSECA, Fernando Luiz da, Santo António do Paraguaçu e o Convento de São Francisco do Conde, Salvador: Universidade Federal da Bahia, 1988; JABOATÃO, António de Santa Maria, O.F.M. Novo Orbe Seráfico Brasílico, ou Chronica dos Frades Menores da Província do Brasil (5 vols.), Rio de Janeiro: Typ. Brasiliense de Maximiano Gomes Ribeiro, 1858-62; SENOS, Nuno, Franciscan Art and Architecture in Colonial Brazil 1650-1800, Dissertação de doutoramento apresentada ao Institute of Fine arts, New York University, 2006, pp. 71-73, 99, 140-141.

Documentação Gráfica

Documentação Fotográfica

Arquivo Pessoal (Nuno Senos)

Documentação Administrativa

Intervenção Realizada

Nada a assinalar.

Observações

Autor e Data

Manuel Apóstolo (Centro de História Além-Mar - CHAM) 2010

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login