Pelourinho do Funchal

IPA.00030112
Portugal, Ilha da Madeira (Madeira), Funchal, Funchal (Sé)
 
Memória de pelourinho construída no séc. 20, de tipo bloco cilíndrico, com soco octogonal de quatro degraus, de onde arranca fuste torso com faixas lisas e capitel simples. Na base do remate, ferros de sujeição com decoração zoomórfica. O pelourinho tenta reconstituir a linguagem manuelina, no perfil da base, marcada por toros e escócias, no fuste com anel boleado e de faixas torsas, encimado por capitel simples. O remate não possui qualquer correspondência estilística com a coluna.
Número IPA Antigo: PT062203100200
 
Registo visualizado 135 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Estrutura  Comemorativo  Memória de pelourinho    

Descrição

Estrutura em cantaria de calcário, composta por soco octogonal de quatro degraus e focinhos salientes, onde assenta a base da coluna, octogonal e de perfil côncavo, de onde evolui fuste torso, com faixas lisas, cortado a meio por anel ornado por meias esferas. O capitel é simples e octogonal, no topo do qual surgem quatro ferros de sujeição com os remates ornados por elementos zoomórficos. No remate, pequeno pináculo cónico, de onde saem quatro braços, encimado por grimpa em forma de anjo e cruz latina.

Acessos

Funchal (Sé); Praça da Autonomia. WGS84 (graus decimais) lat.: 32,648157; long.: -16,905255

Protecção

Inexistente

Enquadramento

Urbano, isolado, implantado num amplo largo, onde confluem as duas ribeiras da cidade, Ribeira de Santa Luzia e Ribeira de São João. Nas imediações, existe um dos Passos da Via Sacra do Funchal (v. v. IPA.00006994) e foram postas a descoberto as estruturas arqueológicas do Forte de São Filipe (v. IPA.00036063).

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Comemorativa: memória de pelourinho

Utilização Actual

Comemorativa: memória de pelourinho

Propriedade

Pública: municipal

Afectação

Sem afetação

Época Construção

Séc. 20

Arquitecto / Construtor / Autor

Desconhecido.

Cronologia

Séc. 20, 2.ª metade - construção do novo pelourinho; 2010, fevereiro - a estrutura foi afectada pelas cheias que atingiram o Funchal; 2015 - durante as obras de alargamento dos canais das ribeiras de Santa Luzia e João Gomes, põem-se a descoberto, na praça do Pelourinho, ruínas do antigo forte de São Filipe, datado do séc. 16 e 17.

Dados Técnicos

Sistema estrutural autónomo.

Materiais

Estrutura em cantaria de calcário de Moleanos.

Bibliografia

Governo veda Pelourinho para proteger ruínas. Diário de Notícias. Madeira: 08 março 2015, p. 9; MALAFAIA, E.B. de Ataíde - Pelourinhos Portugueses - tentâmen de inventário geral. Lisboa: Imprensa Nacional - Casa da Moeda, 1997; SILVA, Miguel - «Forte de São Filipe e Pelourinho com obras ainda este ano». In Diário de Notícias. Madeira: 22 novembro 2015, p. 4.

Documentação Gráfica

Documentação Fotográfica

SIPA

Documentação Administrativa

Intervenção Realizada

PROPRIETÁRIO: 2010 - limpeza da estrutura; 2015 - obras no Largo do Pelourinho; instalação de vedação metálica em torno dos vestígios arqueológicos forte de São Filipe; os achados determinam alterações do projeto, que passa a prever a criação de uma zona de circulação pedonal para garantir o acesso aos edifícios e espaços comerciais envolventes; a zona terá dois níveis distintos, interligados através de degraus: um mais baixo, correspondente aos pavimentos originais, e outro mais elevado, que terá um passeio "com pavimento em calçada de pedra escassilhada"; o passeio irá acompanhar os edifícios existentes criando "uma pequena praça no Largo do Pelourinho; prevê-se a recolocação no local que se julga ser a primeira implantação do primitivo pelourinho, que se encontra no Parque Arqueológico do Museu da Quinta das Cruzes, bem como a integração de elementos descobertos durante as escavações.

Observações

Autor e Data

Paula Figueiredo 2010

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login