Pelourinho de Aljezur

IPA.00030113
Portugal, Faro, Aljezur, Aljezur
 
Arquitectura político-administrativa e judicial, quinhentista. Pelourinho de pinha piramidal, sem soco e sem fuste.
Número IPA Antigo: PT050803010015
 
Registo visualizado 426 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Estrutura  Judicial  Pelourinho  Jurisdição de ordem militar  Tipo pinha

Descrição

Estrutura em cantaria de granito, composta por plinto paralelepipédico, sobre o qual surge a estrutura do antigo remate, em alto pináculo piramidal.

Acessos

Largo 5 de Outubro

Protecção

Categoria: IIP - Imóvel de Interesse Público, Decreto n.º 23 122, DG, 1.ª série, n.º 231 de 11 outubro 1933

Enquadramento

Urbano.

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Judicial: pelourinho

Utilização Actual

Cultural e recreativa: marco histórico-cultural

Propriedade

Pública: municipal

Afectação

Sem afectação

Época Construção

Séc. 16 (conjectural)

Arquitecto / Construtor / Autor

Desconhecido.

Cronologia

1242 - reconquista por ordem de D. Afonso II, que enviou para a tarefa D. Paio Peres Correia; 1298, 04 Dezembro - D. Dinis doa a povoação à Ordem de Santiago; 1504, 20 Agosto - concessão de foral por D. Manuel I; provável construção do pelourinho; 1712 - segundo Carvalho da Costa, pertence à Comarca de Lagos e é uma Comenda da Ordem de Santiago, com 300 vizinhos, sendo comendador e alcaide o Conde de Vila Verde; tem juiz ordinário, 3 vereadores, um procurador do concelho, escrivão da câmara, juiz dos órfãos com o respectivo escrivão e tabelião; 1755, 01 Novembro - o terramoto deixa a vila bastante arruinada; 1758 - nas Memórias Paroquiais, assinadas pelo pároco Martinho Pereira da Silva, é referido que a povoação, com 293 vizinhos, é do rei, como grão-mestre da Ordem de Santiago, sendo comendador o Marquês de Angeja; tem juízes ordinários e câmara; séc. 20 - colocação do fragmento do pelourinho em frente ao edifício da câmara.

Dados Técnicos

Sistema estrutural autónomo.

Materiais

Estrutura em cantaria de granito.

Bibliografia

COSTA, António Carvalho da (Padre), Corografia Portugueza, vol. III, Lisboa, Officina Real Deslandesiana, 1712; MALAFAIA, E.B. de Ataíde, Pelourinhos Portugueses - tentâmen de inventário geral, Lisboa, Imprensa Nacional - Casa da Moeda, 1997.

Documentação Gráfica

Documentação Fotográfica

Documentação Administrativa

DGARQ/TT: Memórias Paroquiais (vol. 2, n.º 73, fl. 589-594)

Intervenção Realizada

Nada a assinalar.

Observações

Autor e Data

Paula Figueiredo 2010

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login